Conecte-se agora

Os quase 100 dias de Gladson versus Gladson

Publicado

em

Como falta pouco para os 100 dias do governo Gladson Cameli, eu vou me antecipar aos comentários de colegas que virão na data. Que sucedeu ao pior governador dos 20 anos do poder do PT, que deixou o Estado como terra arrasada, isso já se sabe. E vencedor sabia na campanha que o saldo a ser recebido seria negativo. O que vejo é o governador Gladson Cameli bem intencionado, querendo fazer as coisas andarem, mas peca quando parte para a execução, saiu atabalhoado e sem uma espinha dorsal no seu discurso. Um dia nomeia e no outro exonera. Não pode se exigir obras públicas, isso seria uma incoerência, em quase três meses de gestão. Mas deu tempo para apresentar avanços pontuais nos dois setores mais fracos no governo anterior: Segurança e Educação. E não aconteceu no macro e nem no mínimo. Na Segurança, em que pese a melhoria na elucidação dos crimes, nada mudou para que possamos dizer que a população está mais tranquila. É assalto às residências, roubo de motos, arrastões nos ônibus, continuamos a sair nas ruas á noite temerosos e olhando para um lado ou outro ao se chegar em casa. Continua o clima de terror. Os restaurantes para funcionar têm que contratar seguranças. Onde ficou a fanfarronice do seu secretário que, em “10 dias” se notaria mudança no combate ao crime? E olhe que o governo tem dado condições operacionais aos que comandam a Segurança. Rio Branco continua a ser uma das cidades mais violentas do país. Na Saúde, as filas para consultas, cirurgias e exames continuam não andando, o deprimente quadro do corredor do HUERB com doentes em macas permanece inalterado, se reclama da falta de médicos e medicamentos na UPAs, enfim, não posso ser agradável e dizer que tudo está às mil maravilhas, depois que o PT foi enxotado do governo pelo povo. Numa comparação entre o desastrado governo do Tião Viana e o do Gladson Cameli, nas pastas da Saúde e Segurança pode ser dito que, pelo menos neste início, está zero x zero na falta de eficiência. A articulação política não existe. Cada um por si. Os secretários Ney Amorim e Vagner Sales estão nos cargos com esta função como enfeites. Desconheço ações efetivas de ambos. A base do governo na ALEAC está esfacelada, não há unidade de ações. Virou uma moda estranha a toda hora ameaçar demitir secretários. Não deu resultado, demita, mas cesse a ladainha! A chamada “despetização” foi um grande blefe. Os seus aliados vociferam protestos nas redes sociais. A maioria dos secretários está lhe trazendo mais problemas que soluções. É só contar o número de manifestações na porta do seu gabinete. Vai ganhar o quê, por exemplo, brigando com os médicos? Muito atarantado, muito atarantado este início de governo. Não se governa apenas com boa vontade. O principal inimigo do governador continua a ser o próprio. Virou uma eterna batalha do Gladson versus Gladson. Ainda assim, nutro a esperança de que, por mais que não avance, não conseguirá bater o recorde de fazer uma administração pior que os últimos quatro anos do antecessor Tião Viana. Mas, que seu governo está sem rumo, neste começo, está. E não vou ser agradável e lhe dizer que o céu está azul. Aos que batem no seu ombro dizendo que anda tudo bem, coloque para correr: estão mentindo. No mais é esperar que correções venham a ser feitas. Para isso o PT foi derrotado.

UM PONTO POSITIVO

O Gladson Cameli, no quesito democracia, bate o antecessor Tião Viana. Gladson tem se mostrado no poder ser um democrata, aceitando críticas, mesmo as que, considere injustas. O Tião foi um governante raivoso, rancoroso, intimidava com ações na justiça. E deu no que deu.

PRISÃO ESPETACULOSA

Nem o PT e o PSOL em seus radicalismos endossaram a prisão do ex-presidente Temer. Juristas do mais alto valor repudiaram, juridicamente, o ato espetaculoso. Qual o perigo que o Temer representa à ordem pública? A prisão preventiva, uma exceção, transformou-se em regra geral. Não entro no mérito, discuto a peça da prisão.

PEDIDO AO BABALORIXÁ JARUDE

O nosso vereador e Babalorixá, Pai Jarude do Congo, disse na Câmara Municipal de Rio Branco, que tinha “previsto” a prisão do Temer. Deve ter jogado os búzios. Ninguém ouse a fazer o mesmo pedido, sou o primeiro: consiga os números da próxima Mega-Sena. Serve da Quina.

SAINDO DO CAMPO MÍSTICO

Saindo do humor místico, endosso a crítica do vereador Emerson Jarude de que o governo Cameli tem de parar de continuar a jogar a culpa de tudo no desastrado governo Tião, que já foi enterrado pelas urnas vítima da mediocridade. Se há ilegalidade, que se denuncie no MP.

MEU CORAÇÃO É VERMELHO

Durante a campanha, o candidato Gladson Cameli deu uma surra nas redes sociais na turma que defendia o candidato Marcus Alexandre. Foi um massacre. Hoje, é rara a defesa, que se limita só a um diminuto grupo. Acusação dos aliados: O Diário Oficial avermelhou.

ARARUTA TEVE SEU DIA DE MINGAU

Até aqui, a deputada federal Mara Rocha (PSDB), era só proselitismo político. A sua primeira ação de alcance coletivo é o projeto que dá para efeito de transplante de órgãos a chamada “presunção de aceitação” para a retirada de órgãos. Não se precisaria mais de prévia autorização. É o caso de que, a araruta teve o seu dia de mingau.

NO MUNDO DA FANTASIA

Pois é, nos poucos dias que passei fora, foi só de equívocos no governo Gladson. Alguns deles, até divertidos. Li sobre a “demissão” do “Porta-Voz” Rogério Wenceslau e a nomeação da Mirla Miranda para ser a nova “Porta-Voz”. Nem o Rogério foi “demitido” do cargo e nem a Mirla “nomeada”, por um motivo, senhores: o cargo foi extinto na Reforma Administrativa.

DE CALADOS, CONIVENTES, A VALENTES

Vou às redes sociais e vejo um punhado de valentes, que integravam a cúpula do desastrado governo passado, varrido das urnas de forma humilhantes, a empunharem a lança de Dom Quixote e a lancear com críticas e cobranças o governo Cameli. Com que legitimidade? O seu Mané, a dona Chica, ou seu Chicó podem cobrar, a vocês estavam na canoa que afundou.

MP NELES

Em boa hora o deputado Luiz Tchê alertou para a chegada no Acre da “RCC Alimentos”, na sua visão, mais uma pirâmide financeira. Com a palavra, a combativa Promotora Alessandra Marques. Não pode se repetir o engodo de milhares de acreanos na Telexfree.

FOGO DE MONTURO

Queima como fogo de monturo em setores importantes do governo o descontentamento com o secretário de Planejamento Raphael Bastos. A fonte é confiável. A “República do TCE” estaria atiçando as brasas.

MANIFESTAÇÃO DO DESCONTENTAMENTO

Dirigentes da oposição marcaram reunião para hoje às 17 horas, em Brasiléia, para discutir o papel do grupo frente à prefeita Fernanda Hassem (PT). Estão furiosos por o governador Gladson, na visita ao município, só ter se reunido com os petistas e com a prefeita. E para as lideranças da oposição da região, fez de conta que não existia. O choro é grande na fronteira.

POR UMA CIDADE MELHOR

A prefeita Socorro Neri está com as equipes na rua e a cada estiagem deste inverno rigoroso, atua com frentes de tapa-buracos. A sua aliança com o governo Gladson no campo institucional por uma cidade melhor mostrou a maturidade de ambos. Política, só no palanque.

ENTRA SIM NO JOGO

No campo legal a prefeita Socorro Neri é impecável. Toca duas pastas problemáticas, Saúde e Educação, sem muitas queixas. Caso consiga chegar na eleição do próximo ano com as ruas da cidade sem os buracos que a população tanto reclama, com razão, entra no jogo da reeleição.

ERRO DE ESTRATÉGIA

Caso o governo comece a terceirização do sistema de saúde por Brasiléia, inverterá o papel de prioridades. O que tem de reverter é a imagem negativa do HUERB, onde se concentra o grosso da procura da população de pacientes e as queixas de falta de um bom atendimento.

NÃO FICARÁ FORA

O grupo da deputada federal Vanda Milani (SD), por certo, não ficará fora da disputa da prefeitura de Epitaciolândia, município onde foi bem votada. Se for para a campanha com o ex-prefeito Luizinho Hassem, querido na região, o grupo entrará na eleição com chance de uma vitória.

BOA PRAÇA, MAS NÃO DECOLOU

O prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, é uma daquelas pessoas agradáveis numa conversa, boa praça, mas não repete a sua primeira administração, de onde saiu bem avaliado. Nesta sua nova gestão não conseguiu decolar, se arrasta, e recebe críticas diárias dos mais variados setores.

PODE ESQUECER

Os funcionários efetivos do DETRAN têm o direito de lutarem por melhores salários e condições de trabalho. É improvável o governo atender a questão salarial, outras categorias vão querer. E existe o limite prudencial com gasto de pessoal, que não pode ser ultrapassado por quem governa, sob pena de cometer improbidade administrativa.

QUEM É O LOUCO?

A pergunta acima é cabível, para saber quem é a cabeça pensante deste governo que incentiva o Cameli a brigar com os médicos e ameaçar trazer os médicos formados na Bolívia. Não pode, Gladson, a Lei Federal não permite! Seria exercício irregular da Medicina. Tem de ter CRM.

ENTREVISTA PERFEITA

Coerente a entrevista da deputada Janaína Pascoal (PSL), a mais votada do país, nas Páginas Amarelas da VEJA, da semana anterior, quando diz que os direitos entre homens e mulheres devem ser iguais em tudo. E defende que homens e mulheres se aposentem com a mesma idade. E desanca a histriônica Ministra Damares Silva e as suas idéias medievais. Vale ler.

PARA MELHOR

Mudou para melhor a rádio Aldeia FM, agora sob o comando do jornalista Jairo Carioca. Programação eclética e mesclada de informações. Deixou de ter uma programação pastosa.

COMEÇO DE MANDATO POSITIVO

Que belo começo de mandato da senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS), quebrando a expectativa de que iria ao Senado para fazer número. A sua homenagem à primeira senadora negra Laêlia Alcantara e á primeira governadora do Acre, Iolanda Lima, com o prêmio Berta Lutz, que homenageia as que se destacam na defesa dos direitos das mulheres é muito justa.

DISPARADA A MAIS ATIVA

Fora o senador Sérgio Petecão (PSD), veterano no mandato, a segunda pessoa em importância na hierarquia na mesa diretora do Senado; que conquistou o seu pódio, a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) é entre os novos senadores acreanos a que mais tem produzido pautas positivas. No dia 29 de março estará realizando na capital o seminário “Mulheres Acreanas Fazendo História”, para a discussão de políticas públicas a favor da classe.

QUER VIRAR JACAMIN?

Leio que o Gladson Cameli estaria disposto a assumir os escombros do programa “Ruas do Povo”. Recuso a acreditar! Se o fizer entrará na maior trapalhada do seu governo. As ruas foram destruídas no primeiro inverno, porque foram mal feitas e direcionadas pelo Tião Viana para eleger o Marcus Alexandre no seu primeiro mandato. A qualidade foi zero, tanto que as ruas derreteram. Dar o aval, entrando com frentes de recuperação, chancelando o fracassado programa, funcionaria como uma espécie de salvo-conduto do mal feito. Quer virar Jacamin dos filhos do Tião Viana, Gladson Cameli? Não bastam os abacaxis no seu colo, a serem descascados?

Blog do Crica

Candidata em qualquer cenário

Publicado

em

SOBRE nota do BLOG de que a deputada federal Jéssica Sales (MDB) esperava um sinal do governador Gladson Cameli para ser a candidata ao Senado da sua chapa, o ex-prefeito Vagner Sales – que comanda o grupo dos Sales no Juruá, com vereadores, a deputada Antônia Sales (MDB) e a própria Jéssica Sales (MDB) – disse ontem ao BLOG que a candidatura da Jéssica a senadora em 2022, não é dependente do governador lhe apoiar ou não, será candidata em qualquer cenário.

 Vagner diz que vai tentar que a parlamentar seja a candidata a senadora na chapa de Cameli, mas se isso não acontecer ainda assim estará na disputa da única vaga para o Senado, na eleição do próximo ano. Jéssica já teve a sua candidatura referendada pelas direções regional e nacional do MDB, está em pré-campanha aberta, e tem feito várias declarações que o seu foco político é a candidatura a senadora em 2022. “Estamos trabalhando pela unidade sim (candidatura única) ao Senado, mas se não der não será por isso que ela não será candidata, a candidatura dela não tem volta”, garantiu ontem ao BLOG Vagner Sales. 

O MDB vai para a mesa das conversas políticas no próximo ano, buscando na aliança com o governador Gladson Cameli, para que este abra na sua chapa a vaga do Senado, para o partido indicar a Jéssica.

NOVO CENÁRIO

COM A DECLARAÇÃO do ex-prefeito Vagner Sales sobre a irredutibilidade da candidatura ao Senado do MDB, abre uma fissura dentro da sigla. Isso praticamente empurra o senador Márcio Bittar (MDB) para fora do partido, já que, a sua candidata ao Senado é a professora Márcia Bittar.

OUTRO QUE PULA FORA

OUTRO que pula fora no cenário pintado no MDB é o deputado Roberto Duarte (MDB), que já declarou o seu apoio para a candidatura da Márcia Bittar a senadora.

BEM MENOR

COM A DEBANDADA anunciada do prefeito Mazinho Serafim do MDB, o partido caminha para começar a disputa eleitoral do próximo ano bem menor que hoje.

MÃE DE TODAS AS BATALHAS

A DISPUTA em outros colégios eleitorais do estado é importante para o somatório de votos, mas será na capital, onde se concentra o maior contingente de votantes, que será travada a mãe de todas as batalhas entre os candidatos a senador e a governador em 2022.

QUESTÃO DE TEMPO

NÃO HÁ NENHUMA SURPRESA no fato do presidente Bolsonaro abrir as pernas do seu governo para domínio do Centrão. No atual sistema presidencial, ninguém governa sem o parlamento. Mais cedo ou mais tarde cederia; e quem não cedeu, como Collor e Dilma, caíram.

APOSTANDO NO DESGASTE

OS APOIADORES das candidaturas do deputado Jenilson Leite (PSB) ao governo e do  governador Gladson à reeleição, apostam as suas fichas no aprofundamento do desgaste da gestão do prefeito Bocalom, para colar a sua imagem negativa na candidatura do Petecão ao governo.

BOM TEMPO

O Bocalom não conseguiu ainda decolar a sua gestão na opinião pública, mas tem ao seu favor o tempo de mais de um ano antes da eleição de 2022 para se recuperar, e ajudar a candidatura do aliado Sérgio Petecão (PSD).

UM ABSURDO POR DIA

O DEPUTADO Daniel Zen (PT) diz na sua coluna semanal em vídeo na sua página que, quando o presidente Jair Bolsonaro coloca em xeque a lisura das urnas eletrônicas, pratica um golpe contra democracia, ao afirmar que, sem voto impresso não tem eleição. Zen vê o fato como uma saída para justificar a derrota certa do presidente, ao falar em fraude. Cita ainda serem as urnas eletrônicas auditáveis. Este comentário do Zen remete para um fato: não existe uma prova de fraude eleitoral.

DISTRITÃO

O DEPUTADO FEDERAL Alan Rick (DEM) é um dos defensores abertos da adoção do sistema Distritão, na eleição do próximo ano, pelo qual os mais votados serão os eleitos. Acha que representa a vontade popular.

INTERESSA A COMPETÊNCIA

DEBATE SEM sentido este em torno da nomeação de um filho do Chico Mendes para um cargo na prefeitura da capital, governada por um bolsonarista. O que importa no caso é se ele é competente; sendo, qual o problema?

CANTEI A PEDRA

NÃO COLOQUEI neste BLOG que, o projeto de do governo de incorporação dos servidores do Pró-Saúde aos quadros da SESACRE, daria problemas jurídicos? E, aí está a Procuradora do MP do Ministério do Trabalho, Marielle Cardoso, arguindo que a incorporação é inconstitucional.

OUTRA FORMA

O GOVERNO tem que procurar outro modelo jurídico para não deixar os servidores do Pró-Saúde ao relento, já que, eles fizeram concurso de boa-fé para o órgão. A incorporação à SESACRE fere preceitos constitucionais.

APOSTA PERDIDA

FICAR pensando que a candidatura ao governo do senador Sérgio Petecão (PSD) é reversível; é tolice, uma aposta perdida. A candidatura do Petecão não tem volta.

CUSTA OUVIR?

O PREFEITO Tião Bocalom tem que ser mais receptivo, não custava nada se reunir com os professores e ouvir as suas pautas, até para dizer se os cofres municipais comportam ou não as demandas. Não reuniu, e vem greve a caminho.

NÃO PLENAMENTE

MEDIDA ACERTADA do governador Gladson, ao mandar a EXPOACRE para o espaço este ano. Apenas 50% dos moradores da capital tomaram a primeira dose das vacinas, e a imunização plena só ocorre na segunda dose.

NA VIA DAS DÚVIDAS

PELO QUE O FRIALE tem dito sobre uma onda de frio de congelar pinguim, a partir de hoje, por via das dúvidas já encomendei um iglu. Fala em mínima de 12 graus.

ENGRENOU DE VEZ

PARA NÃO DIZER que não falei de flores, a vacinação pela equipe da secretaria municipal de Rio Branco, claudicante no início, engrenou e entrou nos eixos. No espaço, registro não só fatos negativos, mas também os positivos.

DESAFIO AOS NOVOS GESTORES

ESTE, permanece sendo o desafio para os novos gestores da SESACRE. 10 mil pessoas esperam na fila por cirurgias eletivas. Caveira de burro, que continua enterrada.

FRASE MARCANTE

“O OCIOSO é como relógio sem ponteiros: inútil se caminha ou se está parado”. (William Cowper).

Continuar lendo

Blog do Crica

A grande cartada do PT

Publicado

em

2022 será a grande cartada do PT no estado, onde na última eleição para o Governo, Câmara, Assembleia Legislativa e Senado, foi massacrado nas urnas, perdendo o poder após 20 anos de reinado político. Perdeu além do governo, a vaga que tinha no Senado, e todas as vagas de deputado federal. 

Na eleição municipal, não conseguiu eleger um vereador na capital. A eleição do próximo ano será o grande divisor petista para saber se este vendaval negativo passou e o partido passará a ter novamente um papel de protagonista na política estadual, ou se, a sigla se manterá alijada. 

Não se vê um nome de potencial para disputar o governo dentro do partido, ao não ser o do ex-senador Jorge Viana, mas este está mirando a disputa do Senado. O PT vem só reforçar a velha máxima, que na política, se dorme no poder e se acorda fora dele. E, é deste pesadelo que o PT vai tentar sair em 2022. Só que, precisa combinar antes com o senhor eleitor. 

FUGINDO DO FISIOLOGISMO

AO AFIRMAR que vai respeitar as posições políticas do seu secretariado, quanto a escolha do candidato ao governo, o prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha, quebra um paradigma: toma uma decisão que foge ao fisiologismo natural da política, de que um secretário tem que rezar politicamente pela cartilha de quem governa.

CASO POLICIAL

COMENTAR os episódios sexuais nebulosos, supostamente atribuídos ao secretário municipal de Saúde, Franck Lima, é prematuro, para não se fazer julgamento antecipado. O caso é estritamente policial.

CISCANDO NO MESMO TERREIRO

O GOVERNADOR Gladson Cameli e o senador Sérgio Petecão (PSD) foram no mesmo voo para Cruzeiro do Sul, onde foram ciscar votos no mesmo terreiro. Até aqui, ambos vêm mantendo uma relação de respeito mútuo.

EM CONSOLIDAÇÃO

A CANDIDATURA do deputado Jenilson Leite (PSB) ao governo, está se consolidando nas visitas periódicas aos municípios. Será o candidato dos partidos de esquerda.

QUESTÃO DE TEMPO

PARA O SENADOR JORGE VIANA (PT) anunciar que será candidato ao Senado, é uma questão de tempo, é só raiar 2022, para que, ele confirme o que já é previsto.

DISPUTA DE GENTE GRANDE

ALÉM das candidaturas bem posicionadas no Alto Acre para a ALEAC, da deputada Maria Antonia, da ex-prefeita Leila Galvão, e do gestor municipal Tadeu Hassem, quem tem se articulado e amarrado bons apoios em Brasiléia, é o candidato a deputado Eduardo Ribeiro (PSD).

VAI FICAR NO TRIVIAL

O RESTANTE DO ANO ficará nas conversas dos candidatos ao governo; não esperem um fato mais relevante, como sobre como ficarão suas chapas para Governo e Senado.

COBRAR SOLUÇÃO

O QUE SE nota nestas confusões sobre o atraso no pagamento dos terceirizados, é que o governador Gladson Cameli anuncia a quitação; e os seus secretários não dão andamento, e acaba respingando negativamente na sua imagem. É o caso da empresa PROTEGE.

APOSTA ABERTA

FONTE não se revela, mas posso adiantar que há uma movimentação de setores palacianos, no sentido de convencer a senadora Mailza Gomes (PP) a ir para deputada federal. Uma aposta aberta: ela vai recusar.

GRANDE MARMELADA

VAI TERMINAR numa grande marmelada combinada com o Centrão, a promessa do presidente Bolsonaro de que vetaria os quase 6 bi do Fundo Eleitoral. Já fala em deixar em 4 bi. Não se promete o que não se pode cumprir.

ESPADA SOB A CABEÇA

“QUERO ver como o PCdoB vai reeleger a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) sem coligação proporcional, sempre se elegeu na soma da nossa legenda”. Comentário ontem ao BLOG, de um cardeal petista. Mas, a dificuldade não é exclusiva ao PCdoB, boa parte dos partidos no estado, enfrentarão o problema.

PACOTE FECHADO

O PACOTE DA CANDIDATURA da deputada federal Jéssica Sales (MDB) ao Senado, está fechado no seu partido. Mas a meta principal está em aberto: saber se o Gladson a colocará como a candidata ao Senado da sua chapa.

FOGO DE MONTURO

OBSERVADOR da política regional comentou ontem ao BLOG que, o inferno astral do prefeito Tião Bocalom ainda está por vir, já que, a reação negativa entre os vereadores à sua administração, cresce como “fogo de monturo”.

NÃO IA DAR CERTO

MANTER com a classe política uma relação de distanciamento, como inovou o prefeito Tião Bocalom; com o atual modelo eleitoral, funciona apenas no mundo da fantasia. Neste modelo, ninguém governa solitário.

FRASE MARCANTE

“Quando mil pessoas afirmam uma coisa, ou é a voz de Deus ou uma grande besteira.” (Ditado italiano”.

Continuar lendo

Blog do Crica

A canoa dos barrados no baile

Publicado

em

SER DEPUTADO era uma forte moeda de troca quando a eleição era disputada no modelo de coligações proporcionais, em que vários partidos se coligavam para aumentar a legenda e eleger um maior número de parlamentares, alguns até com baixa votação. Neste modelo, um deputado com boa votação era moeda cobiçada para ser um puxador de votos. Com o fim das coligações proporcionais, pela primeira vez a disputa para deputado estadual vai acontecer com cada partido tendo que formar chapa própria e alcançar a legenda que garanta a eleição do candidato. Aí, é que a porca torceu o rabo. Para tentar atrair candidatos novos, os partidos pequenos resolveram dar cartão vermelho para seus deputados, e não aceitar ninguém de mandato na chapa. Ou não conseguem atrair novos nomes. Em cima deste cenário, deputados começaram e receber ordens de despejo das legendas. O REPUBLICANOS comunicou ao deputado André da Farmácia que procure outra sigla para disputar a reeleição, porque não terá legenda. O mesmo aconteceu com o deputado Vagner Felipe no PL. O PTB também comunicou ao seu único deputado, Marcos Cavalcante, que busque outra freguesia. O deputado Pedro Longo já se antecipou e está de saída do PV. O deputado Wendy Lima é outro que terá que buscar nova sigla; seu partido, o PSL, não aceita ninguém com o mandato. Vão todos ter que embarcar na canoa dos barrados no baile. Só vai restar aos despejados procurar partidos grandes, com bancadas com vários deputados para se abrigarem. E, correr o risco do chamado abraço dos afogados.

NINGUÉM VAI BAMBURRAR
NÃO ESPEREM ninguém em 2022 vir com 10 mil votos, como ocorreu quando a eleição foi disputada com coligações proporcionais. Sem o modelo no próximo ano, a tendência é aumentar o número de candidatos, pulverizando a votação. As disputas serão mais apertadas.

LIBERDADE DE VOTO
O PREFEITO de Cruzeiro do Sul, Zequinha (PP), eleito numa coligação de 11 partidos, promete não tirar secretários que venham a apoiar candidatos fora do grupo do Gladson. Tem dito que, respeitará a posição dos aliados.

COLIGAÇÃO PLURAL
NA COLIGAÇÃO que apoiou a candidatura do prefeito Zequinha estavam entre outros o PCdoB, PSD, que não marcharão com a reeleição do governador Gladson.

VAI ACABAR NA JUSTIÇA
EXPERIENTE ADVOGADO alertou ontem em conversa com o BLOG de que, o governo não pode pegar servidores do antigo Pró-Saúde e abrigar direto nos quadros da SESACRE, porque não foram concursados para este órgão. O governo, se fizer a incorporação, como promete, corre na visão deste advogado, o risco do seu ato ser derrubado com facilidade na justiça. A conferir o desfecho do caso.

FAVAS CONTADAS
VEZ POR OUTRA vejo declarações de políticos defendendo que se busque um diálogo, para a volta da coligação que elegeu o Gladson em 2018. Não tem mais retorno para dissidentes como o prefeito Mazinho Serafim, senador Sérgio Petecão (PSD), deputado Roberto Duarte (MDB), deputada federal Mara Rocha (PSDB), vice-governador MajorRocha, e outros, que procuraram novos ninhos para a disputa eleitoral do próximo ano.

PORTAS ABERTAS
O PP está de portas abertas para receber os deputados que foram despejados dos seus partidos, e pode formar uma chapa para a ALEAC composta de oito deputados.

CANDIDATURA EM ABERTO
A DEPUTADA FEDERAL Mara Rocha (PSDB) não deve anunciar este ano que disputará a reeleição. Seu grupo quer avaliar antes a possibilidade de ir para outro campo.

ORELHAS EM PÉ
POLÍTICA, SE LÊ nas entrelinhas. Grupos dentro do PP já defendem que, o partido não pode ter em 2022, uma chapa puro sangue, com o Gladson (PP) ao governo e a senadora Mailza Gomes (PP) para o Senado. Querem abrir aos aliados a vaga do Senado. É bom a senadora Mailza ficar de orelhas em pé com o movimento.

CAMINHO NATURAL
FORA os deputados estaduais (a deputada Mara Rocha está de saída para o PL), outra liderança de peso não deve continuar no PSDB, o professor Minoru Kinpara. Ele aposta na possibilidade de disputar o Senado pelo PSD.

MUITO COMPLICADO
O PRESIDENTE DO PSDB, Manoel Pedro, o Correinha, é habilidoso, esforçado, mas tem uma missão difícil: formar chapas competitivas para a ALEAC e Câmara Federal.

SERVEM COMO MURO
PARA A ALEAC, por exemplo, como convencer novos candidatos a entrar numa chapa em que tem dois deputados de votos, Cadmiel Bonfin e Luiz Gonzaga?

NÃO MUDA NADA
O SENADOR Márcio Bittar (MDB) disse ontem ao BLOG que não muda nada para a candidatura da Márcia Bittar ao Senado, se o presidente Bolsonaro se filiar ao PP.

OPINIÃO DO LEITOR
“Crica, não vejo outro foco em 2022, que não seja a candidatura ao governo do deputado Jenilson Leite (PSB), virar recheio de sanduiche; tendo de um lado a forte candidatura do Gladson; e do outro, a também forte candidatura do Petecão”. Fica feito o registro para conferir nas urnas, se dará este X Salada.

QUEM TEM MAIS FICHA
EM PRINCÍPIO, acho difícil o governador Gladson Cameli escolher um candidato este ano para apoiar ao Senado. Vai esperar para ver quem chega antes da convenção de junho de 2022, com mais fichas na mesa: poder de aglutinar partidos, apoios, e estar bem nas pesquisas.

FECHANDO PAUTAS
A SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO, Socorro Neri, em pouco tempo, conseguiu atender algumas pautas do magistério reclamadas pelo SINTEAC. É o caso da liberação de recursos para a compra de notebooks pelos professores.

ESCOLHA CERTA
A SOCORRO Neri, com isso, ajuda politicamente o governador Gladson Cameli, e os professores. A sua escolha para a pasta, foi uma das mais acertadas.

PALAVRA É O SEU FORTE
A PALAVRA, a lealdade, não costumam ser o forte na classe política. Mas tem as ressalvas, uma delas é o prefeito Bocalon; quando diz que, manterá a palavra de apoiar a candidatura do Sérgio Petecão (PSD) ao governo. Nada mais justo que forme no palanque de quem esteve na linha de frente da sua campanha para a PMRB. E, o Gladson, democraticamente, tem dito que entende.

FRASE MARCANTE
“As salsichas devem ser compridas e os discursos curtos”. (Ditado alemão).

Continuar lendo

Blog do Crica

Para quebrar paradigmas

Publicado

em

NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES majoritárias sempre houve uma polarização entre o PT; que esteve no poder por 20 anos, no estado, e o nome dos grupos mais conservadores. Todos os que se apresentaram como alternativa a essa espécie de bipartidarismo branco fracassaram. 

Uma nova tentativa para quebrar paradigmas pode surgir na eleição de 2022, na figura do médico e deputado Jenilson Leite (PSB), um político atuante, hábil, e que transita bem nos bastidores. Sua candidatura, se sacramentada, virá ancorada nos partidos de esquerda, embora navegue bem em outras marés da política, como o centro. 

Não é um radical de esquerda, é plural nas ideias, alguém com quem se pode sempre dialogar. Mas vai enfrentar um jogo bruto, que terá o governador Gladson Cameli, ancorado no poder, que é carismático; e o senador Sérgio Petecão (PSD), que transita bem nos grotões e é um campeão de votos. Mas, na política sempre tem a primeira vez. A candidatura de Jenilson se situa como a grande novidade para a eleição de 2022, e deve contribuir para o bom debate de ideias. Venham as urnas.

DESCONFIEM DO FOBENTO

QUANDO VOCÊ VER um político com muita fobia, eu faço isso e aquilo, pode desconfiar que é um falastrão. Lembram quando o Bolsonaro atacou o toma lá dá cá na política? Está repetindo a velha política, abrindo as portas do Palácio do Planalto para a turma do Centrão.

NUNCA BRIGUE POR POLÍTICO

O EPISÓDIO também remete à escolha do “Papa do Centrão”, senador Ciro Nogueira (PP), para chefe do gabinete civil. Ciro é o mesmo que chamou o Bolsonaro de “fascista.” Não percam tempo brigando por políticos.

O MOURÃO FOI O CARA

NESTA confusão toda de ameaça de militares de golpe se não ter o voto impresso, o vice-presidente, general Mourão, foi um foco de luz na escuridão: “Vai haver eleição com ou sem voto impresso, não somos uma República da Banana”. Também acho, o resto é bravata.

NUNCA FOI PRESTIGIADO

NINGUÉM no MDB pode atirar a primeira pedra no senador Márcio Bittar (MDB), se este deixar o partido. Mesmo sendo o único senador da sigla, tem menos prestígio na cúpula que o Pádua Bruzugu, sem mandato.

NEM PARA O CAFÉZINHO

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) não é chamado nem para o cafezinho na cozinha do MDB, quanto mais quando se trata de tomar grandes decisões, é a verdade.

APOSTANDO ALTO

O DEPUTADO FEDERAL Alan Rick (DEM) aposta em dois pontos para ser o candidato a senador do Palácio Rio Branco: lealdade ao Gladson, e o fato de ser o melhor nas pesquisas entre os candidatos do grupo do governador.

SILÊNCIO DA CULPA

NÃO ESTÃO estranhando o silêncio do PT, contra o Fundo Eleitoral de quase 6 bi? É porque a sigla avalizou a dita aprovação, pela qual terá a maior verba de campanha.

CONFUSÃO DOS DIABOS

SE O PT não estivesse apoiando a aprovação do bilionário Fundo Eleitoral o Jorge Viana e companhia limitada, já estariam fazendo a maior confusão e apontando o dedo contra a “velha política”. Mas, como é o grande beneficiado, é na base do calado estou e calado vou ficar

POR EXCLUSÃO

POR EXCLUSÃO, é fácil de saber onde estarão o vice-governador Rocha e a irmã e deputada federal Mara Rocha (PSDB), em 2022. O PT está descartado. Assim como o palanque do Gladson. Vão caminhar com a candidatura do senador Petecão (PSD) ao governo.

CANDIDATA A ESTADUAL

A EX-DEPUTADA Leila Galvão deve disputar uma eleição para a ALEAC, mas não deverá ser pelo MDB, atual partido. A tendência natural é se candidatar pelo PSD.

A POLÍTICA É DINÂMICA

JÁ DIZIA o saudoso ex-prefeito de Plácido de Castro, Luiz Pereira, de que “a política é dinâmica”. O prefeito Mazinho Serafim foi adversário do Márcio Bittar (MDB), na sua eleição ao Senado. Mas, na eleição de 2022 estarão juntos, deverá apoiar Márcia Bittar a senadora.

TERCEIRA VIA

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) está apostando que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, pode ser o nome da terceira via, disputando a presidência pelo PSD.

OS QUE NÃO PERDEM

NA ELEIÇÃO do próximo ano dois políticos não ficarão olhando para a Lua, se não tiverem sucesso eleitoral; o Márcio Bittar, (MDB) com a sua candidata ao Senado, Márcia Bittar; e o Petecão, disputando o governo: ambos ainda terão após 2022, mais quatro anos de mandato.

HORA DA ONÇA BEBER ÁGUA

O presidente do PT, Cesário Braga, sempre foi um dos mais ativos membros do PT, na linha de frente das críticas aos adversários. É saber agora se a militância vai render votos, deve disputar uma vaga de deputado estadual.

QUANDO A JANELA ABRIR

SÓ NO INÍCIO DO PRÓXIMO ano, quando for aberta a janela eleitoral para a troca de partidos, se terá uma dimensão de como ficarão as composições das siglas para 2022, no estado. A tendência é a aglutinação de deputados eleitos pelos nanicos, em grandes partidos.

NÃO É BEM ASSIM

NO ACRE, os candidatos de fora são rejeitados nas urnas. Certo? Há controvérsias. Tivemos um deputado federal, Armando Leite, um estranho, que chegou aqui só para disputar a eleição como representante do empresariado do sul, que queria fazer uma grande bancada, derramou muita grana e ganhou. Poucos conhecem este fato.

PRIORIDADE MÁXIMA

A PRIORIDADE máxima no grupo do vice-governador Major Rocha é manter a deputada federal Mara Rocha (PSD) com um mandato. O restante é segundo plano.

DISCURSO AFINADO

OS SALES estão com o discurso afinado de que o grupo comandado pelo ex-prefeito Vagner Sales; que tem a deputada federal Jéssica Sales (MDB) e a deputada Antônia Sales (MDB), não tem até aqui compromisso com nenhum dos candidatos a governador. Continuam soltos.

 FRASE MARCANTE

“O dinheiro pode tudo, só não pode mudar a sorte e evitar a morte”. (Ditado português)

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.