Conecte-se agora

Chuvas desta segunda-feira derrubam bandeira acreana

Publicado

em

As fortes chuvas que atingiram Rio Branco na tarde desta segunda-feira, 30, confirmaram as previsões feiras pelos principais institutos de meteorologia.

O Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), previu que o dia seria de muitas nuvens com curtas aberturas e pancadas de chuva localizadas que poderiam ser fortes e vir acompanhadas de trovoadas a qualquer hora do dia.

Uma das consequências dos cerca de 20mm de chuvas previstos para capital foi a queda de parte da bandeira do Acre que fica situada às margens do Rio Acre, no mastro da Gameleira, região central de Rio Branco.

Um vídeo que circula na internet mostra o símbolo acreano sobre a fiação momentos após a queda. O pavilhão acreano já apresentava fissuras em decorrência das chuvas das últimas semanas.

A bandeira possuía 14×20 metros e era parte componente do monumento em homenagem ao Centenário da Revolução Acreana.

Veja o vídeo gravado por Hudson Sotero:

[videopress klThNHYd]

Destaque 6

Boi, banana e mandioca geraram valor de produção de R$ 2,5 bilhões em agosto no Acre

Publicado

em

As estimativas de safras divulgadas pela Conab e IBGE neste mês de agosto, mostram que o Valor Bruto da Produção (VBP) do Acre estimado é de R$2.549.091.137,00, maior que cinco Estados: Paraíba, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Roraima e Amapá.

No País, o VBP é de R$ 1,220 trilhão (um trilhão e duzentos e vinte bilhões), 0,3% acima do obtido em 2021, que foi de R$ 1,217 trilhão. As lavouras tiveram um acréscimo de valor de 3,0% e a pecuária, contração de -5,5%.

Para o Acre neste período, são destaques a criação de boi, que chega a R$ 1.567 bilhão de VBP; a banana com R$625 milhões, e a mandioca com R$ 461 milhões.

Aliás, esse valor faz põe a mandioca produzida no Acre a 3ª com maior VBP na Amazônia. No País, o decréscimo do faturamento da soja devido à queda de produção e a retração das principais atividades da pecuária são os principais fatores afetando negativamente o VBP deste ano. Somadas, as reduções de faturamento da soja e da pecuária resultam em um decréscimo de R$ 64,0 bilhões a preços de 2022.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (15) pelo Ministério da Agricultura e Pecuária.

Continuar lendo

Destaque 6

Quase 100 mil eleitores acreanos não são obrigados a votar em 2022

Publicado

em

Ao menos 98.935 eleitores acreanos não estão obrigados a votar nestas eleições. São jovens entre 16 e 17 anos, idosos acima de 70 anos e pessoas não alfabetizadas.

Os adolescentes somam 12.769 aptos a votar, mas não são obrigados a fazê-lo. Além deles, são 49.707 analfabetos e 36.397 com idade superior a 70 anos.

O voto é obrigatório para eleitoras e eleitores alfabetizados, com idades entre 18 e 70 anos.

“O alistamento eleitoral e o voto são facultativos para maiores de 16 anos e menores de 18 anos; maiores de 70 anos; e analfabetos”, informa o Tribunal Superior Eleitoral.

O Acre tem 588.433 aptos ao exercício do voto em 2022. Assim, 16,6% dos eleitores não estão obrigados ao voto.

Um em cada sete eleitores brasileiros não é obrigado a comparecer às urnas em 2022, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O percentual de voto facultativo, que vinha caindo nas últimas eleições. De acordo com a Constituição, o voto é opcional para esse grupo. Estes cidadãos não precisam se registrar e, caso o façam, seu voto não é obrigatório.

Continuar lendo

Destaque 6

Pros retira candidatura e decide apoiar Lula, que iguala maior coligação da história

Publicado

em

A nova executiva nacional do Pros (Partido Republicano da Ordem Social) se reuniu nesta segunda-feira (15) e decidiu, por unanimidade, retirar a candidatura presidencial do coach motivacional Pablo Marçal e apoiar Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Caso isso se confirme, o petista chegará a dez partidos em seu entorno, igualando o recorde histórico de Dilma Rousseff em 2010. Conseguirá também aumentar em alguns segundos seu tempo de propaganda no rádio e na TV, que já é o maior.

O Pros passa por uma disputa interna de poder que já envolveu várias decisões judiciais que ora colocam uma ala no comando, ora outra.

Na última, o ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Ricardo Lewandowski concedeu liminar, no último dia 5, devolvendo o comando do partido ao seu fundador, Eurípedes Jr. A decisão foi referendada pelo plenário do TSE, por 4 votos a 3.

Até então, o presidente era Marcus Holanda, que havia bancado a candidatura presidencial de Marçal.

O coach disse, em nota distribuída por sua assessoria, que haverá uma renúncia coletiva dos candidatos do Pros caso o partido “retire sua postulação e se curve ao PT”.

“Os 911 candidatos que vieram ao meu convite sairão do partido, isso inviabilizará todas as nominatas homologadas na convenção e será a última eleição do Pros”, disse Marçal.

Caso não haja reviravolta no comando do partido por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), a Justiça Eleitoral deve ratificar a retirada da candidatura de Marçal e o apoio da sigla a Lula.

A campanha começa oficialmente nesta terça-feira (16).

Continuar lendo

Destaque 6

Petrobras anuncia redução de R$ 0,18 no litro da gasolina

Publicado

em

Por

A Petrobras anunciou hoje uma queda de 4,9% no preço da gasolina em suas distribuidoras. De acordo com a estatal, o preço cairá de R$ 3,71 para R$ 3,53 por litro, uma redução de R$ 0,18 por litro. O novo valor vale a partir de amanhã e não afeta os demais combustíveis.

Com a nova redução, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,70, em média, para R$ 2,57 por litro vendido na bomba, ao considerar a mistura de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro. A estatal estima uma economia de R$ 0,13 por litro nas bombas.

Essa é a terceira vez que a Petrobras reduz o preço da gasolina desde que Caio Mário Paes de Andrade assumiu o comando da empresa em junho. A petroleira havia diminuído os preços da gasolina nos dias 20 e 29 de julho.

O alto valor dos combustíveis tem sido há meses um problema para o presidente Jair Bolsonaro (PL), que busca a reeleição. O chefe do Executivo fez consecutivas mudanças no comando da estatal e foi acusado de interferir politicamente.

Bolsonaro também criticou o lucro da petroleira e chegou a usar termos como “estupro” e “absurdo” ao falar sobre os ganhos recordes da Petrobras, mas omitiu que a União é a acionista controladora e dona da maior fatia das ações da Petrobras.

“Essa redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio”, informa a companhia.

Redução no preço do diesel

Na semana passada, a Petrobras também anunciou uma nova redução no preço do diesel para as distribuidoras: o valor passou para R$ 5,19 por litro, uma economia de R$ 0,22.

De acordo com a Petrobras, considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a comercialização do combustível comercializado nos postos, o preço para o consumidor final passará de R$ 4,87, em média, para R$ 4,67 a cada litro vendido na bomba.

De acordo com a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), haveria espaço para uma queda de preços de R$ 0,60 do combustível, já que o preço médio interno do diesel está 13% acima do mercado internacional.

Mudança na política de reajustes

As reduções nos valores dos combustíveis ocorrem após a Petrobras mudar a dinâmica de reajuste dos combustíveis no mês passado. Na ocasião, a estatal informou que o conselho de administração e o conselho fiscal da companhia passarão a supervisionar a execução da política de preços.

Para isso, a diretoria executiva da estatal —que é responsável por determinar os reajustes dos combustíveis— deverá informar os dois conselhos, a cada três meses, sobre a evolução dos preços do diesel, da gasolina e do gás no Brasil, além da participação da Petrobras em cada mercado.

Segundo especialistas do mercado de petróleo, a mudança aumenta a pressão do governo federal sobre as decisões de preços.

Redução do ICMS nos estados

Desde julho, os estados estão reduzindo a alíquota do ICMS sobre os combustíveis em atendimento à lei aprovada no Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro que limita a porcentagem do imposto sobre esses produtos e serviços, que passaram a ser considerados essenciais.

Além dos combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo são impactados pela redução da alíquota.

O movimento foi uma tentativa do governo de frear a escalada de preços no Brasil, principalmente a dos combustíveis. No início deste mês, integrantes do Centrão chegaram a avaliar que Bolsonaro pode perder as eleições se o governo não conseguir baixar o preço dos combustíveis e passaram a fazer pressão para que alguma medida fosse tomada.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.