Conecte-se agora

PT afunda no escândalo

Publicado

em

Lula e Dilma terão de se explicar pelo envolvimento com máquina de corrupção da Odebrecht e a suspeita de que coordenavam “uma linha de crédito especial” de R$ 300 milhões oriundo de caixa dois da construtora

Removida do Palácio do Planalto pelas famosas “pedaladas fiscais” que teriam sido executadas pelo seu governo, Dilma Rousseff sofreu o impeachment em que foi acusada de tudo, menos de corrupção ou desonestidade pessoal. Agora, surge a suspeita de que ela teria se beneficiado do repasse de recursos de caixa dois para as suas duas campanhas presidenciais, em 2010 e 2014. Isso é o que transparece das delações de executivos da Odebrecht. A construtora teria criado um esquema que mantinha em caixa uma linha de crédito para tratar dos pagamentos a campanhas e políticos do PT.

O esquema teria movimentado R$ 300 milhões desde 2008, quando a construtora estabeleceu movimentações de caixa dois sob a demanda dos dois poderosos ex-ministros da Fazenda dos governos Lula e Dilma. Segundo os delatores da Odebrecht, Antonio Palocci e Guido Mantega teriam demandado e autorizado, pessoalmente, repasses para beneficiar diretamente Lula, depois que ele deixou a Presidência da República, e Dilma, quando esta entrou na disputa presidencial em 2010 e, posteriormente, na campanha da reeleição, em 2014. Também seriam Palocci e Mantega quem atuavam como ordenadores de repasses a políticos que disputavam as eleições pela legenda.

A história surge nos depoimentos do presidente do grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht. O empreiteiro disse aos coordenadores da força tarefa da Lava Jato que tanto Lula quanto Dilma sabiam dos repasses de dinheiro em caixa dois, usados para custear campanhas de outros petistas, como o governador Sebastião Viana, citado junto com o irmão Jorge Viana, como beneficiados por repasses de caixa dois para suas campanhas. Ambos negam que tenham usado recursos não declarados à Justiça Eleitoral, lembram que não há suspeitas de corrupção. Agora, vão se explicar na Justiça Federal para afastar as suspeitas e não arruinarem as chances do PT na disputa das eleições de 2018 no Acre.

Segundo Marcelo Odebrecht, que herdou em 2007 o negócio da família, antes comandado pelo patriarca Emílio, duas contas foram criadas pela construtora para serem administradas de acordo com as conveniências de petistas. A conta “Italiano” tinha R$ 114 milhões e era administrada por Palocci. Foi aberta logo após o governo Lula atender a dois pedidos da Odebrecht: o chamado “Refis da Crise”, programa de renegociação de dívidas tributárias após a crise financeira de 2008, e o aumento da linha de crédito de R$ 1 bilhão do BNDES para negócios da construtora em Angola.

A outra conta, chamada “Pós-Itália”, era de movimentação exclusiva de Mantega e alcançava a cifra de R$ 110 milhões. Teria sido criada em 2010, quando o dinheiro da conta “Italiano” estava perto de acabar. Embora o dinheiro movimentado não tivesse relação com alguma demanda atendida, a Odebrecht procurava abastecer as contas petistas com recursos das empresas da holding Odebrecht que se beneficiaram de decisões favoráveis do governo.

De acordo com Marcelo, essas contas eram administradas diretamente por ele. Nenhum outro diretor da Odebrecht estava envolvido. Era o atendimento VIP conduzido pelo próprio Marcelo. Só ele tinha acesso ao volume de recursos usados e autorizados. Dilma e Lula negam enfaticamente que sabiam ou mesmo que autorizaram saques. O próprio empresário disse que nunca recebeu diretamente ordens dos dois ex-presidentes para destinar dinheiro para tender a esse ou aquele interesse. Também não tem provas que sustentem a tese. A versão ainda está por se comprovar. Apesar disso, o estrago para os petistas é grande.

Leia mais sobre o  efeito Lava Jato
>>> Um ninho de R$ 155 milhões para o PSDB
>>> O PMDB de Temer: R$ 396 milhões em propinas

Ainda conforme a versão do empresário, os recursos da empresa destinados à campanha de reeleição de Dilma saíram da conta “Pós-Itália”. Isso incluiria o pagamento de caixa dois ao marqueteiro João Santana, responsável pela comunicação da campanha da reeleição da presidente e os repasses feitos por terceiros, como a cervejaria Itaipava.

ESQUERDA ARRANHADA

Outros partidos de esquerda, como PCdoB, PSB e Rede, também terão de se explicar pelo uso de recursos de caixa dois em suas campanhas. Para alguns líderes dessas legendas, é mais difícil enfrentar as denúncias de corrupção e desvio de recursos de obras públicas. É o caso do ex-presidente do PSB Eduardo Campos, governador de Pernambuco, que morreu em acidente aéreo em 2014, no auge da disputa pela Presidência da República.

Eduardo Campos teria se beneficiado com uma “contribuição” de R$ 15 milhões. O valor era por conta de um contrato de R$ 4,5 bilhões que a Odebrecht e a OAS tinham na construção da refinaria Abreu e Lima, uma obra de importância vital para a economia pernambucana e para a Petrobras. Cada empreiteira repassou R$ 7,5 milhões para Eduardo Campos, que indicou para fazer as negociações Aldo Guedes, ex-presidente da estatal Copergás.

Casado com uma prima de Eduardo Campos e sócio do ex-governador em uma fazenda, Aldo Guedes responde a inquérito no STF, instaurado após a delação da Camargo Correa. Ele é acusado de ser operador do pagamento de R$ 41 milhões em propina, juntamente com o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) e o empresário João Carlos Lyra. O ex-presidente nacional do PSB também teria recebido da Odebrecht outros R$ 50 milhões, segundo Marcelo Odebrecht. O dinheiro seria “em nome de sua relação pessoal” dele com o ex-governador.

Diante das denúncias, o PSB limitou-se a dizer em nota que Eduardo Campos surge nas delações “sem condições de se defender”. O partido promete atuar “em todas as instâncias para que seu nome e sua honra jamais sejam maculados”.

Além do PSB, também o PCdoB e a Rede não escapam de constrangimentos sobre repasses feitos pela Odebrecht. No caso do PC do B, a senador Vanessa Graziottin (AM) teria sido beneficiada com repasses em caixa dois para sua campanha, além do deputado federal Daniel Almeida (BA) e da estadual Manuela Dávila. Os três negam que tenham recebido dinheiro de caixa dois para suas campanhas em 2010 e 2014.

No caso da Rede Sustentabilidade, é a presidenta da legenda, Marina Silva, que surge em situação embaraçosa. Embora não seja investigada pela Lava Jato, ela surge como beneficiária direta de doação oficial da Odebrecht de R$ 1,25 milhão à campanha de 2014. A doação ocorreu após encontro de Marina com Marcelo Odebrecht em um hotel de Guarulhos, na campanha de 2014.

Em delação premiada, o ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Alexandrino Alencar descreveu a reunião como “institucional”. “Houve uma conversa de Marcelo com ela, onde foram colocados posicionamentos, valores culturais, não monetários, e estratégias. A partir daí eu fui encarregado de procurar o senhor Álvaro de Souza e nós doamos essa quantia”, disse o delator. A ex-senadora confirma o encontro, mas lembra que a quantia foi declarada à Justiça Eleitoral.

 

 

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Extra Total

Gladson anuncia auxílio para servidores da saúde, concurso público na área e correção do PCCR

Publicado

em

O governador Gladson Cameli (Progressistas) anunciou nas suas redes sociais neste sábado, 12, um pacote de medidas para evitar o início da greve dos profissionais de saúde marcado para esta segunda-feira (14).  No vídeo, Cameli informou que os servidores receberão um auxílio temporário de emergência em saúde no valor de R$ 325,00 de julho a dezembro. 

Segundo Gladson, o Estado fará a revisão do Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho com cronograma e a participação dos sindicatos ainda este ano e que esse laudo será aprovado no primeiro semestre de 2022.  Cameli também anunciou a publicação do edital de concurso público para saúde até o final do ano e correção inflacionária nos termos permitidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

O Chefe do Executivo informou que o governo vem fazendo o possível para atender as pautas dos trabalhadores, mas citou empecilhos como a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).”Mesmo diante dos impedimentos, a conclusão do PCCR será encaminhada até 2021. O governo está fazendo tudo o que pode para valorizar o servidor público. Eu peço a cada um, mesmo que as condições não sejam favoráveis, mas que não percam a fé e a esperança.”, destacou. 

Ao ac24horas, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre e vereador, Adailton Cruz, afirmou que as propostas apresentadas não contemplam os principais pedidos da categoria. Ele citou, por exemplo, a falta da mudança da Lei do Igesac, que pode resultar na terceirização da saúde. 

“Nós estamos aguardando o governo enviar a proposta de forma oficial conforme acordado mais cedo. Independente disso, a greve está mantida para segunda. Iremos levar as propostas para os associados na segunda e eles decidirão sobre a greve”, explicou.  

Continuar lendo

Cotidiano

Jovem é executado com 10 tiros em via pública na frente da esposa e filha no Belo Jardim

Publicado

em

Francisco Thiago da Silva Martins, 21 anos, foi executado a tiros em via pública na tarde deste sábado, 12, no ramal da Judia no bairro Belo Jardim II, no Segundo Distrito de Rio Branco.

De acordo com informações da Polícia, Thiago, sua esposa e filha de 2 anos, estavam transitando em uma bicicleta no ramal, quando homens não identificados se aproximaram em um veículo e um dos criminosos em posse de uma arma de fogo efetuou cerca de 10 tiros na direção da vítima que foi atingida em várias partes do corpo. A esposa e a filha de Thiago saíram ilesas durante a ação dos criminosos. Os bandidos após executarem o jovem fugiram do local.

A ambulância do suporte avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada, mas quando os paramédicos chegaram ao local nada puderam fazer por Thiago que já se encontrava morto.

Policiais Militares estiveram no local e isolaram a área para os trabalhos do Perito em criminalística. A Polícia fez patrulhamento na região em busca de prender os autores do crime, mas ninguém foi encontrado. O corpo foi removido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para os exames cadavéricos.

Agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) seguem com as investigações em busca de identificar os criminosos. A Polícia acredita que o crime foi motivado pela guerra entre facções.

Continuar lendo

Acre

TJAC faz nova convocação de acadêmicos para estágio

Publicado

em

A Presidência do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) tornou pública, na página 150 da edição n. 6.849, do Diário da Justiça eletrônico, de sexta-feira, 11, Edital n. 20/2021 para a convocação dos acadêmicos aprovados no Processo Seletivo Simplificado, realizado em 2018.

Foram convocados dezenove estudantes do curso de Direito, sendo oito para estagiarem no período matutino e onze no período vespertino. Dois estudantes do curso de Administração foram chamados para estágio no período da manhã.

O edital de convocação, assinado pela desembargadora-presidente do TJAC, Waldirene Cordeiro, consta no anexo único, a lista de documentos que os candidatos deverão enviar para o e-mail da Gerência de Desenvolvimento de Pessoas (gedep@tjac.jus.br), sob pena de perda da vaga da função a ser exercida no processo seletivo, no prazo de cinco dias úteis, a partir da publicação do referido edital.

Para mais informações, entrar em contato com a Gerência de Desenvolvimento de Pessoa nos telefones 68 3302-0380 ou 68 3302-0374.

Veja abaixo os documentos necessários:

CPF e RG (Original);
Declaração ou Atestado de Frequência da Instituição de Ensino Superior (atualizada);
Certidão Negativa de Antecedentes Criminais, disponibilizada no site www.tjac.jus.br;
Comprovante de residência contendo o CEP da rua (original);
Uma foto 3X4;
PIS/PASEP/NIT;
Aos portadores de necessidades especiais será necessária a apresentação do atestado médico;
Declaração Pessoal de que não possui outro vínculo DE ESTÁGIO e que dispõe de horário compatível com o expediente forense;
Título de eleitor;
Conta Salário na Caixa Econômica Federal (Ofício expedido pela GECAD)

DIREITO – MANHÃ
CANDIDATO
FILIPE SOUZA MACHADO
REBECA ARAÚJO GAMA
VÍTOR TEIXEIRA LAMAS
ANA BÁRBARA DOS SANTOS LIMA VERDE
PHILIPPE UCHÔA DA CONCEIÇÃO
ALLAN SOARES DE SOUZA
JULYANE SILVA YARZON
EVELYN DAMARIS LIMA DE OLIVEIRA

DIREITO – TARDE
CANDIDATO
BRUNA AMINE LIMA MACEDO COUTINHO
IVAEL PEREIRA MOREIRA
THALISON MATHEUS DA SILVA
LUCAS MARTINS DE BRITO
ISABEL CÍCERA DA SILVA BENÍCIO
ANDRIELLY DE OLIVEIRA SANTOS
GIOVANA FERREIRA RIBEIRO
ANNA CAROLINE NASCIMENTO BASTOS
NILTON MESSIAS CAHÚ DE OLVEIRA
REJANE CAMPOS RIBEIRO
MARCUS VENÍCIUS PACHECO JÚNIOR

ADMINISTRAÇÃO – MANHÃ
CANDIDATO
GABRIEL SOUSA LIMA
SANIELE DE LIMA CAETANO AZEVEDO

Continuar lendo

Acre

Acre registra seis óbitos e mais 65 novos casos da covid-19

Publicado

em

Em boletim divulgado neste sábado, 12, a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) informou o registro de 65 novos casos de infecção por coronavírus, sendo todos confirmados por exames RT-PCR. O número de infectados saltou de 84.039 para 84.104 nas últimas 24 horas.

Até o momento, o Acre registra 224.330 notificações de contaminação pela doença, sendo que 140.068 casos foram descartados e 158 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 78.886 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 127 pessoas seguem internadas até o fechamento deste boletim.

Mais seis notificações de óbitos foram registradas neste sábado, 12, sendo quatro do sexo masculino e dois do sexo feminino, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 suba para 1.707 em todo o estado.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas