Conecte-se agora

Enem 2020: estudantes dividem opiniões após o adiamento do exame

Publicado

em

A suspensão das provas foi aprovada pelo Senado na terça-feira (19)

Para muitos estudantes que se candidataram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o adiamento é a alternativa mais coerente em um momento de isolamento social causado pela pandemia no país. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram adiar o exame, após a pressão de estudantes, professores e instituições, e também por conta das manifestações do Poder Legislativo.

As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que estava previsto nos editais. Segundo as organizações responsáveis pela aplicação da prova, a medida segue uma demanda imposta pela sociedade, em razão da dificuldade que muitos candidatos estão enfrentando para estudar durante esse período de pandemia.

Mesmo entre aqueles que frequentam escolas particulares, o adiamento foi uma escolha mais sensata, como opina a estudante do 3º ano do Ensino Médio, Giulia Marques, de 17 anos. “Achei positivo o adiamento do Enem porque muitos estudantes seriam prejudicados. Nas escolas particulares, muitos alunos têm acesso à internet, mas essa não é a realidade de muitas pessoas, principalmente dos alunos das escolas públicas, que estão sem aulas”, avalia. 

Giulia estava matriculada em uma escola da rede privada de Salvador, BA, mas com a pandemia e suspensão das aulas presenciais, sua mãe optou por cancelar a matrícula. Ainda assim, ela manteve a rotina de estudos para garantir o acesso ao ensino superior. “Muitas vezes, o Enem é a oportunidade para as pessoas terem acesso à faculdade e não seria justo aplicar a prova para os estudantes que estão tendo dificuldade para estudar por não terem aulas nem internet em casa”, conclui a estudante que segue se dedicando aos conteúdos em casa, por conta própria.

Na contagem até quarta-feira (20), mais de quatro milhões de pessoas já tinham efetuado a inscrição para o Enem. Até então, os estudantes terão até as 23h59 do dia 22 de maio (amanhã) para realizar as inscrições. Entre os inscritos está Mirella Silva Rosa, 38. A auxiliar administrativa soteropolitana não concorda com o adiamento da prova. Segundo ela, há outras formas de ajudar ambos os lados. “Não achei uma boa notícia, não. Na minha opinião, é bem desnecessário. As pessoas podem realizar a prova on-line e para as demais que não têm acesso à internet eles poderiam organizar melhor”. Ela acredita que os estudantes devem se esforçar para fazer uma boa prova. “Depende de cada um deles”, afirma Mirela que deseja cursar Administração.

Para encontrar uma data que seja mais adequada, o Inep irá promover uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020, que será realizada no final de junho, por meio da Página do Participante. A novidade foi divulgada na terça-feira (19), pelo Ministro da Educação, Abraham Weintraub. 

Inscrições

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) entrou com uma ação na Justiça Federal de São Paulo solicitando a prorrogação das inscrições. No processo, o partido pede que o Judiciário suspenda o prazo final para inscrição até que o estado de calamidade seja revogado ou que, ao menos, a situação esteja mais controlada.

Os estudantes que desejam ter mais informações sobre o exame, como recursos de acessibilidade, funcionamento do processo de isenção, inscrição e datas, devem acessar o portal do Inep e do Ministério da Educação, que são os canais de informação do Enem 2020, assim como as redes sociais oficiais dos dois órgãos do Governo federal. O Inep também possui um canal de autoatendimento on-line e por ligação no número 0800 616161 (somente chamadas de telefone fixo).

*Com informações do Inep

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Anúncios

Acre 01

Samu terá de informar ao MPF quantas ambulâncias e serviços executados no Acre

Publicado

em

A real finalidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi amplamente discutida na semana passada quando o coordenador estadual do serviço, o médico Pedro Pascoal, novamente cobrou a coparticipação dos municípios na responsabilidade pelo transporte intermunicipal. O ac24horas relatou o ocorrido e as constantes quebras por problemas mecânicos de ambulâncias do Samu, principalmente que atuam nos municípios da regional do Alto Acre.

Nesta sexta-feira, 15, o Ministério Público Federal (MPF) divulgou que instaurou um inquérito civil para apurar as condições de funcionamento do Samu no estado do Acre. O procurador da República Lucas Costa Almeida Dias, disse que a apuração deve focar na questão da quantidade de ambulâncias, distribuição, responsabilidade de aquisição e execução dos recursos transferidos, atribuições dos entes (União, estado e municípios) em relação ao transporte, observada a complexidade dos serviços (baixa, media e alta complexidade) e manutenção da frota.

Leia mais >>> Samu tem dificuldade com ambulâncias e coordenador cobra responsabilidade de municípios

O coordenador-geral estadual do SAMU terá 30 dias para dizer quantas são as ambulâncias, e quais tipos, disponíveis no Serviço hoje no Acre, além de especificar os tipos de serviços executados nos municípios, considerando a complexidade do atendimento. Também deverá ser dito quais as responsabilidades estaduais e municipais na aquisição, operação e manutenção da frota de ambulâncias disponível para a o transporte intermunicipal.

“O MPF também pede que o coordenador informe quais são os dificultadores em relação à garantia de manutenção das ambulâncias e se existe contrato de caráter contínuo para isso, além de dizer de quem é a responsabilidade da manutenção, se do Estado ou dos municípios”, informou o órgão.

Entenda

Na semana passada, o ac24horas publicou que, de acordo com o coordenador do Samu, há desvio de finalidade na utilização das unidades do Samu, que deveriam ser usadas apenas para atendimentos de pacientes em estado grave, mas que terminam fazendo o transporte de casos de baixa complexidade, que poderiam ser atendidos por ambulâncias dos municípios.

Pedro Pascoal afirmou que os municípios deveriam possuir ambulâncias de suporte sanitário para fazer o transporte intermunicipal de pacientes de baixa e média complexidade. Segundo ele, os gestores municipais devem assumir essa responsabilidade para assim desafogar o Samu.

Continuar lendo

Daniel Silva

Instrumentos relacionais humanos 

Publicado

em

A execução de planos de inovação tecnológica tem no fator humano a sua força motriz. A inovação é o processo através do qual conhecimentos esparsos nas mentes e cérebros dos indivíduos e grupos de consorciam para gerar aquilo que ainda não existe. Essa não existência diz respeito tanto àquilo que existe em outro lugar, mas que não faz parte de determinada realidade, como aquilo que não existe em lugar nenhum. O que não existe aqui, mas existe ali, é inovação que se processa de determinada maneira, através de aquisição ou imitação; o que não existe em lugar nenhum, por seu turno, precisa passar pelas etapas clássicas da geração do novo. Em ambos os casos, o fator humano é fundamental. É por essa razão, dentre outras, que a etapa de execução dos planos elaborados nas etapas anteriores também é chamada de direção. Dessa maneira, o que os gestores fazem na execução dos planos de inovação é dirigir os esforços de seu quadro de colaborares para o alcance dos objetivos e metas determinados. Este ensaio tem como objetivo apresentar os três instrumentos que os gestores utilizam para executar qualquer plano de inovação.

Os gestores profissionais utilizam três ferramentas fundamentais para fazerem convergir os esforços de seu quadro de colaboradores em direção ao alcance dos objetivos e metas pretendidos pela organização e que foram por eles construídos. Liderança, motivação e comunicação são essas ferramentas, cada qual com uma finalidade diferente mas que, no conjunto, formam uma unidade cujo termo que mais adequadamente a traduz é direção. Essas ferramentas não apenas apontam a direção, como também as mantêm. São como colas que unificam os esforços tanto dos indivíduos quanto grupos de indivíduos, além dos instrumentos não humanos para tal, como os processos e tarefas executadas por robôs e inteligência artificial.

A motivação é a energia interna que leva os indivíduos a fazerem alguma coisa. Todos têm pelo menos um motivo, uma razão muito forte para despenderem partes substanciais dos seus tempos de vida envidando esforços para materializar alguma coisa. Alguns o fazem por dinheiro. Gostam de dinheiro e, por isso, são capazes de suportar estresses prolongados e situações adversas pelo seu intento. Mas outros o fazem por motivos considerados mais nobres. Há cientistas, por exemplo, que se emocionam todas as vezes que suas ideias são materializadas e cumprem o papel que, antes, só existiam em suas mentes. O que os movem, nestes casos, são a possibilidade real de que aquela inovação criem valor, façam o bem para o seu público-alvo. Os gestores precisam conhecer os diferentes motivos pelos quais seu pessoal se empenha por realizar feitos para retribuir-lhes na medida adequada. Ninguém faz nada sem motivo. E todo motivo precisa ser retribuído porque a retribuição é a energia que retorna às mentes inovadoras.

A liderança, por seu turno, é o instrumento de ligação das pessoas. Se a motivação age individualmente, a liderança é, no mínimo, grupal. Ninguém lidera somente a si. Liderança é fenômeno relacional; motivação é individual. Líder e liderado(s) formam uma unidade orgânica que multiplica a capacidade individual de fazer coisas. Ainda que haja líderes que confundem liderança com autoridade ou dominação, uma parte significativa, já composta por gestores profissionais, pratica o mecanismo da servilitude. Servilitude é tanto atitude quanto virtude de servir. Neste particular, o líder é “obedecido” porque é referência para o(s) liderado(s). E referência significa, em termos gerais, seguir um acordo que, em linhas gerais, o líder supre as necessidades dos liderados para que, em troca, os liderados possam se dedicar apenas ao fazer, à materialização da inovação. O líder é líder porque é capaz de fazer com que nada falte à sua equipe.

A comunicação, finalmente, é o instrumento utilizado pelos gestores para proporcionar todos os tipos de conhecimentos necessários para que dúvidas e ambiguidades alcancem o patamar mínimo durante o processo de inovação. Não existe dúvida e ambiguidade zero, mas o máximo tolerável, que é aquela quantidade e intensidade que não compromete a execução das atividades e também suas melhorias e até mesmo eliminação, se desnecessárias. Comunicação é outro fenômeno relacional. E, como tal, precisa seguir o esquema cliente-fornecedor, por exemplo. O destinatário é quem determina os padrões comunicacionais, cabendo ao emissor não apenas segui-los, mas fundamentalmente aperfeiçoá-los constantemente. Essas melhorias contínuas são necessárias para que, tanto horizontal quanto vertical, diagonal e ambientalmente, sejam garantidos os fluxos constantes das transmissões e disponibilidades de conhecimentos para os membros das equipes de inovação.

O desafio da execução é, portanto, manter o máximo da energia inicial do projeto de inovação a partir de um esquema de suprimento de necessidades (físicas e extrafísicas) por parte dos líderes de equipes e de unidades de negócio por meio de um esquema de comunicação capaz de reduzir ao máximo as dúvidas e ambiguidades, naturais em todo esforço humano cooperativo. O dirigente (também chamado líder) de esquemas de inovação só é dirigente porque é o indivíduo com maior capacidade de suprimento de demandas físicas, como materiais e insumos para a execução dos projetos, e principalmente extrafísicas, como o desânimo, as frustrações e toda sorte de demandas dessa natureza.

O que se pretende mostrar é que os fatores humanos são as peças-chave em toda organicidade dos processos de inovação. O quadro de pessoal precisa ser o foco central de toda a atenção, por inúmeros motivos, tais como a dificuldade de se encontrar indivíduos com conhecimentos e habilidades, tempo exageradamente longo para aquisição dessas habilidades e conhecimentos e alto custo envolvido. Inúmeros casos de sucesso têm mostrado, inclusive, que as pessoas precisam ter retornado para elas a maior parte dos resultados auferidos, tanto financeiro quanto de outras naturezas. Retribuir ao máximo é, ao que tudo indica, a garantia máxima de que as inovações aparecerão. E também de forma inovadora.


Daniel Silva é PhD, professor, pesquisador do Instituto Federal do Amazonas (IFAM) e escreve todas às sextas-feiras no ac24horas

Continuar lendo

Cotidiano

Período de inscrição para bolsas de estudo no Prouni 2021 termina nesta sexta-feira

Publicado

em

O período de inscrições para o Programa Universidade Para Todos (Prouni) 2021 termina nesta sexta (15) às 23h59.

O Prouni seleciona candidatos para bolsas parciais e integrais em universidades particulares. Um dos critérios de seleção é o desempenho dos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Com o adiamento do Enem 2020 por causa da pandemia, a nota desta edição só será divulgada no fim de março. Por isso, a seleção do Prouni deste primeiro semestre adotará as notas do Enem 2019.

Para se inscrever, é preciso acessar o site oficial do programa: http://prouniportal.mec.gov.br/. É possível escolher até duas opções de instituição, curso e turno.

Todos os dias, ao longo do período de inscrição, o sistema atualiza as notas de corte. Por isso, se o candidato já fez a inscrição, é recomendado que ele entre de novo no sistema e veja as chances de aprovação. Caso a nota de corte tenha mudado muito, é possível alterar as opções e concorrer a outras vagas.

Os resultados serão divulgados em 19 de janeiro (primeira chamada) e 1º de fevereiro (segunda chamada).

Para participar, é necessário se encaixar em uma das seguintes categorias:

ter cursado o ensino médio completo na rede pública;

ter sido bolsista integral em escolas particulares durante todo o ensino médio;

ter alguma deficiência;

ser professor da rede pública de ensino, na educação básica.

Com exceção dos docentes, os demais candidatos não podem ter diploma do ensino superior.

Critérios de renda

O Prouni dá direito a bolsas de estudo em universidades particulares. São duas modalidades:

bolsa integral: renda familiar mensal per capita de até 1,5 salário mínimo;

bolsa parcial (50% da mensalidade): renda familiar mensal per capita de 1,5 a 3 salários mínimos.

Lista de espera

Os estudantes não convocados nas duas primeiras chamadas deverão manifestar interesse em continuar no processo seletivo entre os dias 18 e 19 de fevereiro.

A lista de espera estará disponível para consulta em 22 de fevereiro.

Fies

O Programa de Financiamento Estudantil (Fies) também abrirá as inscrições em janeiro. A seleção para concorrer a um dos contratos de financiamento para mensalidades em universidades privadas começa em 26 de janeiro e se encerra em 29 de janeiro.

O Fies também usa as notas do Enem como critério de seleção e, para a edição do primeiro semestre de 2021, adotará o desempenho do Enem de anos anteriores (de 2010 a 2019).

Sisu

Já o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona alunos para universidades públicas, ficará para abril. Como as notas do Enem 2020 sairão em março, haverá tempo de usá-las no processo de seleção.

Cronograma do ProUni

Inscrições: 12 a 15 de janeiro

Resultado (primeira chamada): 19 de janeiro

Segunda chamada: 1º de fevereiro

Interesse em participar da lista de espera: 18 e 19 de fevereiro

Resultado da lista de espera: 22 de fevereiro

Continuar lendo

Acre

Seguro-desemprego é corrigido; parcelas vão até R$ 1,9 mil

Publicado

em

O valor máximo das parcelas do seguro-desemprego passou a ser de R$ 1.911,84 . O benefício máximo aumentou em R$ 98,81 em relação ao valor antigo (R$ 1.813,03) e será pago aos trabalhadores com salário médio acima de R$ 2.811,60.

Os novos valores do seguro-desemprego estão valendo desde a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2020, que ficou em 5,45%.

Os valores valem para os benefícios que ainda serão requeridos e também para os que já foram liberados – nesse caso, serão corrigidas as parcelas que faltam e que forem emitidas a partir da entrada em vigor do reajuste.

O valor recebido pelo trabalhador demitido depende da média salarial dos últimos três meses anteriores à demissão. No entanto, o valor da parcela não pode ser inferior ao salário mínimo vigente (R$ 1.100). Veja abaixo:

Quem tem direito

Tem direito ao seguro-desemprego o trabalhador que atuou em regime CLT e foi dispensado sem justa causa, inclusive em dispensa
indireta – quando há falta grave do empregador sobre o empregado, configurando motivo para o rompimento do vínculo por parte do trabalhador.

Também pode requerer o benefício quem teve o contrato suspenso em virtude de participação em programa de qualificação profissional oferecido pelo empregador, o pescador profissional durante o período defeso e o trabalhador resgatado da condição semelhante à de escravo.

Não é permitido receber qualquer outro benefício trabalhista em paralelo ao seguro nem possuir participação societária em empresas.

Como funciona

O trabalhador recebe entre 3 a 5 parcelas, dependendo do tempo trabalhado. O trabalhador recebe 3 parcelas do seguro-desemprego se comprovar no mínimo 6 meses trabalhado; 4 parcelas se comprovar no mínimo 12 meses; e 5 parcelas a partir de 24 meses trabalhado.

Para solicitar o seguro-desemprego pela 1ª vez, o profissional precisa ter atuado por pelo menos 12 meses com carteira assinada em regime CLT. Para solicitar pela 2ª vez, precisa ter trabalhado por 9 meses. Já na 3ª e demais, no mínimo 6 meses de trabalho. O prazo entre um pedido e outro deve ser de, pelo menos, 16 meses.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas