Conecte-se agora

Jenilson convida Desembargador para abertura da Missão Dr. Baba

Publicado

em

O deputado estadual e médico Jenilson Leite se reuniu com o desembargador Francisco Djalma, que presidirá o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) no biênio 2019-2020, com o objetivo de convidá-lo para irem juntos ao município de Jordão, no dia 19 de janeiro de 2019, data que inicia a viagem da 1ª ação de saúde humanitária em homenagem ao médico Rosaldo Firmino Aguiar, o Doutor Baba.

O deputado explicou ao magistrado que na ação de saúde, além dos atendimentos médicos aos ribeirinhos, também serão ofertados atendimentos com profissionais da área da assistência social e da área jurídica. Jenilson enfatizou que o convite feito a ele [Djalma], têm inúmeros motivos, dentre eles: que na época da emancipação política de Jordão em 1992, ele era o juiz da comarca de Tarauacá e contribuiu significativamente na qualidade de representante máximo da justiça naquela jurisdição, cuja assinatura está na ata da criação da cidade. O parlamentar explicou também, que a ação de saúde coincide com o novenário de São Sebastião, festa que reúne inúmeras pessoas do município e das cidades vizinhas.

O Desembargador disse que recebia o convite com muita honra, de modo que, não poderia recusá-lo. Vale lembrar, que o magistrado participará do atendimento que será realizado na cidade, no dia 19 de janeiro. Depois, Jenilson Leite e os demais integrantes seguirão viagem para realizar os atendimentos aos ribeirinhos. Devido os compromissos na Corte, o magistrado não poderá fazer o percurso às margens do rio.

Segundo Jenilson, a visita ao magistrado não se resumia apenas ao convite para ir ao Jordão, contudo, faz parte de um trabalho que ele vem fazendo de visitar os órgãos judiciais, dentre eles, o MPAC. “Iniciamos um trabalho de visitar os poderes judiciais, já estivemos no MPAC, e agora viemos nos colocar à disposição do TJAC. Aí aproveitamos a oportunidade para convidar o Dr. Djalma para ir ao Jordão e ver de perto a cidade que ele ajudou a construir sua emancipação política”.

Ao final da conversa, o desembargador Francisco Djalma perguntou que idade Jenilson tinha e o que fazia na época em que ele foi juiz de de Tarauacá. Jenilson disse: – Eu tinha 13 anos, estudava pela pela manhã e engraxava sapatos a tarde, inclusive o senhor era meu cliente”.

O desembargador com expressão de felicidade e surpreso disse que ficava feliz em saber das conquistas do deputado.

Destaque 2

Com PGE e Seplag, deputados realizam reunião com as portas fechadas para tratar emendas

Publicado

em

Os deputados da base do governo, independentes e oposição estiveram na Sala das Comissões da Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira, 22, para tratar sobre emenda parlamentares de 2020 que não foram executadas em 2021. O encontro ocorreu com as portas fechadas e a imprensa não teve acesso, sendo barrada por seguranças na entrada, o que despertou o interesse de curiosos nós corredores da Aleac.

Com a presença do secretário de Planejamento e Gestão, Coronel Ricardo Brandão, e do procurador-geral do Estado, João Paulo Setti, os deputados pediram informações de como alterar a destinação de emendas que não foram executadas em 2021. O ac24horas apurou que os parlamentares expuseram que muitas emendas alocadas não foram executadas devido várias entidades não terem condições de executar os projetos. Cada deputado tem direito a R$ 500 mil que podem ser destinados para saúde, educação e esporte.

A PGE e a Seplag informaram que os deputados devem enviar um Projeto de Lei Complementar para a Casa Civil, já que alteração de orçamento é demanda do Poder Executivo. Uma proposta deverá ser elaborada nós próximos dias e o PL deverá chegar na Aleac.

Continuar lendo

Destaque 2

Motoristas voltam a circular com 100% da frota de ônibus após acordo com empresa

Publicado

em

A população de Rio Branco volta a ter 100% da frota de ônibus circulando nesta quarta-feira, 22, após os motoristas da Auto Viação Floresta aceitarem o que foi acordado com a empresa. Antes disso, somente os funcionários de outra empresa estavam desempenhando as atividades na rua.

Com o retorno das atividades, os funcionários também passam a seguir a liminar do desembargador Shikou Sadahiro, do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (TRT-RO), que determina a manutenção de pelo menos 90% da frota em circulação nos momentos de pico e de 70% em horários normais mesmo em situação de greve categoria.

Em caso de descumprimento, foi estabelecida multa diária de R$ 50 mil e mais uma multa de R$ 10 mil por ônibus parado, uma vez que a Lei de Greve classifica o transporte coletivo urbano de passageiros como atividade essencial que deve ser mantida por empregadores e trabalhadores durante as paralisações.

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte de Passageiros e de Cargas do Estado do Acre não reconheceu o movimento de greve e afirmou que o ato se tratava de uma ação isolada e com fins “políticos”.

As empresas de coletivo da capital asseguram que com o repasse de R$ 2,5 milhões por parte da prefeitura será possível quitar todas as dívidas com os trabalhadores e ainda reduzir o preço da tarifa de ônibus para R$ 3,50 ou menos. O município está empenhado em seguir com esse acordo a fim de garantir o pagamento aos trabalhadores e baixar o valor da passagem.

Continuar lendo

Acre

Critério da Aliança para Senado vai definir candidato a vice e apoio para federal

Publicado

em

O PACTO entre os deputados federais Jéssica Sales (MDB), Alan Rick (DEM) e a senadora Mailza Gomes (PP), foi bem além que uma carta de princípios para regular as ações de cada um dos personagens, na disputa do Senado. 

O BLOG tem a informação que foi firmado um acordo entre os três políticos que, as pesquisas devem definir quais serão os candidatos a senador e vice. 

O melhor avaliado seria o candidato ao Senado o segundo colocado o vice, e o terceiro sairia a deputado federal com o apoio de todos os integrantes do pacto. Foi definido ainda que todos respeitarão o que for decidido. O deputado federal Alan Rick (DEM) explicou ontem ao BLOG que o grupo espera já no início do próximo ano chegar com esta decisão até ao governador Gladson Cameli. 

Segundo Alan, a iniciativa teve o aval do governador, que prometeu acatá-la. A medida, segundo ele, tem o objetivo de distensionar o debate sobre as escolhas dos candidatos a senador e a vice na chapa do governador. 

Será uma novela de muitos capítulos. A palavra fica com o protagonista da novela, o governador Gladson Cameli.

NÃO ENTRAM NO JOGO

A CANDIDATA ao Senado, Márcia Bittar (sem partido) e a deputada federal Vanda Milani (PROS) não aderiram ao pacto, que se fechado com sucesso, os exclui. Mas, Márcia e Vanda, segundo já declararam, disputarão o Senado em qualquer que sejam o cenário, e vão brigar por fora por uma indicação para ocupar a vaga de senador na chapa do governador Gladson. Estamos longe de uma definição.

AVAL ZERO

A INFORMAÇÃO de boa fonte é que Márcia Bittar (sem partido) e a deputada federal Vanda Milani (PROS), não vão aceitar colocar os seus nomes no pacto anunciado.

LONGE DE UMA SOLUÇÃO

O QUE se pode dizer de todas essas variantes da disputa do Senado é que, por mais que seja tentado, por mais fórmulas que se apresentem, o grupo palaciano não terá uma única candidatura a senador na eleição de 2022.

MEXIDA QUE VAI SACUDIR

A PRÓXIMA semana vai entrar com um anúncio de uma troca partidária que vai dar uma mexida completa no quadro político, com influência na disputa do Senado.

OUTRA MEXIDA IMPORTANTE

OUTRA mexida importante na próxima semana vai ocorrer em uma das pastas mais importantes do governo, com uma troca que até aqui não se imaginava que pudesse vir a ocorrer. Fato normal na gestão pública.

FONTE SE PRESERVA

COMO as fontes de informação das duas mudanças pediram para manter sigilo até a véspera do anúncio, o BLOG vai manter em anonimato o nome do santo e do milagre.

CANTO DO RINGUE

O MDB no entorno do deputado federal Flaviano Melo (MDB) pressiona o para que o governador Gladson indique o Flaviano como o seu vice. O grupo não tem voto, mas é quem toma as decisões dentro do MDB.

AUTORIZAÇÃO DADA

O DEPUTADO FEDERAL Flaviano Melo (MDB), que tinha declarado que estava fora deste debate e disputaria a reeleição, refluiu e deu aval à iniciativa sobre seu nome.

RASTEIRA NA JÉSSICA

CASO o grupo consiga emplacar o deputado federal Flaviano Melo (MDB) de vice, seria uma espécie de rasteira na candidatura da deputada federal Jéssica Sales (MDB) ao Senado, porque ficaria uma chapa puro-sangue do MDB. E, naturalmente, despertaria reação nos aliados.

BASTIDORES DA TABA

O SENADOR Márcio Bittar (MDB), segundo boa fonte, apoiaria neste caso a indicação do MDB, que em contrapartida anunciaria o nome de Márcia Bittar (sem partido), como candidata a senadora pelo partido. São cenários em ebulição nos bastidores da política da taba.

FAZ PARTE DA POLÍTICA

O PREFEITO Tião Bocalom aceitar indicações de vereadores (desde que qualificadas) para ocupar cargos na PMRB, para a formação de uma base de apoio na Câmara Municipal de Rio Branco, faz parte da política.

PÁ DE CAL

A VOLTA das coligações proporcionais foi tirada do pacote da reforma eleitoral pelo Senado, o que já era o esperado. Os partidos corram agora para formar chapas próprias a deputado federal e deputado estadual.

CAFÉ NO BULE

SEM AS COLIGAÇÕES proporcionais o partido para eleger deputado federal ou deputado estadual, tem que se organizar, só vai eleger quem tiver café no bule.

VOLTO BISAR

COMO A ONDA DE RECLAMAÇÕES contra o péssimo atendimento nos transportes coletivos a cada dia toma corpo (as críticas pipocam nas rádios), volto a bisar que, ou o Bocalom atua firme por mais ônibus, ou vai afundar.

SEM MEDO DE CRÍTICAS

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) vai ser o Relator da privatização dos Correios, uma matéria polêmica bombardeada pela esquerda. Bittar é fiel às pautas do Planalto, não importando que lhe rendam críticas.

FRASE MARCANTE

“Quanto mais envelheço, mais sinto necessidade do trabalho. Ele se torna, pouco a pouco, o maior dos prazeres e substitui as ilusões da vida”. Voltaire.

Continuar lendo

Destaque 2

Feijó está entre os dez municípios de intensa exploração madeireira na Amazônia

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas.com

Com 13.037 hectares explorados, o município de Feijó ocupa a 9ª posição entre os 10 onde há mais retirada de madeira na Amazônia entre agosto de 2019 e julho de 2020.

Aripuanã, no Mato Grosso, explorou 30.666 e tem a liderança nesse ranking. Já Paragominas (PA), cortou 12.879 hectares e é o 10º mais explorado no período.

A área de exploração madeireira na Amazônia entre agosto de 2019 a julho de 2020 chegou a 464.759 hectares, sendo mais da metade (50,8%) apenas em Mato Grosso, seguido pelo Amazonas (15,3%) e Rondônia (15,0%).

Foto: Sérgio Vale/ac24horas.com

A maior parte ocorreu dentro de propriedades cadastradas, mas também em Terras Indígenas, Unidades de Conservação e Assentamentos Rurais. O mapeamento abrangeu sete dos nove estados da Amazônia Legal: Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Roraima.

Os dados constam do último levantamento do Sistema de Monitoramento da Exploração Madeireira (Simex), uma plataforma do Imazon que conta com apoiadores.

No Acre, exploração da madeira é um negócio que não avança apenas no município de Feijó mas, segundo o Simex, ocorre fortemente em outras regiões.

A área de divisa de três Estados – Mato Grosso, Rondônia e Amazonas – está sofrendo uma pressão de desmatamento que já começa a alterar o chamado “arco do fogo” da destruição da floresta no bioma amazônico. A extração de madeira avança sobre o território da floresta.

Em relação às categorias fundiárias, os pesquisadores identificaram que a maior parte da área explorada foi em imóveis rurais cadastrados, que concentraram 362 mil hectares (78%). Já nos assentamentos rurais foram explorados 19 mil hectares (4%), nos vazios fundiários, 17 mil hectares (4%), e nas terras não destinadas, 12 mil hectares (3%).

Nas áreas protegidas, a exploração madeireira somou mais de 52 mil hectares, o que corresponde a 11% do total mapeado. Especificamente nas unidades de conservação, onde a atividade pode ser autorizada dependendo de sua categoria, foram explorados 28 mil hectares (6%). O Parna dos Campos Amazônicos (AM), unidade de conservação de proteção integral, onde a exploração é proibida, foi a que teve a maior área mapeada, de 9 mil hectares.

Já nas terras indígenas, foram mapeados 24 mil hectares (5%). Os territórios com as maiores áreas exploradas foram Tenharim Marmelos (AM), com 6 mil hectares, Batelão (MT), com 5 mil hectares, e Aripuanã (MT), com 3 mil hectares.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas