Conecte-se agora

Tomaram o pirulito da boca da oposição

Publicado

em

Martelo batido entre a base do governo e o governador Gladson Cameli: o projeto da Previdência Social será votado na sessão da próxima terça-feira na Assembleia Legislativa. Quem saiu fortalecido e quem foi o grande perdedor nesta contenda? Pelos primeiros movimentos parecia pela mobilização dos servidores que, a ação dos deputados da oposição esmagaria a proposta do governo. Sob o comando do líder do governo, deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), aos poucos a base governista foi comendo o mingau quente da rejeição pela beirada. Começou fazendo um acordo com os sindicatos da Segurança e deu início a uma reação não esperada pelos adversários políticos. Ontem houve uma conversa coletiva positiva com os sindicatos, que a princípio não queriam nem conversar. Até segunda-feira acontecerão reuniões com cada sindicato em separado. A única tentativa de manter a radicalização foi a proposta do deputado Jenilson Lopes (PSB), que defendia a extensão das conversas durante um prazo de 30 dias, rechaçada pelo governo. Para Gerlen, na verdade o que o Jenilson queria mesmo era a continuação do movimento e enfraquecer e desgastar o governo.  “Depois que fomos mostrando ponto por ponto do projeto aos sindicalistas as reações contrárias foram se reduzindo. O que faltava era a informação e todas elas foram fornecidas”, disse o líder do governo. Também foi derrotada a tese do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), que a todo custo queria desidratar a matéria. Neste contexto político dois nomes podem ser apontados como os grandes vencedores do desfecho a favor do governo: o presidente da ALEAC, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS); por manter o diálogo sempre aberto, e o líder do governo, deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), pelas discussões à exaustão. E os dois maiores perdedores, os deputados Jenilson Lopes (PSB) e Edvaldo Magalhães (PCdoB), que no parlamento foram os ícones incentivadores dos protestos. Com o acordo fechado com os sindicatos, tomaram o pirulito da boca da oposição. E o jogo foi jogado. E venceu o diálogo.

QUE LIÇÃO FICOU?

A grande lição que ficou de toda a discussão sobre o projeto da Previdência: o diálogo prevalece sobre a força. Foi o tempo em que as coisas se resolviam ofendendo, na pressão. Alguns, ainda não entenderam que a democracia vigora e ainda gritam “abaixo a ditadura”.

CONDUTAS MADURAS

O que se viu também foram condutas maduras como a do deputado Daniel Zen (PT) e da presidente do SINTEAC, Rosana Nascimento, que defenderam os seus pontos de vista sem agressão verbal. Você não precisa ser a favor de uma idéia ofendendo a quem é contrário.

CANDIDATURA BRECADA

A decisão de ontem do STF nem pode ser vista como uma medida direcionada para a soltura do Lula. Já tinha o direito de liberdade vigiada. É bom esclarecer também que a decisão do STF, que decide dependendo do humor do dia dos ministros, não mexe com a Lei da Ficha Limpa, que proíbe as candidaturas de condenados em tribunais colegiados, como é o caso do Lula.

ASSUNTO EM DISCUSSÃO

A hipótese do PT ter candidatura própria a prefeito em 2020 é um assunto que não morreu, e está na cabeça de muitas das suas lideranças. E se tornaria irreversível, por exemplo, se o partido não figurar com um vice da Socorro Neri, caso ela decida mesmo sair para a reeleição.

PROBLEMA É A REJEIÇÃO

O outro lado é que um candidato a prefeito de Rio Branco, seja quem for, vai pensar duas vezes antes de aceitar um vice indicado pelo PT; não que lá não existam pessoas de bem – conheço muitas – mas pelo desgaste da sua última gestão e a derrota fragorosa nas urnas.

GESTÃO TRANSPARENTE

Enquanto permaneceu no comando da Polícia Militar, o Coronel Ezequiel Bino, teve uma gestão transparente, nunca se recusando a dar informações à imprensa. A sua substituição tem cheiro de ingerência política à milhas de distância. Rio Branco é terra de muro baixo.

TODOS TORCEM A FAVOR

Não consigo pensar que exista alguém que torça contra o sucesso do novo Comandante da PM, Coronel Ulisses Araújo, mas será cobrado com mais vigor pelo cumprimento das promessas que fez na campanha de governo, de que tinha a fórmula para por fim à violência.

FICOU BONITA

Fui ontem ao aeroporto e pude constatar que ficou muito bonita a iluminação a LED inaugurada pela prefeita Socorro Neri, no trajeto para a cidade. As obras da prefeita Socorro são todas feitas com muito carinho. Não há como desmerecer o trabalho que foi feito.

QUE A POLÍTICA ESTEJA LONGE

Até o fechamento da coluna o governador Gladson Cameli não tinha anunciando o nome do novo secretário de Saúde e da equipe. O que se espera é que a escolha não tenha política pelo meio e que, os escolhidos sejam gestores capazes. Passou da hora de testes na SESACRE.

 PONTO FORA DA CURVA

A Segurança no comando do Coronel Paulo César tem problemas a serem solucionados, mas também muitos avanços sob a sua administração. A Saúde é que patinou, patinou e até aqui não conseguiu sair do mesmo patamar do atendimento deficiente do governo passado.

EXEMPLO PARA GUARDAR

As vaias recebidas de manifestantes na ALEAC esta semana devem servir de exemplo ao deputado Roberto Duarte (MDB), de que não adianta fazer mimos para a esquerda, que não terá os seus votos para a prefeitura da capital. Seu nicho político é o que garantiu sua eleição.

BEM LEMBRADO

Leitor atento fez uma correção ao BLOG de que a pré-candidata a prefeita de Sena Madureira, Toinha Vieira (PSDB), não vem de três derrotas nas últimas eleições, mas de quatro derrotas, sendo duas para prefeitura, uma de deputada estadual e outra de deputada federal.

“FORASTEIRO FORTE”

Sou chamado de “forasteiro” pelos adversários, mas devo ser muito forte, ou não estariam todos se unindo para tentar me derrotar, disse ontem ao BLOG DO CRICA, o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB). Diz que se reelege e ainda fará dez vereadores aliados.

COMO SE MUDA DE CAMISA

Não entro nem no mérito da prisão após condenação em segunda instância, mas sim na inconsistência jurídica dos ministros do STF, que mudam de opinião sobre o mesmo assunto a cada julgamento, e com as desculpas mais esfarrapadas possíveis. Por isso o STF é execrado.

O QUE VÃO GRITAR?

Os petistas já gritaram abaixo, a ditadura! Não podem mais gritar, estamos numa democracia. O chavão “Povo unido, Jamais será Vencido”, ficou démodé; com a soltura do Lula, vão perder o cansativo mote do “Lula Livre!”. Vão gritar o quê daqui para frente? 

QUERO MEU TOMATE

O governo Gladson Cameli vai fechando o seu primeiro ano de mandato sem nada de novo na incipiente agricultura do Acre. Continuamos produzindo mal o cheiro verde e a chicória para temperar o peixe. O novo secretário de Agricultura é mais ligado às atividades pecuárias.

AGRONEGÓCIO FICOU NO DISCURSO

O agronegócio ficou nas promessas de campanha. Não se conhece um projeto fruto de uma iniciativa do governo. A plantação de soja que cantaram em verso é da iniciativa privada, sem um investimento do governo estadual. Nem na orientação agrícola para o plantio.

PORQUE NÃO DAR O TROCO?

Vejo algumas críticas ao governador Gladson por anunciar que liberará a segunda parcela do 13° salário dos servidores, dia 13, ás 13 horas. Os petistas não tiraram tanto sarro do Gladson Cameli na última campanha de que atrasaria os salários, ele não pode tirar o seu sarro?

FRASE DO DIA

“O tolo que sabe que é um tolo, ao menos nisso é um sábio. Mas o tolo que se julga sábio, esse sim é que se pode chamar de tolo”. Dhammapada. 

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.