Conecte-se agora

O sistema límbico

Publicado

em

Se nossos professores conhecessem um pouquinho sobre o cérebro, certamente os diversos problemas de aprendizagem e desconhecimento sobre como agir em diversas situações do cotidiano da sala de aulas seriam enfrentados com sucesso. Conhecer a dinâmica do processo de aprendizagem dentro do cérebro e como o aprendizado, seu produto, é realizado nas diferentes etapas, contudo, colocaria a área da educação mais próxima da saúde do que das ditas ciências humanas. Isso provavelmente seria contestado de todos os lados. Por essa razão, o mais recomendável seria colocar a formação de professores e a prática docente ao lado das ditas ciências sociais aplicadas. É preciso que os profissionais da educação conheçam o cérebro para saber como ter acesso a ele, para que possam, como consequência, gerar a aprendizagem tanto desejada. A educação não é uma área apenas de reflexão e debates, como quase todo mundo acredita. É um campo (ou melhor, uma arena) onde as emoções, por mais primitivas que sejam, criam a razão e seus produtos, como a tecnologia. Neste sentido, este ensaio tem como objetivo descrever o sistema límbico e sua relação com a aprendizagem humana.

O sistema límbico está situado na superfície medial do cérebro, não apenas do ser humano, mas de todos os mamíferos. É o responsável por dois fenômenos que estruturam todo o processo de aprendizagem: as emoções e os comportamentos sociais. Essa área é composta por diversas regiões cerebrais, como a amígdala, hipocampo, hipotálamo, insula, córtex cingulado, núcleo accumbens e os corpos mamilares, todos extremamente importantes para a aprendizagem e memória. As emoções acontecem em todo o cérebro, mas estão envolvidas com as funções cognitivas e com as ações, com os atos executivos, o que significa que o sistema límbico participa nos esforços de colocar em prática os aprendizados que o indivíduo detém. Como a ciência tem mostrado, são as emoções que estruturam, ordenam e movem as funções cognitivas (e automáticas) humanas para a ação. Somos todos seres emocionais.

Como as ações são quase sempre manifestação de vontade, materialização de desejos, as emoções, a partir do sistema límbico, conspiram nesse intuito ao mobilizar as memórias de curto e prazo e de trabalho, para que sejam criadas e estruturadas memórias de longo prazo, a partir da experiência efetiva. Quando essa mobilização é bem sucedida, dá-se a satisfação, que é uma espécie de julgamento emocional positivo, reforçando as ligações neuronais, o que transforma a mente e o sentimento daquele que efetivamente aprendeu. Quando há o envolvimento emocional e motivacional com o desejo de ação do indivíduo, as funções cognitivas e executivas operam de forma integrada e internalizada, mas quando as adversidades (desafios, situações ou tarefas) geram ameaças emocionais (desconforto, insegurança, receio ou medo), o acesso às funções cognitivas superiores ficam bloqueadas e comprometem o aprendizado.

Isso quer dizer que é necessário que se criem as condições necessárias para que o aprendizado ocorra. Segurança, cuidado e conforto, por exemplo, são os aspectos essenciais a serem considerados neste intuito. É a segurança, por exemplo, que permite que o indivíduo experimente, fracasse e volte a repetir o experimento; é o cuidado, por outro lado, que permitirá que o aprendiz tome consciência da causa de seus fracassos e volte à ação com sucesso; o conforto permite que o indivíduo tenha o sustentáculo afetivo necessário para, com segurança e cuidado, superar o desafio pretendido e ser bem sucedido. A segurança afetiva é a base mais sólida que se pode construir para edificar o aprendizado. É isso o que explica, por exemplo, por que professores mais disciplinadores e afetivamente envolvidos conseguem padrões superiores de desempenho de seus alunos que os docentes permissivos, amigos e extremamente cordiais.


 

Daniel Silva é PhD, professor e pesquisador do Instituto Federal do Amazonas (IFAM) e escreve todas às sextas-feiras no ac24horas. 

Anúncios

Daniel Silva

Planejamento e execução da inovação

Publicado

em

Continuar lendo

Daniel Silva

Lideranças na inovação

Publicado

em

Continuar lendo

Daniel Silva

Comunicação na inovação

Publicado

em

Continuar lendo

Daniel Silva

Motivação na inovação 

Publicado

em

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas