Conecte-se agora

Mercados asiático e europeu passam a consumir soja produzida por pecuaristas acreanos

Publicado

em

Foto: Secom/Acre

Estado saiu de 200 para 5 mil hectares plantados este ano

As 15 mil toneladas de soja previstas para serem produzidas este ano no Acre podem representar muito pouco no impulso total de grãos produzidos em todo o país no início do ano, com estimativa de 251,1 milhões de toneladas, uma variação de 3,8% sobre a safra do ano passado e ganho de 9,1 milhões de toneladas. Em Rondônia, por exemplo, a pouco mais de 500 km do estado, a safra possui 1.138 hectares de soja plantada. Mas, quando o assunto é soja, isso representa uma quebra de paradigma para o setor produtivo do estado que saiu de 200 hectares plantados em 2017 – episódio marcado por uma multa aplicada pelo IMAC por falta de licenciamento – para 5 mil hectares em 2020, com o governo do Acre dando segurança jurídica para produção em larga escala.

Talvez por essa mudança de rumos, a secretaria de Produção e Agronegócio promoveu um dia de campo na Fazenda Campo Esperança, em Capixaba, na última sexta-feira. O evento disputadíssimo, regado a milho verde, churrasco, feijoada e suíno guisado, foi capaz de reunir, depois de muito tempo, figuras como o senador Sérgio Petecão (PSD-AC), o vice-governador Major Rocha e o governador Gladson Cameli (PP), perfilados no hall de autoridades falando a mesma língua: desenvolvimento do setor produtivo.

“Aqui não falta sol, aqui não falta chuva, a terra faz brotar qualquer semente”, parafraseou Edvan Azevedo, secretário de produção e agronegócio durante discurso, trecho da música “Meu País” de Zezé de Camargo e Luciano.

Em meio a tanto romantismo, o governador chegou a dizer que a cultura da soja no Acre não se trata de novela mexicana, mas “brasileira”. Otimistas, porém, racionais, os pecuaristas fizeram discursos equilibrados. O presidente da Federação da Agricultura do Acre (FAEAC), o pecuarista Assuero Veronez, falou que plantar soja é uma atividade que não é simples, depende de destravamentos. Ele critica a política ambiental vigente.

“A parte ambiental sempre foi um entrave para o crescimento do Acre, ficamos com uma área pequena aberta de 14%. Para plantar soja o que existe de favorável é o clima excepcional que permite uma atividade forte e com qualidade. É preciso ter ramais para colheita, armazéns para a saída do produto e exportação pela umidade certa. É preciso essa ação, logística necessária para expandir”, comentou o presidente.

A euforia era tanta que o cerimonial deixou pioneiros do setor produtivo, como o empresário Beto Moretto, fora do palanque montado para uma multidão que foi assistir de perto a colheita simbólica. No passado, quando ninguém falava no negócio apontado pela FAEAC com capacidade de incrementar a economia, Moretto já plantava os primeiros 60 hectares. A previsão para a safra dos anos 2020 e 2021 pelo empresário é de 1.200 hectares plantados de soja.

Foto: Secom/Acre

“O agronegócio, principalmente a soja e o milho representam uma saída econômica para o Acre. Ela veio para ficar, gera renda e muito trabalho. Precisamos do apoio do estado, com ramais e silos graneleiros”, comentou o empresário.

Raiolando Costa, outro pioneiro no setor, parabenizou a coragem do empresário Jorge Moura pelos 2,2 mil hectares de plantio de soja e o investimento de R$ 3 milhões na compra de máquinas e implementos agrícolas. Ano passado, a ministra da agricultura Tereza Cristina visitou a produção de soja na BR 364, na fazenda de Raiolando.

“Ninguém se arrependeu de investir na agricultura, esse é um caminho sem volta. Sem a produção de grãos não temos suínos de qualidade, pecuária de excelência, a agricultura fecha a cadeia produtiva. A soja é um commodities que o mundo quer porque tem liquidez imediata” acrescentou Raiolando.

Soja do Acre tem endereço certo de exportação: os mercados asiático e europeu

Raiolando tem razão quando afirma que a soja tem liquidez imediata. A saca vem sendo comercializada pelo valor de R$ 80, cerca de R$ 45 a mais do que o milho. Toda produção do Acre vem sendo comprada pelo grupo Maggi – maior produtor de soja do mundo – e exportada para a China (Ásia Oriental), e Noruega (Europa).

“Toda soja no Brasil e no mundo tem destino certo. Nossa terra é apropriada, produzimos uma safra recorde com relação ao restante do país e agora, sem a perseguição que existia, o estado deixando a gente trabalhar é só alegria” diz o pecuarista Jorge Moura.

“Menos propaganda e muita ação estratégica”, diz Gladson Cameli sobre impulso de grãos no estado

O governador Gladson Cameli chegou com uma hora de atraso na fazenda Campo Esperança, localizada no km 60 da rodovia 317 na região que liga Rio Branco ao município de Capixaba. Recepcionado às margens de um igarapé supostamente represado, governo e caravana seguiram de carro quilômetros à dentro observando a plantação.

Foto: Secom/Acre

No local da colheita, o estadista foi levado para conhecer um investimento de R$ 3 milhões em equipamentos necessários para produção em larga escala, a ousadia leva tecnologia de ponta ao campo. Cameli foi para cabine de uma das colheitadeiras da série MF, com 410 cavalos e tanques para 12.334 litros, que colhem 180 toneladas em 8 horas. Foi difícil conter entusiasmo. Até a primeira dama, Ana Paula Cameli, arriscou sujar os tênis brancos para subir na máquina e posar para fotos.

Por minutos, Cameli participou ao lado do motorista, na confortável cabine, da colheita do produto, e quando desceu, afirmou que quando o assunto é produção agrícola, preferiu adotar uma política silenciosa e de respeito à sustentabilidade.

“Vamos produzir de forma respeitosa colocando as pessoas em primeiro lugar. Os problemas na área de segurança ocorrem pela falta de oportunidades, e isso nós vamos criar com iniciativas como essa do Jorge Moura”, disse o governador.

O que Cameli tentou explicar sem muito arrodeio e com uma linguagem popular são pactos firmados em tratados internacionais feitos para interromper o desmatamento provocado pela soja na Floresta Amazônica.

Criada em 2006, uma moratória firmou compromisso das associações de empresas que compram grãos no Brasil, consumidoras do que é produzido nas fazendas, inclusive nas do Acre a partir da larga escala iniciada este ano.

Segundo a reportagem apurou, pela moratória, a Associação Brasileira das Indústrias dos Óleos Vegetais (Abiove) e a Associação Brasileira dos Exportadores de Cereais (Anec) se comprometem a não investir em produtores de soja que usam área desmatada.

Para o vice-governador Major Rocha, que chegou cedo na fazenda, as limitações impostas pelas leis ambientais não representam grandes entraves para a expansão da agricultura no Acre, ele defende que a economia continue de olho no mercado andino, asiático e europeu, porque “através da soja serão desencadeadas outras cadeias”, disse.

Foto: Secom/Acre

“O Acre acordou para a produção depois de 20 anos adormecidos” acrescentou Rocha. Ele falou da saída via Pucallpa, afirmando nessa aproximação com os maiores consumidores de grãos do mundo. Para o vice-governador existe uma quebra de paradigma.

“É uma mudança de rumos, o que o extrativismo produziu foi miséria, pobreza e subdesenvolvimento, precariedades das condições de vida da população. Essa aposta é do governador Gladson e minha, de todo o governo para fazer com que o Acre se reencontre com sua história para ajudar a superar a crise que nós vivemos” concluiu.

A irmã do vice-governador, deputada federal Mara Rocha (PSDB-AC) apadrinhou na Câmara dos Deputados, o projeto de lei apresentado pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC) que muda o status da reserva ambiental Parque do Divisor, no Juruá, no trajeto onde deverá ser construída a estrada da nova rota de ligação do Brasil com o Peru, via Pucallpa. Estranhamente, nem Mara Rocha e nem o senador Marcio Bittar estavam no evento.

Na ausência deles, o senador Sérgio Petecão – relator do licenciamento ambiental – representou o Senado e a deputada federal Vanda Milani (Solidariedade-AC), a Câmara dos Deputados. Para Petecão, que fez um discurso improvisado e cheio de muito humor, “o mundo precisa saber que na Amazônia tem gente que precisa se alimentar”, frisou.

A deputada federal Vanda Milani, destacou a desburocratização do setor ambiental pelos órgãos controladores SEMA e IMAC. Recentemente membro da comitiva brasileira na COP-25, a deputada foi enfática quando disse que “não precisamos brigar com a Europa para desmatar, o Jorge Moura é exemplo de que é possível produzir sem agredir o meio ambiente”, destacou.

Produção de Soja em 2020 em todo o Brasil

As lavouras de soja, que ocupam uma área 2,6% maior em todo o Brasil, começam a ser colhidas com uma boa produtividade, mantendo a tendência de crescimento das últimas safras. A produção estimada é de 123,2 milhões de toneladas da oleaginosa, o que também representa um recorde na série histórica, graças à melhoria da distribuição das chuvas que sacrificaram a semeadura no início do plantio de muitos estados. Em Mato Grosso, maior produtor nacional, a colheita já está 25% finalizada, enquanto que em Mato Grosso do Sul e Goiás está no estágio inicial.

Destaque 5

STJ suspende inquérito que investiga filho de deputado acusado de desvio de recursos na merenda

Publicado

em

O Ministro Sebastião Reis Júnior, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acatou um pedido de liminar em favor do empresário Cristian Silva Sales, filho do deputado estadual Manoel Moraes (PSB), para que o inquérito da polícia Civil que que investiga desvio de recursos na distribuição da merenda escolar no Estado do Acre seja suspenso. A decisão do STJ beneficia além de Cristian, Andrea Cristina Sena Araújo, Odimar de Araújo Teixeira, Marcus Samuel Silva Lira, Tiago Leite Silva e Manoel de Jesus Leite Silva, que faleceu recentemente vítima de covid-19.

Os advogados do empresário indiciado pleiteavam a anulação da investigação, porém o magistrado deferiu apenas a suspensão e fez o pedido de mais informações a respeito do caso a 4ª Vara Criminal de Rio Branco, responsável por autorizar a Operação Mitocôndria em abril deste ano.

Os advogados alegaram ao STJ que existe um entendimento que desvio de verbas oriundas do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE, integrante do Fundo Nacional de Desenvolvimento Escolar – FNDE, correspondem ao interesse da união e portanto o Tribunal de Justiça do Acre não teria competência para julgar o caso.

Com reconsideração do ministro, as decisões proferidas pela 4ª Vara Criminal de Rio Branco como medidas cautelares de bloqueio de ativos, indisponibilidade de bens, busca e apreensões e decretação de prisões temporárias, em razão da prática, em tese, dos crimes licitatórios, peculato, corrupção, falsidade ideológica, falsificação de documento público, lavagem de capitais e associação criminosa, estão suspensas até análise do mérito.

Seguindo entendimento do STJ, o juiz Cloves Augusto, da 4ª Vara Criminal, acatou a ordem superior e destacou que considerando a referida determinação de suspensão do IPL em razão da dúvida quanto à competência da Justiça Estadual, entendia que todos os demais feitos devem também ter seu andamento suspenso, para evitar que possível decisão em feitos conexos ou apensos seja considerado como descumprimento da liminar.

Continuar lendo

Coluna do Astério

Enquanto isso, na Escolinha do Professor Gladson…

Publicado

em


_ Aluno Bestene!

_ Presente, professor Gladson!

_ Você anda muito maluvido, vai levar um zero pra começar e terminar a conversa.

_ Mas, professor…

_ Ca-la-do!

_ Senhor Minoru, onde fica o Japão?

_ No Quinari, professor Glads!

_ Vai levar nota dois, não decorou a minha cartilha mas é um menino muito inteligente.

_ Seu Rocha, me responda sem gaguejar…porque você só pensa naquilo, nessa prefeitura?

_ Professor eu quero saber porque o senhor quer escolher uma aluna de outra escola, da farda encarnada, para ser a nossa líder de classe?

_ Porque…ora bolas, porque! Porque eu sou o professor, quem manda sou eu!

_ Seu Petecão da Seis de Agosto…

_ Diga, amado mestre!

_ Como é que você se junta com o aluno Bestene e a dona Maílsa que, por sinal faltou hoje, para bagunçar com a minha aula? Me responda, o que foi que você viu nesse Bocalon?

_ E o senhor professor, o que foi que o senhor viu…

_ Ca-la-do! Quem faz as perguntas sou eu, o professor!

_ Seu Nicolau Júnior, me responda rapidamente…quanto é cinco mais cinco?

_ Depende do senhor, professor!

_ Depende de quê?

_ Vamos discutir na Casa do Povo pra ver quanto vai dar ?

_ Menino bom, vai continuar na presidência do grêmio da escola, e o salário dos deputados!!

_ E o salário dos deputados, Óh!!!

“Escreveu não leu o pau comeu”. (adágio popular)

Quebrando o espinhaço

Nessa queda de braço envolvendo o Palácio, o PSB e o PROGRESSISTA alguém vai ficar desmoralizado. Velando-se de um ditado que diz que “o pau sempre quebra para o lado mais fraco” há de prever para que lado ele vai cair.

Coordenação tucana

O presidente do PSDB estadual , Pedro Correia, o Correinha, e o da executiva municipal, Mário Paiva, são os responsáveis pelas articulações dos tucanos com vistas às eleições municipais, principalmente com a ida do vice-governador major Rocha para o PSL.

Negacionista

O deputado José Bestene (PROGRESSISTA) negava ontem bastante irritado de que tinha capitulado diante da candidatura da prefeita Socorro Neri (PSB) apoiada pelo governador Gladson Cameli. Segundo ele, jamais deixaria Tião Bocalom sozinho sentado à beira do caminho. Tipo a música do Roberto Carlos.

Novos PROGRESSISTAS

Os novos PROGRESSSISTAS Ney Amorim e Moisés Diniz participaram da operação fulmina candidatura Bocalom. O encontro para discutir a retirada do nome de Bocalom foi simplesmente extravagante. Ney e Moisés negam!

Ciro Nogueira é meu amigo

O senador Sérgio Petecão (PSD) disse que o seu amigo e compadre Ciro Nogueira, presidente nacional do PROGRESSISTA já mais vai deixa-lo na mão. Isto significa que tem muita confusão pela frente.

Continuar lendo

Destaque 5

Alan Rick visita Policlínica do Tucumã e destaca sua emenda para equipamentos médicos

Publicado

em

O deputado federal Alan Rick (DEM) visitou na manhã de terça-feira, 7, a Policlínica do Tucumã. O parlamentar foi recebido pelo Gerente Geral João Paulo Nogueira, o Diretor Administrativo Alex Lustosa e Duciana Araújo, Diretora de Assistência.

Na oportunidade, o parlamentar destacou que destinou R$ 160.000,00 para a aquisição de equipamentos médicos para a unidade. O recurso já está na conta da Sesacre.

“Com esse recurso a Policlínica do Tucumã poderá adquirir um novo ultrassom, detector fetal, aminioscópio, cardiotocógrafo, cadeiras e outros equipamentos para a implantação de atendimento especializado para gestantes de alto risco”, disse o deputado.

A Policlínica, que foi Upa até 2017, realiza atualmente atendimentos do Programa Saúde da Família e de outros como o de pediatria, de endocrinologia e ginecologia.

“Trabalhamos com ambulatório especializado. Além disso, montamos um planejamento familiar para a realização de vasectomia e laqueadura. Um ponto de apoio ao Estado. A Policlínica tem feito também teste rápido da Covid-19. Com os recursos do deputado Alan Rick poderemos fortalecer ainda mais o trabalho desenvolvido aqui. Agradeço a ele pela parceria com a Policlínica e por ter um olhar diferenciado para a área da Saúde”, disse João Paulo.

Continuar lendo

Coluna do Astério

Menino bom esse Pádua

Publicado

em

Zé Lezim Duvale

Mamãe já dizia que menino bom é aquele do Zé Geraldo, que escuta qualquer fofoquinha vem logo aqui contar. A frase do governador Gladson Cameli, ao jornalista Luís Carlos Moreira Jorge, no Blog do Crica, de que “vai mandar embora do seu governo todo aquele que não beijar a mão branca da prefeita Socorro Neri só livrando o Pádua [Bruzugu], me fez lembrar da minha “véinha”.Depois de matutar sobre a frase por diversos aspectos, chego à conclusão de que o filho de Martim Bruzugu tá certo. Ninguém pode tirar a razão dele e nem seus méritos. Bem faz ele avisar ao governador que o caminhão de mudança não vai alcançar o Posto Ipiranga.

Mesmo sendo da cozinha do deputado Flaviano Melo, sempre transitou por diversos becos e terreiros. Sabe servir e animar um ambiente como ninguém. Quando o padrinho Flaviano dá uma esticadinha em Brasília, no Rio ou nos EUA, Pádua se achega na casa do Petecão 100% popular. Conta boas piadas, sonoras gargalhadas, faz um lero-lero aqui, outro ali, (o anão Montana Jack chega baba ouvindo o Pádua), por último prepara uma fritada de mandi e pronto! Pode arriar a Devassa! Tá escalado para o lugar no time dos que levam e trazem as boas e más notícias do mundo político acreano. Sabe de tudo…

Com a acessão de Gladson ao governo, o tampinha, chamado nos bastidores do Palácio Rio Branco de “tamborete de forró”, também andou azeitando uma comidinha ao chefe e por sua gentileza e conversa afiada, ganhou espaço na gestão. Se diz leal ao chefe e por contar-lhe coisas que outros não contam, conquistou cadeira cativa no ninho do Cameli. Acontece que nessa confusão toda de apoia não apoia Socorro Neri, Pádua está que nem curió de muda: não dá um pio. Agora ele se encontra entre a cruz e a espada, já que o Roberto Duarte é o candidato do padrinho Flaviano. Vai ter que dá uma no cravo e outra a ferradura!

Funcionou, Pádua! O chefe também te ama, o de Cruzeiro do Sul!

“O risco que corre o pau corre o machado”. (Velho adágio seringueiro aplicado a política por Guiomard Santos)

. O ex-prefeito Tião Bocalom é um sujeito muito sério, não está para brincadeira!

. Muito menos a senadora Mailza Gomes, José Bestene e toda a tropa do Progressista que vê em Bocalom a chance de chegar a prefeitura da Capital.

. “Se os institutos de pesquisas estivessem fabricando uma vacina para o coronavírus estaríamos muito bem porque elas são muitos sérias e verdadeiras”, diz Maria Rosa.

. A Maria Rosa é que nem o Príncipe Myshkim, O Idiota, de Dostoievski, acredita em todo mundo!

. No mundo de hoje continua sendo um incômodo!

. De acordo com o presidente do Avante, Manoel Roque, o partido tem a melhor proposta para governar Rio Branco encabeçada pelo seu pré-candidato, Jarbas Soster.

. Questionado pela coluna sobre a declaração do governador Gladson sobre os que não apoiarem a prefeita Socorro Neri irão catar coco de babaçu no Maranhão, Rocha disse que não tinha nada a dizer.

. “Não sou o governador, nem sou do Progressista, não é um problema meu…”.

. O senador Petecão, Mailza Gomes, José Bestene, deputados estaduais passaram o dia acalmando os afilhados políticos em cargo de confiança.

. Disse na coluna que o alvoroço iria ser grande!

. O esforçado Luziel Carvalho meteu o pé na jaca!

. Deve se juntar ao amigo Fernando Zamora!

. Cá entre nós, o Zamora (gente boa) pulou uma fogueira sem tamanho, escapou de um rabo de foguete para a lua.

. O que iria ter de candidato, cabo eleitoral e eleitor lhe torrando a paciência por dinheiro na campanha não estava escrito em lugar nenhum.

. Maria Rosa se aproxima de mima com uma moeda não mão e vai dizendo:

. “Está vendo essa moeda? Digamos que represente a política, ela tem dois lados, um é a direita e o outro a esquerda, mas a moeda é a mesma”…

. Onde você aprendeu isso?

. “Na minha igreja”!

. Que igreja é essa?

. “Ainda estamos pensando em um nome”!

. Por que isso?

. “Porque um missionário foi pregar o evangelho na parada de ônibus da praça do Calafate confundiram ele com um eleitor de Bolsonaro, acharam que tudo é a mesma coisa, mas não é”.

. Hummmm…

. Deus abençoe a nova igreja!

. Bom dia!

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas