Conecte-se agora

Idoso de 101 anos se cura da Covid-19 e emociona o Acre

Publicado

em

Nesta quarta-feira, 22, a equipe de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus em Xapuri viveu um dos momentos mais gratificantes dos quase 90 dias de combate à Covid-19 no município: a alta médica do senhor João Honório Matias, de 101 anos, liberado depois de mais de 15 dias de isolamento domiciliar.

Apesar da idade avançada, o paciente não teve complicações e não necessitou de hospitalização, sendo acompanhado permanentemente pelas equipes de saúde do município e tratado em casa. Ele sequer chegou a saber que o seu problema de saúde era o coronavírus até receber alta.

Mariana Matias, neta do senhor João Honório, disse ao ac24horas que a família optou por poupá-lo do abalo psicológico de saber que estava infectado, pois ele se informava pelo rádio da pandemia e tinha muito medo de contrair o vírus. A medida acertada foi premiada nesta quarta-feira, segundo ela.

“É com muita alegria que podemos comemorar essa vitória do meu avô. Ele está bem, se recuperando, pois ficou um pouco fraco devido à doença, mas pela sua idade ele está bem, graças a Deus”, afirmou a neta, que comemorou também o fato de a avó, de 91 anos, não ter sido contaminada.

O enfermeiro Andrade, coordenador da Unidade de Referência para Covid-19 em Xapuri, explicou que a equipe de fiscalização detectou a suspeita de contaminação do idoso após a familiar informar que ele apresentava sintomas e se encontrava debilitado. Ele se recusava a ir à unidade por medo de contrair o vírus.

A confirmação para o novo coronavírus se deu depois de uma equipe fazer a coleta em domicílio cujo resultado foi positivo. De imediato, o senhor João começou a ser medicado e prosseguiu sob os cuidados da equipe de monitoramento que o acompanhou diariamente até o fim do período de isolamento.

“Ele está firme e forte. Agradeceu a Deus e nos abençoou. É mais uma vitória para a nossa equipe, pois não tivemos nenhuma perda entre os pacientes que passaram por nossa equipe. O caso do seu João demonstra a união e a interação entre as equipes de fiscalização, clínica, laboratório e monitoramento”, disse.

Combate à pandemia em Xapuri

A unidade de referência para a covid-19 em Xapuri, que funciona no centro de saúde Félix Bestene Neto, conta com 4 equipes que trabalham na busca ativa e denúncias, fiscalização e monitoramento, além da parte clínica e laboratorial, que conta com o suporte de 17 profissionais.

A equipe conta com um dado relevante que é o de não ter ocorrido nenhum óbito entre as pessoas que deram entrada na unidade de referência e foram testadas positivamente para o vírus. Das mortes consignadas para Xapuri, a maioria ocorreu em Rio Branco, sendo assinaladas para o município pelo critério do local de residência.

De acordo com o que informou recentemente a Secretaria Municipal de Saúde, três dos cinco óbitos registrados para Xapuri foram de pacientes que estavam hospitalizados na capital se tratando de outros problemas de saúde já há algum tempo e foram contaminados no local onde estavam internados.

Das duas vítimas que contraíram o vírus em Xapuri, uma foi transferida do hospital Epaminondas Jácome para o Pronto Socorro de Rio Branco com suspeita de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e outra deu entrada na mesma unidade já em estado muito grave, falecendo algumas horas depois.

Novos casos

Nesta quarta-feira, 22, foram registrados mais 6 casos positivos do novo coronavírus em Xapuri, que soma agora 366 novas confirmações. São 27 exames em análise, 337 pessoas sendo monitoradas e 271 pacientes que já foram liberados pela equipe de saúde. Há, ainda, 1 internação e 5 mortes no município.

Anúncios

Destaque 6

Em meio às ações do Acre para fechar fronteira, Peru suspende voos para o Brasil

Publicado

em

Em meio à mobilização do governo do Acre em fechar as fronteiras do Estado com Peru e Bolívia, o presidente peruano, que está interino no cargo, Francisco Sagasti, anunciou na terça-feira (26) uma quarentena total para Lima e para um terço do país de 31 de janeiro a 14 de fevereiro, além de proibir voos para o Brasil, com o objetivo de conter o aumento de casos provocado pela segunda onda de Covid-19.

A quarentena será obrigatória e imobilizará 16,4 milhões de habitantes, metade da população do país. O governo também determinou o fechamento de igrejas, cassinos e academias. Apenas estabelecimentos comerciais essenciais, como mercados, farmácias e bancos, poderão funcionar.

As regiões envolvidas são Lima, Ancash, Pasco, Huánuco, Junín, Huancavelica, Ica, Apurímac e El Callao, onde os casos confirmados dispararam desde o início de janeiro. Nas demais regiões do país, são mantidas as restrições do toque de recolher e a proibição de reuniões sociais, entre outras medidas. Nessas se incluem a fronteira com o Acre.

A segunda onda atinge sem trégua várias regiões peruanas desde o início de janeiro, após as festas de fim de ano. O número de contágios diários aumentou de mil para mais de cinco mil, e as mortes dispararam de uma média de 40 por dia para mais de 100.
O governo também prolongou até 14 de fevereiro a proibição de voos da Europa e incluiu o Brasil nesta relação, devido à nova cepa do coronavírus descoberta no país vizinho. (Com EM)

Continuar lendo

Destaque 6

Acre recebe R$ 360 mil para tratamento renal pós-Covid-19

Publicado

em

O Ministério da Saúde publicou nesta quarta-feira (27) no Diário Oficial da União a portaria 3.822, que estabelece recursos financeiros, em caráter excepcional a ser disponibilizado aos Estados, Municípios e Distrito Federal, destinados a apoiar medidas preventivas e ações voltadas ao tratamento de pessoas portadoras de doenças renais. São R$ 109.572.040,00 a serem rateados com Estados, DF e Municípios.

A portaria considera os impactos negativos da pandemia da Covid-19 sobre os serviços de saúde relacionados à doença renal, o que inclui aumento dos casos de insuficiência renal aguda, evidenciados como sequelas da infecção, a necessidade de qualificação dos profissionais de saúde da Rede de Atenção a Saúde, ampliação do consumo de equipamentos de proteção individual e outros insumos.

Além disso, promove a reorganização de fluxos nos serviços para fazer frente aos desafios do atual momento, no contexto do cuidado continuado ao portador de doença renal.

O Acre tem direito a R$360.895, recursos que devem ser transferidos aos estabelecimentos de saúde que realizam tratamento dialítico no SUS aos estabelecimentos a eles vinculados formalmente.

Saiba mais no DOU: https://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-gm/ms-n-3.822-de-29-de-dezembro-de-2020-*-300796956

Continuar lendo

Destaque 6

Mailza reitera importância das igrejas e afirma que Gladson foi sensato em novo decreto

Publicado

em

Após a publicação do decreto que determinou o toque de recolher desde ontem, segunda feira, 25, das 22h até às 06h com vigência até 25 de fevereiro, a senadora Mailza Gomes (Progressistas-AC) afirmou que o governador Gladson Cameli foi sensato na decisão de manter horário adequado ao funcionamento da economia do estado, sem esquecer também da importância de outras atividades.

A parlamentar destacou ainda que o governador foi sensível ao funcionamento das igrejas e templos religiosos que não foram afetadas pelo decreto e pontou que essas atividades são essenciais, na medida em que são espaços onde as pessoas buscam conforto espiritual. A parlamentar reiterou ainda a importância de as igrejas continuarem mantendo os protocolos de saúde para garantir a segurança dos fiéis.

A senadora Mailza, que desde o começo tem sido sensível e enviado recursos pra minimizar os efeitos da Covid-19, reforçou a importância da união de todos para a superação dos graves impactos que a pandemia de Covid-19 tem provocado à saúde e economia do Acre e do Brasil.

“Vencer essa pandemia é um desafio de todos. A colaboração e participação de cada um, seguindo as orientações das autoridades de saúde, como distanciamento social, uso de máscaras e álcool em gel são extremamente importantes,” finalizou Mailza.

Continuar lendo

Destaque 6

Governo pretende remover 1,5 mil pacientes do Amazonas

Publicado

em

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta terça-feira, em Manaus, que o governo deve remover 1,5 mil pacientes com Covid-19 do Amazonas para outros estados para receber tratamento médico. Ao lado do governador do Amazonas Wilson Lima, ele fez um pronunciamento durante a inauguração do hospital de campanha, que vai funcionar no complexo Nilton Lins.

“Partimos pela remoção inicialmente para hospitais federais e agora para hospitais do SUS, de estados que estão se oferecendo para receber os amazonenses que precisam ser tratados. Já tiramos 300 pessoas em aviões da Força Aérea e nosso objetivo é chegar a em torno de 1,5 mil pessoas removidas.”

Apesar de citar 300 transferências, de acordo com a Secretaria de Saúde do Amazonas foram transferidos, até a manhã desta terça, 277 pacientes. A previsão inicial era de que o governo transferisse 235 pessoas.

As remoções foram anunciadas pelo próprio ministro, no dia 15 de janeiro. Nesta terça, ele reforçou que que a necessidade de fazer as remoções de Manaus ocorreu pela quantidade de pessoas buscando atendimento médico e pela incapacidade do governo atender a todos.

Vacinas

O ministro afirmou que Amazonas já recebeu 452 mil doses de vacina, sendo 100 mil doses de vacinas extras. No entanto, somados todos os carregamentos, o estado recebeu pouco mais de 459 mil doses.

“Proporcionalmente o Amazonas é o estado que mais recebeu doses. Em proporção. Com essas doses, o objetivo é que 100% dos indígenas aldeados sejam vacinados, 87% dos profissionais de saúde e dos trabalhadores de saúde também sejam vacinados, 100% dos idosos, em instituições de longa permanência. E nós fizemos um fundo de 5% em comum acordo com os governadores de todas as vacinas que chegam ao Brasil, para atender as áreas mais impactadas”, afirmou.

Hospital de campanha

O complexo hospitalar Nilton Lins possui toda a estrutura hospitalar e será usado como hospital de campanha pelo estado. De acordo com o ministro, serão 152 leitos, sendo 30 já disponíveis nesta terça-feira. Pazuello afirmou que 81 leitos tem concentradores de oxigênio.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, o fluxo de atendimento na unidade será de portas fechadas, semelhante ao adotado em 2020: pacientes que dão entrada na rede de urgência e emergência serão reencaminhados para o hospital, não há atendimento direto.

“Nós estamos vendo de uma maneira muito clara, como deve ser, a partir de já e no futuro, a nossa situação hospitalar na Amazônia. Precisamos trabalhar com usinas geradoras de oxigênio individualizadas nos hospitais, concentradores de oxigênio e deixar o oxigênio de grande porte, esse comprado da White Martins, como backup”, afirmou.

Pazuello chegou na noite de sábado (23) a Manaus e, de acordo com a assessoria da pasta, ficará no estado do Amazonas pelo “tempo que for necessário”.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas