Conecte-se agora

Primeiro apoio oficial à pré-candidatura de Gladson Cameli veio do movimento sindical

Publicado

em

Dos nove partidos que vão compor com o Progressistas, do senador Gladson Cameli, na formação da chapa majoritária visando as eleições em 2018, o primeiro apoio oficial veio de uma líder de movimentos de massas, ligada à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a categoria da educação no estado, a professora Rosana Nascimento, que em Congresso Estadual ocorrido no último dia 25, assumiu o comando do Partido Popular Socialista, o PPS, no Acre e anunciou publicamente a deliberação do partido ao projeto encabeçado pelo senador.

Formada em geografia com mestrado em Desenvolvimento Regional, Rosana vive o terceiro mandato na CUT, sendo um como secretária geral e dois como presidente. Participa dos movimentos sindicais desde 2003 e, atualmente, também preside o Sindicato dos Trabalhadores em Educação, o Sinteac.

Para ela, não existe nenhum simbolismo no que foi deliberado no Congresso do PPS quando o assunto é o posicionamento político pelo víeis partidário que estabelece essa divisão binária entre direita e esquerda.

“A minha manifestação é a favor do trabalhador, a posição do PPS estar relacionada ao sentimento de mudança no estado. Não dá para ficar na Frente Popular que se diz de esquerda, mas que segue contaminada por atos de direita, como a política privatizante, ditadura, perseguição aos servidores no direito de se expressar” comentou Rosana.

A sindicalista acrescenta que o PPS aderiu ao projeto que visa desenvolver o estado, trazendo uma política de geração de emprego e renda que deve fortalecer o movimento social em defesa do trabalhador.

“Só haverá um movimento em defesa dos direitos dos trabalhadores e do ser humano, se existir empresas que gerem emprego. Esse é o nosso projeto, por isso deliberados em apoiar a pré-candidatura de Gladson Cameli”, acrescentou a presidente.

Para o senador Gladson Cameli a adesão de Rosana Nascimento e o grupo do PPS na sua proposta de governar o Acre, acrescenta a experiência de quem cobra mudança e está disposto a fazer transformação social.

“A Rosana tem uma bagagem política que dispensa apresentação, ela e o grupo do PPS só têm a somar no nosso mandato no Senado Federal. Estamos organizando de forma muito criteriosa um grupo de pessoas que esqueça o retrovisor, mas que olhe para frente. O Acre precisa de pessoas com capacidade de resolver seus problemas” disse Cameli.

Acre

MPE oficia partidos e coligações sobre condutas vedadas na eleição

Publicado

em

O Ministério Público Eleitoral (MPE) expediu, nesta quinta-feira, 29, um ofício a partidos políticos e coligações com informações sobre as normas que devem ser seguidas nas eleições gerais, que ocorrem no próximo domingo, 2. O documento foi assinado pelos promotores eleitorais das nove zonas do estado.

Aos eleitores será permitida apenas manifestação silenciosa, revelada exclusivamente por meio de acessórios como bandeiras, broches e adesivos. O uso de bonés, camisas e similares são permitidos se custeados pelo próprio eleitor.

Já aos mesários é vedado o uso de vestuário que contenha qualquer propaganda política, estes devem, ainda, retirar do recinto de votação quem não guardar a ordem a atentar à liberdade eleitoral.

Em relação aos fiscais de partidos e coligações são determinadas uma série de normas, entre elas destaca-se a necessidade de crachás contendo apenas o nome do fiscal e a sigla do partido político ou coligação a que sirvam, sendo vedada a padronização do vestuário. O crachá deverá ter medidas que não ultrapassem 15cm de comprimento por 12cm de largura.

O documento informa também que é vedado no dia do pleito, até o término do horário de votação, a aglomeração de pessoas portando vestuário padronizado ou com instrumentos de propaganda eleitoral de modo a caracterizar manifestação coletiva, com ou sem utilização de veículos.

Constituem crimes, no dia da eleição, o uso de alto-falantes e amplificadores de som ou a promoção de comício ou carreata, a arregimentação de eleitor ou a propaganda de boca de urna, a divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos e a publicação de novos conteúdos ou o impulsionamento de conteúdos nas aplicações de internet.

Com informações da assessoria do MPAC.

Continuar lendo

Acre

“Só ataques e baixaria”, diz Gladson ao assistir debate da TV Gazeta

Publicado

em

O governador Gladson Cameli, que está em Cruzeiro do Sul há dois dias, fez uma série de visitas em órgãos estaduais no município nesta quarta-feira, 29, como a Maternidade e a Unidade de Pronto Atendimento- UPA. Ele assistiu à parte do debate promovido pela TV Gazeta, enquanto estava na UPA, de Cruzeiro, verificando necessidades do local.

“Vejo que aconteceu o que eu já previa .Não é um debate, é um momento de agressão, acusação e ninguém debate soluções para os problemas do Acre. Eu tenho muito trabalho pra fazer antes e depois da eleição de domingo e não tenho tempo para perder sendo ofendido e atacado. Estou verificando problemas para encaminhar soluções aqui na Maternidade, por exemplo, onde estamos fazendo um mutirão de cirurgias. Mais de 360 mulheres foram operadas já e vamos zerar essa fila de cirurgias no Acre”, citou.

Cameli anunciou ainda que a gestão do Hospital Regional do Juruá, continuará sob a gestão das freiras. A unidade hospitalar era administrada pela irmã Nair Teresinha, que morreu no último sábado, 24.

Desde a inauguração do Hospital em 2007, a freira administrativa o hospital por meio da Associação Nossa Senhora da Saúde- Anssau, que tem convênio com o governo do Estado através da secretaria de Estado de Saúde- Sesacre. De acordo com o gestor, o modelo implantado pela irmã Nair, deverá ter continuidade.

“Eu me emocionei e lamentei muito a morte dela. Ela deixa muitas saudades, fez um grande trabalho e deixou um modelo pronto que a tendência é seguir. Eu não vou mexer no que está dando certo. Eu tenho que diminuir os problemas e não trazer mais problemas”, garantiu ele, que também esteve na Rodoviária e no Mercado.

Continuar lendo

Acre

Juiz reconhece “flagrante ilegalidade” no fundão do MDB

Publicado

em

Em decisão proferida nesta quinta-feira, 29. o Juízo da 1ª Zona Eleitoral determinou que o Diretório Regional do MDB/AC tem 24 horas para repor os valores devidos aos candidatos verdadeiramente negros.

A determinação decorre de um Mandado de Segurança impetrado por Raphael Bastos, candidato a deputado federal pelo próprio MDB.

Na ação, o candidato afirma que fora prejudicado pela forma com que o presidente do Diretório Regional do MDB no Acre, deputado federal Flaviano Melo, repartiu os valores do Fundo Eleitoral destinados ao financiamento das candidaturas masculinas a deputado federal.

Segundo Bastos, a repartição dos valores não observou as normas vigentes para a destinação proporcional dos recursos aos candidatos negros (pretos/pardos).

Ao analisar a ação, o juiz eleitoral Gilberto Matos de Araújo decidiu que “existe aí um déficit de R$ 813.150,00, representando flagrante ilegalidade, pois encontra-se em descompasso com a a Resolução TSE nº 23.605/2019, com redação dada pela Resolução TSE nº 23.664/2021, nascida em razão do julgamento da Consulta nº 0600306-47.2019.6.00.0000, que pretendeu reverter o quadro de exclusão verificado na realidade social”.

E seguiu: “Além disso, é importante lembrar que o FEFC – Fundo Especial de Financiamento de Campanha é alimentado com dinheiro do Tesouro Nacional, não sendo admissível que seus gestores se afastem dos postulados que definem quem e em que medida, devem ser seus destinatários”.

O magistrado também reconheceu que o custeamento de todas as despesas do partido com recursos que deveriam ser destinados ao financiamento da campanha de candidatos negros também representa ilegalidade.

Disse o juiz que “tal questão é relevante e corrobora a tese da ilegalidade. Veja que o uso de valores das cotas para outros fins, que costumeiramente são pagos por recursos do Fundo Partidário, e não do FEFC, é injustificável. A obrigação dos gestores do FEFC é fazer chegar aos destinatários (candidatos negros ao cargo de deputado federal pelo Acre) os valores a que fazem jus para pagaram pelos custos de suas campanhas”.

No final da decisão, o juiz deferiu, parcialmente, pedido liminar e determinou “que o impetrado corrija, no prazo de 24h corridas, a distribuição de recursos provenientes do FEFC, mediante distribuição para o conjunto de candidatos negros (pretos e pardos) que concorrem ao cargo de Deputado Federal o valor de R$ R$ 813.150,00 (oitocentos e treze mil cento e cinquenta reais)”.

O presidente do Diretório Regional do MDB/AC será intimado da decisão e tem 10 (dez) dias para prestar informações.

Continuar lendo

Acre

Hall sobre debate: “vim apresentar propostas pois só vi ataques”

Publicado

em

O candidato ao governo pelo AGIR, David Hall, chegou a sede da TV Gazeta às 11h10, minutos antes do início do debate da emissora que deverá iniciar às 11h45.

Acompanhado do advogado e do candidato ao senado pela mesma sigla, Dimas Sandas, o professor universitário afirmou que tem como prioridade apresentar propostas.

“Eu vim apresentar propostas, até porque só vimos ataques. Vamos debater ideias para que a população avalie quem é o melhor”, disse.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.