Conecte-se agora

Ato Pró-Bolsonaro lota estacionamento da Loja Havan, na tarde de domingo em Rio Branco

Publicado

em

O Ato contra a corrupção e a favor da eleição do presidenciável, Jair Bolsonaro (PSL), lotou o estacionamento da Loja Havan, no final da tarde deste domingo (21). Dados não oficiais dão conta que havia no local aproximadamente 3 mil pessoas.

O evento teve início com uma carreata, que concentrou dezenas de veículos, entre carros e motos no Conjunto Universitário, e terminou no estacionamento da Loja Havan. Lá, outras dezenas de pessoas aguardavam a chegada da comitiva.

No local foi gravado um clip oficial em apoio a eleição de Jair Messias Bolsonaro a presidência do Brasil. O evento contou com a presença do candidato ao governo do Acre, derrotado nas urnas, Coronel Ulysses (PSL) e o Senador eleito, Márcio Bittar (MDB), lideranças, apoiadores, simpatizantes e eleitores do presidenciável.

Acre 01

Blog do Crica: o jogo do perde e ganha do Jorge Viana

Publicado

em

O EX-SENADOR Jorge Viana (PT), foto, candidato a governador, joga com muitas variáveis nesta eleição. A primeira é se eleger para governar o Acre, com a vitória do Lula para a presidência. Este cenário seria o coroamento do seu projeto político. A segunda opção seria ele ganhar a eleição para governador e o Lula perder para o Bolsonaro, na base do vão-se os anéis e ficam os dedos. A terceira, que seria um meio termo, é ele perder e o Lula ganhar, quando por compensação poderia virar ministro. E, a quarta variável é a pior delas, as derrotas dele e do Lula. Quem vai decidir qual destes cenários vai prevalecer, é sua majestade o eleitor. O jogo começou a ser jogado. E, as urnas é que vão ditar o futuro do JV.

GRANDIDIER VAI COORDENAR CAMPANHA DO GLADSON
QUEM assumiu ontem o comando da campanha de reeleição do governador Gladson Cameli, foi o ex-chefe do gabinete civil, Rômulo Grandidier. Foi uma escolha acertada. O Rômulo conseguiu forjar uma boa relação com a classe política, e pode conduzir bem a candidatura.

AGORA É PARA VALER
NESTA próxima terça-feira começa a campanha oficial, quando os candidatos poderão colocar o seu material publicitário nas ruas, fazer carreatas, arrastões nos bairros, enfim, é o início da briga para valer pelos votos.

POLÍTICA SE FAZ COM OUSADIA
O ADVOGADO Sanderson Moura (PSOL) poderia estar acomodado aceitando o panorama ditado pelo PT, com candidaturas próprias para governador, vice-governador e senador. Mas optou por confrontar o projeto petista, que tem forte estrutura partidária e financeira, sendo candidato ao Senado. Vai para o embate com cabeça erguida e ousadia. E, na política só os ousados avançam.

PILARES SÓLIDOS
O CANDIDATO AO SENADO, Ney Amorim (PODEMOS), tem dois pilares políticos sólidos na coordenação da sua campanha em Cruzeiro do Sul; o prefeito Zequinha e o deputado Nicolau Junior (PP), que podem gerar votos.

CANDIDATURA MANTIDA
BOATOS SUPERADOS. A deputada Meire Serafim (União Brasil) não mudou o rumo do seu foco político e irá disputar um mandato de deputada federal, com chance.

OBSTÁCULO A SUPERAR
CANDIDATO DO PSB ao Senado, deputado Jenilson Leite, é um nome leve e não descartável na briga pela vaga única de senador. O obstáculo a superar é que, ele disputa pelo PSB, sigla sem capilaridade no estado.

BASEADO EM PESQUISA
“Você acha que se o Jorge Viana não tivesse pesquisas que indicam a sua chance na disputa do governo, ele iria se arriscar sem uma perspectiva de vitória?”. Pergunta ouvida ontem de importante liderança da esquerda.

PRESSÃO FORTE
HÁ UMA pressão por parte de emissários do governo para que o PSDB não lance o médico Carlos Beirute (PSDB) ao Senado; oferecem a segunda suplência na chapa do Ney Amorim (PODEMOS). Até ontem estava o impasse. Na verdade, o PSDB pegou uma loba, porque tinham prometido a primeira suplência ao partido.

MOVIMENTOS IMPORTANTES
NÃO ESTÁ em discussão a sua ideologia, falo apenas da sua capacidade de fazer composições nos bastidores. O Márcio Bittar (União Brasil) tem feito movimentos políticos importantes para a candidatura da Márcia Bittar (PL) para o Senado. Ela vai sim disputar o jogo.

GRANDE DECISÃO
CLARO QUE, os outros colégios eleitorais do estado são importantes na eleição; mas é na capital, onde se concentra a maioria dos eleitores, que deverá ser travada a briga mais importante para o Senado e Governo.

NÃO ABALOU
O FATO de não emplacar ser o candidato do governador Gladson ao Senado, não desanimou o deputado federal Alan Rick (União Brasil), que continua com a sua campanha nas ruas, apostando sair bem nas pesquisas.

CAMPANHA OSTENSIVA E ORGANIZADA
QUEM se encontra com uma campanha para deputado estadual ostensiva e organizada nos bairros, é o advogado Romano Gouveia (PSD). Não está fora do jogo.

OTIMISMO REDUZIDO
HÁ no PT, um otimismo reduzido de que a chapa da federação PT-PV-PCdoB tem como previsível eleger apenas um deputado federal. Uma segunda vaga dependeria de variantes, como as votações nas chapas adversárias. A chapa da aliança é restrita a dois puxadores de votos.

CAMINHO DE SEGUNDO TURNO
PARA a presidência, todos os caminhos começam a indicar que a decisão sobre quem vai ganhar, deve ir para o segundo turno. Os novos números mostram que, acabou a tendência do Lula vencer no primeiro turno.

ESTÁ NO BOLO
CONVERSO com segmentos políticos diversos antes de omitir uma opinião, é o que tenho ouvido é que a candidata Vanda Milani (PROS) está na briga dentro do bolo do pelotão de frente que disputa o Senado.

NÃO TEM FAVORITO
SÓ vamos ter uma noção inicial de quem vai se descolar na disputa da única vaga do Senado, no início do próximo mês, quando já teremos tido 15 dias de campanha dos candidatos nas ruas. Antes disso, é ilação. Hoje tem cinco candidatos embolados. Não dá para apontar um favorito.

MUITO INTERESSANTE
NESTA eleição, vamos ter um quadro interessante. Sei de quatro institutos de pesquisas de fora, contratados, que vão divulgar números dos candidatos a governador e senador ao longo da campanha. Some-se a isso dois tradicionais institutos regionais. É bom a pluralidade.

ACABOU A FACILIDADE
NA ELEIÇÃO para deputado federal, acabou a facilidade de um candidato se eleger com 5, 6 mil votos. Se o coeficiente ficar nos 57 mil votos, cada candidato terá que ter no mínimo para começar a entrar na briga 11. 400 votos (Isso não significa que vai ganhar, mas é o mínimo que poderá ter), então, tratem de correr atrás de votos.

SOLINO MATOS
Quem vai ficar mais próximo na condução da campanha do candidato do PSD ao Governo, Sérgio Petecão; é o Solino Matos, que já participou de várias campanhas majoritárias de sucesso.

FRASE MARCANTE
“O tempo é o grande professor, mas infelizmente ele mata todos os seus discípulos”. Hector Barlioz.

Continuar lendo

Acre 01

Ao TSE, Ney Amorim informa que ficou “pobre” três vezes mais que em 2018

Publicado

em

O ex-deputado Ney Amorim é o 7º a pedir ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registro de sua candidatura ao Senado pelo Podemos.

Ao TSE, ele declarou que seu patrimônio atual é constituído por dois itens (casa e ações) no valor de R$450 mil, valor três vezes menor que o apresentado em 2018, quando postulou também uma vaga no Senado pelo PT.

Naquela eleição, Ney dizia ter R$ 1.264.478,49 em bens distribuídos por nove itens, incluindo cinco terrenos, carro, ações e dinheiro em conta bancária.

Em 2010, quando começou a carreira de deputado estadual pelo PT, Ney disse à Justiça ter R$170.600 mil e em 2014, mais uma vez com uma vaga na Assembleia Legislativa do Acre, seu patrimônio era de R$ 329 mil.

Ou seja, os bens de Ney Amorim variaram muito em doze anos de vida política, mas, segundo os números informados ao TSE, o candidato ficou 3 vezes mais pobre entre 2018 e 2022.

Ney Amorim quer ser candidato na coligação “Avançar para fazer mais”, que reúne Podemos, PP, PDT, Patriota, Solidariedade, Federação Cidadania (PSDB/Cidadania), PMN, DC e PMB.

Seus suplentes são o advogado Rui Óscar e o servidor público estadual, Renan Biths.

Continuar lendo

Acre 01

TSE divulga página de conta de candidatos e partidos e Acre têm 448 candidatos no geral

Publicado

em

O Tribunal Superior Eleitoral divulgou neste sábado, 13, a página de divulgação de candidaturas e as contas eleitorais de cada candidato e partidos políticos.

A ferramenta é por onde o cidadão pode acompanhar o andamento do pedido de registro de candidaturas e os gastos de candidatos e partidos. De acordo com o calendário eleitoral, 12 de setembro, 20 dias antes da data do primeiro turno, é o prazo final para que todos os pedidos de registro de candidatura – e eventuais recursos decorrentes do processo – tenham sido devidamente processados, analisados e julgados pelos tribunais eleitorais competentes.

O TSE informa que no Acre foram pedidos até agora 448 pedidos de registro de candidaturas, sem contar os candidatos à vice-governador e dois suplentes de cada candidato ao Senado. Os candidatos no Acre estão divididos entre 310 postulantes à uma vaga das 24 vagas na Assembleia Legislativa, 124 candidatos às oito cadeiras a que o estado tem direito na Câmara Federal, 7 candidatos à uma vaga ao Senado e outros 7 candidatos ao governo.

Beyruth e Alan Rick ainda não pediram registro de candidatura

O pré-candidato pelo PSDB ao senado, o médico Carlos Beyruth, de acordo com a página do TSE, ainda não pediu registro de sua candidatura. Beyruth integra a lista de inelegíveis encaminhada pelo TCU à Justiça Eleitoral. Ao ac24horas, o médico garantiu ter recebido de seu advogado a garantia de que sua candidatura seria válida e prometeu recorrer em caso de entendimento diverso.

Quem também ainda não consta que tenha pedido registro da candidatura é o pré-candidato Alan Rick do União Brasil.

Constam na página do TSE, com pedido de registro de candidaturas ao senado, Ney Amorim (Podemos), Dimas Sandas (Agir), Dra. Vanda Milani (PROS), Dr. Jenilson Leite (PSB), Márcia Bittar (PL), Nazareth Araújo (PT) e Sanderson Moura (PSOL). Ao governo, todos os candidatos já pediram registro de suas candidaturas.

Apesar de não constar o nome na relação do TSE, Beyruth e Alan Rick podem ser candidatos, já que o prazo para o registro de candidaturas só termina na próxima segunda-feira, 15.

Continuar lendo

Acre 01

Segunda é a data-limite para apresentar pedidos de registros de candidaturas para as Eleições

Publicado

em

Termina nesta segunda-feira (15) o prazo para os partidos políticos, as federações e as coligações requererem o registro de candidatas e candidatos a presidente e a vice-presidente da República, governadores e vice-governadores, senadores e respectivos suplentes, deputados federais e deputados estaduais ou distritais. A determinação está prevista no calendário eleitoral de 2022 e reflete as disposições da Lei nº 9.504/1997, a Lei das Eleições, e da Resolução TSE nº 23.609/2021.

O prazo se encerra às 8h, para as candidaturas apresentadas pela internet, e às 19h, para a entrega de mídias com a documentação necessária diretamente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – no caso dos candidatos a presidente – ou nos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) – nos demais casos.

Cada agremiação poderá apresentar apenas uma candidata ou um candidato a presidente e vice, governador e vice, e a senador, com os respectivos suplentes. Para as candidaturas a deputados federais, estaduais e distritais, cada sigla poderá indicar candidatos no número de todas as cadeiras a serem ocupadas, mais uma. Vale lembrar que a legislação eleitoral prevê que, no mínimo, 30% dessas candidaturas às eleições proporcionais deverão ser preenchidas por mulheres.

O processo de registro de candidatura é regulamentado pela Resolução TSE nº 23.609/2019. Segundo a norma, o pedido de registro precisa ser acompanhado da ata da convenção e da respectiva lista de participantes, que deverão ter sido inseridos no sistema CANDex e enviados via internet, ou arquivos digitais gerados pelo sistema entregues à Justiça Eleitoral (JE) pessoalmente em um pen drive até o dia seguinte da realização do evento.

O CANDex é um sistema desenvolvido pela JE exclusivamente para o registro de atas de convenções partidárias e de pedidos de registro de candidaturas. A ferramenta pode ser baixada no Portal do TSE.

No CANDex, deverão ser inseridos os dados biográficos dos candidatos bem como informações sobre o partido e a coligação que integram. Ao iniciar o processo de registro, o sistema gera os formulários de Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP), Requerimento de Registro de Candidatura (RRC) e Requerimento de Registro de Candidatura Individual (RRCI). Os formulários deverão ser preenchidos, impressos, assinados e mantidos pelos respectivos subscritores, e poderão ser requeridos pela JE para conferência da veracidade.

No pedido de registro de candidatura, deve ser informado o nome para constar na urna eletrônica. É possível incluir o nome fonético de candidatas e candidatos, para uso de recursos de acessibilidade da urna. Também devem ser apresentadas: relação de bens, fotografia recente nas especificações da Resolução do TSE, certidões criminais e prova de alfabetização, entre outros dados.

O requerimento passa a tramitar, então, no Processo Judicial Eletrônico (PJe), sob a classe Registro de Candidatura (RCand). Nesse momento, um magistrado do TSE – ou, se for o caso, de um TRE – é indicado como relator do processo.

Com a autuação, os dados são encaminhados automaticamente à Receita Federal para fornecimento, em até três dias úteis, do número do registro do candidato no CNPJ. Esse número autoriza os postulantes a promover a arrecadação de recursos e a realizar as despesas necessárias à campanha eleitoral.

Depois de verificados os dados dos processos, a Secretaria Judiciária do respectivo tribunal eleitoral publica imediatamente no Diário da Justiça Eletrônico (DJe) o edital contendo os pedidos de registro para ciência dos interessados. A partir disso, abrem-se os seguintes prazos: dois dias para que o candidato escolhido em convenção requeira individualmente o registro, caso o partido político ou a coligação não o tenha requerido, e cinco dias para a impugnação dos pedidos. É importante lembrar que não são permitidas candidaturas avulsas.

Qualquer candidato, partido político, federação, coligação ou o Ministério Público pode impugnar o pedido de registro de candidatura em petição fundamentada. A impugnação exige representação processual e será peticionada diretamente no PJe. Constatada qualquer falha, omissão ou ausência de documentos necessários à instrução do requerimento, a sigla, a federação, a coligação ou o candidato será intimado para que a situação seja resolvida no prazo de três dias.

Encerrada a data-limite para impugnação ou, se for o caso, para contestação, a Secretaria Judiciária enviará as informações necessárias para que o relator do processo aprecie o pedido de registro.

De acordo com o calendário Eleitoral, 12 de setembro, 20 dias antes da data do primeiro turno, é o prazo final para que todos os pedidos de registro de candidatura – e eventuais recursos decorrentes do processo – tenham sido devidamente processados, analisados e julgados pelos tribunais eleitorais competentes.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!