Conecte-se agora

OMS reforça critérios que países devem analisar antes de suspender isolamento

Publicado

em

A Organização Mundial de Saúde (OMS) reforçou, nesta segunda-feira (13), os critérios que países devem analisar antes de suspender o isolamento como forma de combate à Covid-19:

– a transmissão da Covid-19 deve estar controlada;

– o sistema de saúde deve ser capaz de detectar, testar, isolar e tratar todos os casos, além de traçar todos os contatos;

– os riscos de surtos devem estar minimizados em condições especiais, como instalações de saúde e casas de repouso;

– medidas preventivas devem ser adotadas em locais de trabalho, escolas e outros lugares aonde seja essencial as pessoas irem;

– os riscos de importação devem ser administrados; 

– as comunidades devem estar completamente educadas, engajadas e empoderadas para se ajustarem à nova norma.

O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que a organização publicará, na terça (14), um estudo completo com as novas recomendações estratégicas.

Outros dois especialistas da organização alertaram, ainda, para a forma que a suspensão do isolamento deve acontecer. O diretor do programa de emergências da OMS, Michael Ryan, afirmou que não se pode substituir a quarentena por “nada”, ressaltando que outras medidas de saúde pública – como lavar as mãos com frequência e manter o distanciamento social – precisariam ser mantidas pelo “futuro previsível”.

“Existem coisas que precisam ser feitas. Você não pode substituir a quarentena por nada. Você precisa substituir a quarentena por uma comunidade muito profundamente educada, comprometida, engajada e empoderada. Nós precisaremos mudar nosso comportamento pelo futuro previsível”, alertou.

“Teremos que ter esses comportamentos adaptados – em termos de higiene pessoal, distanciamento físico, sermos cuidadosos – por um longo tempo”, completou.

Ryan lembrou, também, que as máscaras não são uma alternativa à quarentena.

“Máscaras não são uma alternativa à quarentena. E nós dissemos isso publicamente várias vezes: a OMS vai apoiar países que querem implementar uma estratégia mais ampla de usar máscaras ou de cobrir o rosto, desde que seja parte de uma estratégia mais abrangente”, alertou.

O uso de máscaras deve ser, lembrou Ryan, incorporado a estratégias de testagem, isolamento e tratamento de casos, higiene das mãos e educação de comunidades.

Suspensão do isolamento europeu

A líder técnica do programa de emergências da OMS, Maria van Kerkhove, acrescentou que a suspensão da quarentena não deve acontecer de uma vez só.

“É muito importante que a suspensão dessas medidas não ocorra toda de uma vez, em toda a Europa. Se o sistema não está capacitado para identificar onde o vírus está, isolar os casos, achar os contatos, ter os leitos livros para tratar dos pacientes, então vai ficar saturado de novo”, alertou.

“Então, o que pode acontecer é que [o isolamento] seja suspenso em certas áreas estratégicas, talvez onde houver menos incidentes, e, se isso puder acontecer lentamente, então o sistema pode se deslocar para onde precisar ir para detectar casos. Enquanto isso, outras partes do país permanecem sob medidas restritas”, avaliou van Kerkhove.

“Mas é muito importante que a comunidade entenda isso, porque pode ser que seja preciso um tempo um pouco mais longo que você precisa ficar em casa ou trabalhar de casa, ou que as escolas precisem ficar fechadas. Mas é temporário”, ressaltou.

Anúncios

Cotidiano

Região Norte registra menor indicador de Intenção de Consumo das Famílias

Publicado

em

A Região Norte apresentou o menor indicador na Intenção de Consumo das Famílias (ICF), com 66,2 pontos em janeiro de 2021. O motivo, de acordo o Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/AC, estaria associado ao aumento do número de casos e óbitos ocasionados pelo Covid-19, situação que deve mudar nos próximos meses com as campanhas de vacinação.

A ICF é medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e cresceu pela quinta vez seguida em todo o Brasil neste primeiro mês do ano, subindo 73,6 pontos. Contudo, mesmo com as altas, o indicador registrou o pior desempenho para um mês de janeiro desde o início da série histórica, em 2010. Além disso, no comparativo anual, houve recuo de 24,2% – a décima retração consecutiva nesta base comparativa. A ICF está abaixo do nível de satisfação (100 pontos) desde abril de 2015.

Egídio Garó, assessor da Fecomércio, explicou que a pesquisa apontou a composição favorável dos indicadores mensais, como emprego atual, perspectiva profissional, renda atual, acesso ao crédito, nível e perspectivas de consumo da família e momento para duráveis. “Em todo o País, os indicadores apontaram para um aumento na intenção de consumo das famílias, atingindo um patamar de 73,6 pontos, numa escala até 100 pontos maior do que o observado no mês de maio de 2020.

Os índices regionais, por sua vez, demonstram essa intenção considerando todos os Estados que compõem os blocos. “A Região Norte teve, entre todas as demais regiões, o menor indicador, atingindo 66,2 pontos, apresentando-se menor do que o observado no mês de dezembro, com um recuo de -3,2%. Com relação ao emprego atual, os indicadores recuaram em -3,5%, acumulando um indicador de -27,6%, indicando que os habitantes da região norte ainda estão desconfiados quanto à manutenção de seu emprego. O mesmo acontece com a perspectiva profissional, variando neste mês -0,7 % e acumulando um recuo de -22,8 %, indicando insegurança quanto às possibilidades profissionais para os próximos períodos”, explicou o consultor.

Em relação à renda mensal, a Região Norte apresentou resultados insatisfatórios com um indicador de 59,3 pontos, diminuindo 5,3% com relação ao mês anterior. “Tanto o acesso ao crédito quanto o nível de consumo atual indicaram negativamente, apontando que os consumidores não estão dispostos a compras nos próximos meses, mesmo com as facilidades do acesso ao crédito. Além disso, em toda a região [Norte] não há intenção de consumo para os bens duráveis, como geladeiras, fogões e outros itens”, enfatizou Garó.

Egídio explicou ainda que é importante que o segmento de comércio de bens esteja atento à intenção de consumo numa escala macro. “Para, então, definir suas estratégias de preço, marketing, logística, estoques e utilização da oferta de crédito”, finalizou.

Continuar lendo

Cotidiano

Programa de proteção a menores ameaçados de morte repassou R$ 1 milhão para o Acre

Publicado

em

O Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM) destinou R$1 milhão para o Acre em 2020. Mantido pelo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, o programa tem o objetivo de proteger, preservar e promover a vida daqueles que estão em situação de risco de morte e, também, de seu núcleo familiar.

No país, foram investidos R$ 14,8 milhões que beneficiaram a 141 crianças e adolescentes e 294 familiares, totalizando 435 pessoas. Iniciativa de destaque. Além do Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco , Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e São Paulo.

A identificação da ameaça e a solicitação de inclusão no PPCAAM são realizadas por meio do Poder Judiciário, do Ministério Público, das Defensorias Públicas, e dos Conselhos Tutelares caracterizados como ‘portas de entrada’. Estas instituições são responsáveis também pela fiscalização e aplicação da garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes.

O Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte possui o maior orçamento entre as iniciativas da secretaria. Os recursos são aplicados em parceria com os estados.

Nos estados que não ofertam a iniciativa, o Núcleo Técnico Federal (NTF) assume o atendimento dos casos, realizando o que for necessário para que o protegido e a sua família tenham sua vida e seus direitos garantidos.

Continuar lendo

Cotidiano

Período de inscrição para bolsas de estudo no Prouni 2021 termina nesta sexta-feira

Publicado

em

O período de inscrições para o Programa Universidade Para Todos (Prouni) 2021 termina nesta sexta (15) às 23h59.

O Prouni seleciona candidatos para bolsas parciais e integrais em universidades particulares. Um dos critérios de seleção é o desempenho dos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Com o adiamento do Enem 2020 por causa da pandemia, a nota desta edição só será divulgada no fim de março. Por isso, a seleção do Prouni deste primeiro semestre adotará as notas do Enem 2019.

Para se inscrever, é preciso acessar o site oficial do programa: http://prouniportal.mec.gov.br/. É possível escolher até duas opções de instituição, curso e turno.

Todos os dias, ao longo do período de inscrição, o sistema atualiza as notas de corte. Por isso, se o candidato já fez a inscrição, é recomendado que ele entre de novo no sistema e veja as chances de aprovação. Caso a nota de corte tenha mudado muito, é possível alterar as opções e concorrer a outras vagas.

Os resultados serão divulgados em 19 de janeiro (primeira chamada) e 1º de fevereiro (segunda chamada).

Para participar, é necessário se encaixar em uma das seguintes categorias:

ter cursado o ensino médio completo na rede pública;

ter sido bolsista integral em escolas particulares durante todo o ensino médio;

ter alguma deficiência;

ser professor da rede pública de ensino, na educação básica.

Com exceção dos docentes, os demais candidatos não podem ter diploma do ensino superior.

Critérios de renda

O Prouni dá direito a bolsas de estudo em universidades particulares. São duas modalidades:

bolsa integral: renda familiar mensal per capita de até 1,5 salário mínimo;

bolsa parcial (50% da mensalidade): renda familiar mensal per capita de 1,5 a 3 salários mínimos.

Lista de espera

Os estudantes não convocados nas duas primeiras chamadas deverão manifestar interesse em continuar no processo seletivo entre os dias 18 e 19 de fevereiro.

A lista de espera estará disponível para consulta em 22 de fevereiro.

Fies

O Programa de Financiamento Estudantil (Fies) também abrirá as inscrições em janeiro. A seleção para concorrer a um dos contratos de financiamento para mensalidades em universidades privadas começa em 26 de janeiro e se encerra em 29 de janeiro.

O Fies também usa as notas do Enem como critério de seleção e, para a edição do primeiro semestre de 2021, adotará o desempenho do Enem de anos anteriores (de 2010 a 2019).

Sisu

Já o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona alunos para universidades públicas, ficará para abril. Como as notas do Enem 2020 sairão em março, haverá tempo de usá-las no processo de seleção.

Cronograma do ProUni

Inscrições: 12 a 15 de janeiro

Resultado (primeira chamada): 19 de janeiro

Segunda chamada: 1º de fevereiro

Interesse em participar da lista de espera: 18 e 19 de fevereiro

Resultado da lista de espera: 22 de fevereiro

Continuar lendo

Cotidiano

Decreto do governo do Amazonas confirma suspensão do Enem no estado

Publicado

em

O governo do Amazonas publicou um decreto nesta quinta-feira (14) que confirma a suspensão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no estado. Devido ao estado de calamidade pública decretado pelo poder executivo estadual em decorrência do aumento de casos de Covid-19, os exames não poderão ser aplicados nos dias 17 e 24 de janeiro.

O estado vive uma crise sem precedentes, com caos no sistema de saúde, leitos lotados e hospitais sem oxigênio. Pelo menos 235 pacientes do Amazonas deverão ser levados a outros 6 estados para receber atendimento médico devido ao colapso no sistema de saúde local, segundo informou o governador Wilson Lima nesta quinta-feira (14).

Na última quarta-feira (13), o juiz federal José Ricardo de Sales suspendeu a realização das provas do Enem no Amazonas por meio de uma liminar, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia de descumprimento, até o limite de 30 dias. Na decisão, o magistrado justificava a decisão devido ao surto de casos de coronavírus.

O governo federal chegou a recorrer, também nesta quinta por meio de ação da Advocacia-Geral da União (AGU), para tentar realizar as provas no estado, mas ainda não houve nova decisão da Justiça.

O decreto estadual desta quinta confirma a suspensão do Enem em todo o estado e proíbe acesso de qualquer pessoa não autorizada às escolas públicas estaduais.

Mais de 160 mil estudantes amazonenses se inscreveram e agora ficam sem a garantia de realizar as provas.

No início desta semana, decisão da Justiça Federal em São Paulo válida para todo o país já havia negado o adiamento das provas do Enem e mantido o exame para 17 e 24 de janeiro, como mostra o vídeo abaixo. No entanto, a decisão previa que o Inep deveria reaplicar a prova em outra data nos lugares onde as autoridades locais impedissem que o exame fosse feito devido aos elevados números de contágios do novo coronavírus.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, no entanto, afirmou nesta quinta-feira (14) em entrevista ao G1 que “não há garantia” de que conseguirá reaplicar os exames nas cidades que impedirem a sua realização.

“Não posso assegurar que vamos fazer aplicações em cidades que vão pedir reaplicação”, afirmou Alexandre Lopes, presidente do Inep. “Não é que a gente não vai fazer, o que eu não posso é garantir”, disse.

Segundo Lopes, embora o Enem tenha uma data oficial de reaplicação (23 e 24 de fevereiro), casos de suspensão da prova ligados à pandemia não poderão ser encaixados neste dia.

“A reaplicação é para casos excepcionais. Não é segunda aplicação total do Enem. Preciso saber quantos vão fazer a prova, e aí eu imprimo”, explica.

“Se tiver 5 mil, 10 mil pessoas ou mais, consigo assegurar todas. A depender da logística que for necessária ou quantidade provas a serem impressas, não consigo. Não é que a gente não vai fazer, o que eu não posso é garantir”, afirma.

“Quem vai me dizer quando tiver condição sanitária boa? Não adianta chegar 3 dias antes da prova e pedir para aplicar. A visão não é só minha, preciso que o prefeito diga que em 23 e 24 de fevereiro eu vou ter condições de aplicar lá”.

Explosão de casos

O estado do Amazonas registrou 3.816 novos casos de Covid-19 nesta quinta-feira (14), sendo 2.516 somente em Manaus. Foi o maior número de novos casos registrados no estado e na capital amazonense desde o início da pandemia, em março de 2020.

O número de mortes subiu para 5.930, com mais 51 mortes causadas pela doença. Do total, 44 óbitos ocorreram nas últimas 24 horas e outros sete foram registrados em dias anteriores, mas confirmados agora.

Manaus voltou a bater o recorde de internações diárias por Covid-19. Foram 254 novas hospitalizações no capital, número mais alto registrado no estado desde o início da pandemia, mesmo com o colapso na rede de saúde, vivido entre abril e maio de 2020. Outras quatro internações foram registradas no interior do estado, fazendo o total de casos chegar a 258 no estado.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas