Conecte-se agora

Star Motos completa 22 anos com quase 150 mil motocicletas vendidas no Acre

Publicado

em

O Grupo Star Motos completa este mês 22 anos. E tem motivos de sobra para comemorar: já são quase 150 mil motocicletas vendidas desde a sua fundação. Nesta quarta-feira, 3 de abril, o CEO do Grupo, Osvaldo Dias, passou no Bar do Vaz e explicou a magia que fez uma simples revenda de motos, se tornar uma das mais importantes empresas do Acre, gerando cerca de 200 empregos diretos. Veja a entrevista!

video

Cotidiano

Ex-chefe de gestão da SEE diz que abertura de processo administrativo é normal

Publicado

em

O ex-chefe do departamento de gestão de redes da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esportes, José Ferreira Rego, em nota ao ac24horas, se pronunciou acerca da instauração do processo administrativo disciplinar (PAD) publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira, 22, pela atual gestora da pasta, Socorro Neri.

Em nota, o professor Rêgo, como é conhecido, esclareceu que no ano passado o seu departamento recebeu sete equipamentos eletrônicos, sendo cinco computadores que foram instalados e dois notebooks que foram guardados no departamento, no entanto, há cerca de dois meses os equipamentos sumiram enquanto ele estava de férias.

Ele explicou que na época foi registrado um Boletim de Ocorrência (BO) para apurar o sumiço dos equipamentos. Segundo o ex-gestor, a abertura do PAD é normal dentro do serviço público e que como chefe de departamento na época era o responsável pela guarda do patrimônio, mesmo estando de férias na referida época em que os equipamentos sumiram.

O ex-gestor explicou que apesar da polícia e da sindicância não terem encontrado informações acerca do sumiço dos equipamentos, todos os servidores do departamento, inclusive, ele, realizaram uma cota para a reposição dos equipamentos que sumiram.

“Sobre a matéria que saiu envolvendo o meu nome quero esclarecer que é um procedimento normal, o ano passado recebemos 5 computadores que forem instalados e 2 notebooks no departamento de gestão, guardamos os notebooks em um armário dentro da minha sala, cerca de 2 meses depois eu estava viajando quando a secretária precisou usar os notebooks e percebeu que os mesmos não estavam no armário, entrou em contato comigo, orientei para fazer um BO [Boletim de Ocorrência], quando retornei fizemos o encaminhamento para o Departamento de Sindicância, tudo dentro da normalidade do serviço público, a Sindicância fez o trâmite legal, me ouviu e ouviu também outras pessoas do departamento, fizemos os esclarecimentos, aprontaram um relatório e encaminharam para a secretária que autorizou abrir o PAD, também tudo dentro dos procedimentos normais, como Chefe do Departamento sou o responsável pela guarda do patrimônio lotado nele, a solução que encontramos, mesmo tendo a consciência tranquila foi comprar outro equipamento equivalente e repor o bem, todos no nosso Departamento participaram do processo de compra para devolução, a Secretária Socorro Neri fez somente o procedimento legal, como Secretária tem o dever de zelar também por todo o nosso patrimônio, em nenhum momento ela teve a intenção de me prejudicar, é um procedimento normal do serviço público”, explicou.

Por fim, o ex-diretor de departamento da SEE afirmou que fez o seu melhor e agradeceu ao governador Gladson Cameli (Progressistas) pela oportunidade dada na gestão.

“Passei todo esse período na Gestão da SEE, fiz o meu melhor, consegui o respeito de nossos Gestores e Professores, a mudança é um processo natural, a secretária tem que fazer a equipe de confiança dela, os cargos políticos não são nossos, são do governador, só tenho que agradecer o período que permaneci”, salientou.

Continuar lendo

Acre

Indígenas vão ao STF contra estrada que quer ligar Acre e Peru

Publicado

em

O líder indígena  Ashaninka, Francisco Piyãko e a coordenadora da  Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – Apib,  Sonia Guajajara, se reuniram nesta terça feira, 22,  em Brasília, com o presidente do Supremo Tribunal Federal – STF, Luiz Fux.

Piyãko, que é coordenador da Organização dos Povos Indígenas do Rio Juruá – Opirj, afirmou a Fux, que  a construção da estrada entre Brasil e Peru, que vai de Cruzeiro do Sul a Pucallpa, cortando o Parque Nacional da Serra do Divisor, será um desastre para toda a região e vai atender somente  interesses políticos e empresariais, sem nenhum benefício para a população.

Ele diz que nenhuma consulta prévia foi feita às comunidades e que o local abriga uma das regiões de maior biodiversidade do mundo, além de passar por territórios de índios em isolamento voluntário no país vizinho. Piyãko explica que é preciso adotar  outras formas de desenvolvimento para a Amazônia, que não inclua estradas como esta.

“O desenvolvimento não pode ser pensado apenas a partir de uma estrada, existem outras formas de viver bem aqui na floresta. O que está ocorrendo nesta fronteira, é uma articulação entre os poderes brasileiros e peruanos para massacrar e destruir os povos tradicionais e acabar com a paz, naquele local. Nós estamos com os dias contados, diante de tudo que a gente enfrentou, esse pode ser o momento mais difícil de nossas vidas. Não conseguimos visualizar, como vai ser o futuro das próximas gerações no meio deste sistema devastador, que está chegando em nossas comunidades”, declarou.

Segundo a Assessoria de Comunicação da Associação Apiwtxa, o ministro Luís Fux se colocou à disposição das lideranças a fim de que se cumpra o direito indígena e contra a violação de direitos nos territórios. Confira na íntegra (https://apiboficial.org/files/2021/06/DOC-FUX-STF.pdf)

Protestos no Brasil e no Peru

Povos indígenas do Acre lançaram um manifesto se posicionando contra a construção da estrada, nesta semana. “Queremos escolher nosso modelo de desenvolvimento, com ações que melhorem a qualidade de vida e que sejam ao mesmo tempo sustentáveis, que se sustentam por muito tempo para que nossos netos e netas vivam bem”, cita o manifesto assinado por diversas organizações.

Atualmente, de acordo com Pyanko, a construção de outras estradas ameaça as comunidades indígenas e não indígenas na proximidade da Terra Indígena Kampa do Rio Amônia, do povo Ashaninka, na Aldeia Apiwtxa. Como as duas do lado peruano, ligando as comunidades de Nuevo Italia a Puerto Breu, cortando as cabeceiras de rios essenciais para os povos daquela região.

Imagens de satélite mostram cerca de cinco pistas ilegais, construídas ao longo da estrada UC-105, entre Nuevo Italia e Puerto Breu, em uma das regiões com maior produção de coca do Peru

No Peru, também existe luta dos povos tradicionais contra esses ataques. Berlín Diques, presidente da Orau (Organização Regional AIDESEP Ucayali), esteve na aldeia Apiwtxa, na última semana, para juntar forças e apresentar informações da situação em seu país. Ele afirma que quem está financiando as estradas são grupos ligados ao narcotráfico e a exploração madeireira.

“No ano passado, em plena pandemia da Covid-19, de abril de 2020 até fevereiro deste ano morreram seis líderes indígenas, de uma região de conflitos, somente por defenderem o território. Nós estamos sendo perseguidos pelas grandes máfias somente por defender o nosso território”, afirma Berlín.

Continuar lendo

Acre

“Não sujem o CPF de vocês para não sujarem o meu”, diz Bocalom em áudio para secretários

Publicado

em

Em um áudio vazado do grupo de Whatsapp dos secretários, o prefeito Tião Bocalom (Progressistas) recomendou a todos cuidado e atenção redobrada na realização de procedimentos licitatórios na Prefeitura de Rio Branco.

Segundo informações apuradas pelo ac24horas, o áudio teria sido gravado pelo gestor há um mês. A gravação surge após questionamento de vereadores acerca das dispensas de licitações que vem ocorrendo no âmbito da gestão municipal.

No gravação, o gestor cobrou dos secretários e desautorizou qualquer um a celebrar licitação com preço que não seja o de mercado. “Boa noite aos secretários, mas é o seguinte, eu quero abrir os olhos de vocês nessa questão de licitação, uma quantidade enorme de licitação que está sendo feita. Por favor, antes de vocês homologarem verifiquem se os preços estão dentro do preço do comércio, não homologue licitações fora do preço de praça porque isso dá problemas, vocês sabem!. Eu já disse, não sujem o CPF de vocês para não sujarem o meu”, afirmou.

Em outro trecho, Bocalom orienta os gestores a separarem um dia para verificar, seja por meio de ligação ou pela internet se cada preço em um processo licitatório está de acordo com o valor de mercado.

“Não custa separar um dia, pegar a licitação e ligar pra ver o preço do comércio, a internet também tá aí pra isso. Quanto custa essa torneira aqui? Aquilo? Hoje mesmo conversei com uma pessoa de outra prefeitura e me chamou atenção que eles licitaram pneus de ônibus que custam R$ 1.8 mil e o cara ganhou a licitação com preço de R$ 3 mil e eles disseram que foram obrigados a homologar e aqui ninguém é obrigado a homologar isso não. Se estiver fora do preço de mercado, não homologuem. Eu não autorizo ninguém a homologar licitação com preço fora de mercado, por favor, tá bom? Pra não sujar nem o meu CPF e nem o de vocês”, afirmou.

Nesta terça-feira, 22, o vereador Fábio Araújo (PDT) na sessão da Câmara de Rio Branco criticou a falta de informações numa dispensa de licitação no valor de R$ 400 mil dividido em 20 meses no aluguel de cinco galpões na rodovia AC-40 no bairro do Amapá, no 2º Distrito, da capital. O parlamentar afirmou que faltam dados simples, inclusive, de quem seria o locador do local que não consta no documento exibido aos pares da Casa. Ele também mostrou imagens de dentro do galpão retiradas por sua equipe de assessores.

“O que me chamou mais atenção é que na publicação, o prefeito está dispensando R$ 400 mil, só que não há o locador, do beneficiário, ou seja, para quem ele está dispensando, para quem ele está pagando esse dinheiro?. Tem que ter nessa publicação os beneficiários ou ele tá alugando o prédio de um fantasma? Não há nenhuma informação para os órgãos de controle”, destacou o vereador.

Tentando contrapor Araújo, o vereador Samir Bestene (PP), do mesmo partido de Bocalom, afirmou que a contratação do galpão resultará em uma economia mensal de R$ 8 mil aos cofres públicos. “Esse contrato de R$ 20 mil por mês por dois anos vai dar os R$ 400 mil e vai resultar em uma economia de R$ 8 mil reais. Se há erro no termo de dispensa, que a prefeitura retifique as indicações que você passou”, minimizou.

Continuar lendo

Acre 01

Homem é preso por fingir ser perito criminal e falsificar atestados médicos no Acre

Publicado

em

Uma ação do Policiais Militares do 3° Batalhão resultou na prisão do foragido João Valbecir Alves Barbosa, de 52 anos, na tarde desta terça-feira, 22. A prisão aconteceu na rua São Francisco, situado no bairro Montanhês em Rio Branco.

A guarnição policial estava fazendo um patrulhamento de rotina na região quando avistou o foragido em um veículo modelo Sandero, de cor branca. Foi feita a abordagem e João foi preso. Segundo a Polícia, João Valbecir estava com dois mandados de prisão em aberto pelos crimes de estelionato e porte ilegal de arma de fogo.

A Polícia informou ainda ao ac24horas, que Valbecir dizia a várias pessoas que era Perito Criminal, inclusive usava até uma blusa de cor preta com o símbolo da Polícia Civil. Disse ainda que o criminoso falsificava documentos e até atestado médico.

Durante a prisão, o foragido ainda tentou enganar os policiais alegando ser Perito Criminal, na tentativa de não ser preso, mas os Policiais já sabiam toda a verdade sobre João Valbecir.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão e o criminoso foi encaminhado à Delegacia de Flagrantes (Defla) para os devidos procedimentos. Valbecir está à disposição da justiça e será encaminhado ao presídio Francisco de Oliveira Conde.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.