Conecte-se agora

​IBGE aponta Acre sendo um dos com maior crescimento do PIB

Publicado

em

Dados das Contas Regionais divulgados hoje (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam o Acre como um dos estados do Brasil que apresentaram maior crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 na comparação com 2013.

Em termos de crescimento, segundo os dados, os maiores avanços ficaram com as pequenas economias regionais. Tocantins teve a maior alta entre 2013 e 2014 (6,2%), seguido pelo Piauí (5,3%), por Alagoas (4,8%), pelo Acre (4,4%) e por Mato Grosso (4,4%). Desses cinco estados, quatro estão entre as 10 menores economias do país.

O PIB do Brasil em 2014 foi de R$ 5,78 trilhões. No ranking de participação percentual dos estados no PIB nacional, o Acre, que ocupava a 26ª posição em 2013, subiu para a 25ª em 2014 com PIB de R$ 13,46 bilhões.

Cinco estados brasileiros responderam juntos por quase dois terços PIB do país em 2014. As economias de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, do Rio Grande do Sul e Paraná representaram 64,9% do PIB nacional naquele ano. São Paulo continua sendo o principal motor da economia brasileira,

Em relação a 2013, a única troca de posição entre os 10 maiores estados ocorreu entre o Rio Grande do Sul e o Paraná. Os gaúchos passaram os paranaenses e ocupam a quarta posição, respondendo por 6,2%. Já o Paraná, na quinta posição, responde por 6% da economia nacional.

Destaque 4

Escola de Ciência do CNPEM/MCTI abre inscrições para a sua primeira turma

Publicado

em

A Ilum Escola de Ciência, iniciativa do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), Organização Social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), está com as inscrições abertas para candidatos à primeira turma do curso de Bacharelado em Ciência, Tecnologia e Inovação. Serão oferecidas 40 vagas, com início das aulas previsto para 15 de fevereiro de 2022.

O curso, com três anos de duração em período integral, é gratuito e pelo menos metade das vagas será destinada a estudantes vindos da escola pública. Os alunos aprovados terão moradia, alimentação e transporte custeados pela escola, e um computador pessoal para uso durante os três anos de formação.

Sem fins lucrativos, a escola conta com financiamento do Ministério da Educação (MEC) e foi avaliada como de excelência pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), recebendo a nota máxima, 5. Essa avaliação considera o projeto pedagógico, a infraestrutura e a qualificação do corpo docente.

O ministro Milton Ribeiro, da Educação, visitou a instituição no início do ano e ressaltou a decisão de investir na iniciativa. “O Governo Federal sabe da importância do fomento à formação de futuros cientistas. Vimos de perto a seriedade do trabalho aqui realizado e esperamos colher importantes frutos para o país a médio e longo prazo.”

O formulário de inscrições ficará disponível no site da Ilum (https://ilum.cnpem.br) até 15 de dezembro de 2021. Essa será a primeira etapa do processo seletivo, na qual será requisitada uma Manifestação de Interesse do candidato. A seleção vai considerar ainda a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e, na última fase, o aluno passará por entrevista com a comissão de avaliação do curso.

“O perfil de alunos que buscamos é o do jovem curioso, com um interesse genuíno pela ciência, que busca respostas para as questões reais que o mundo do século XXI enfrenta. É um projeto baseado na mão na massa e na mente trabalhando. O grande objetivo é a formação de cientistas, com um aprendizado profundo”, afirma Adalberto Fazzio, diretor da Ilum.

“É muito importante termos uma iniciativa como a escola Illum , une o conhecimento teórico e prático, e mais interessante que a formação ingressa os jovens para as carreiras do futuro, que considero a nossa próxima fronteira. Vagas gratuitas e acessíveis para acesso ao conhecimento que resultarão em novos engenheiros, pesquisadores, cientistas, professores e outras profissões conectadas com um mundo novo, mas com soluções nas áreas de saúde, agricultura, IA, TICs, IoT, renováveis, óleo e gás, aeroespacial, entre outras, caminhando para atuação no desenvolvimento sustentável para a humanidade e para o planeta”, afirma o ministro Marcos Pontes, da Ciência Tecnologia e Inovações – MCTI.

O corpo docente da escola é formado por professores seniores, com reconhecida contribuição científica, e por professores pesquisadores, jovens doutores e pós-doutores com jornada integral e dedicação exclusiva à escola. Os laboratórios contam com equipamentos de ponta.

Formação interdisciplinar

A proposta da Ilum é formar profissionais com uma base sólida em ciências e tecnologia, aptos a atuarem em diversos segmentos, capacitando os futuros cientistas a seguir carreira na pesquisa, na docência, em laboratórios de empresas privadas e órgãos públicos, como especialistas em inteligência artificial, aprendizado da máquina e análise de dados. Os estudantes que quiserem continuar a formação acadêmica serão capazes de seguir diretamente para o doutorado.

Inovador, o curso está baseado no ensino ativo, em que o aluno é o protagonista do aprendizado, com o apoio e orientação dos professores. Por esse método, os estudantes já chegam para a aula sabendo o conteúdo que será apresentado, o professor faz uma breve exposição teórica e propõe questões, interações ou trabalhos em grupo sobre o tema, incentivando a autonomia e oferecendo todo o suporte para a construção do conhecimento.

Essa metodologia enfatiza as atividades práticas e tem foco na interdisciplinaridade, fundamental para fazer frente aos desafios colocados globalmente para a ciência nos tempos atuais, como as energias limpas, produção agrícola, sustentabilidade, saúde, fármacos, transporte e logística, questões climáticas, materiais e minerais estratégicos, entre outros.

“Vivemos uma era na qual o conhecimento avança tão rápido que o especialista muitas vezes tem dificuldades de cruzar as fronteiras imaginárias criadas pelas disciplinas tradicionais. Os profissionais devem estar preparados para atuar em problemas cada vez mais temáticos e menos disciplinares. O profissional do futuro que sobreviverá com sucesso será aquele que está mais preparado para as mudanças”, afirma Nelson Studart Filho, coordenador pedagógico da Ilum.

Teoria e prática

Desde o início do curso, os alunos da Ilum estarão envolvidos na resolução de problemas, por meio do desenvolvimento de projetos e experimentação nos laboratórios avançados da escola e com a imersão gradual no ambiente de pesquisa e inovação tecnológica do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), onde participarão de palestras, poderão usar equipamentos de ponta e acompanhar o trabalho dos pesquisadores.

Nos cinco primeiros semestres, haverá aulas teóricas e práticas na sede da Ilum e os estudantes terão acesso às instalações do CNPEM de duas a três vezes por semana no período da tarde. No último semestre, a imersão será total, com a execução integral do projeto final do curso no centro nacional de pesquisa, que conta com quatro laboratórios de referência nacional e o acelerador de partículas Sirius, fonte de luz síncrotron de última geração. Nesses ambientes, terão orientação de especialistas das mais diversas áreas que trabalham na maior e mais complexa infraestrutura de pesquisa do Brasil.

Currículo

A grade curricular envolve três grandes áreas do conhecimento científico: ciências da vida (biologia celular, biologia molecular, bioquímica, ecologia, genética e botânica), ciências da matéria (mecânica clássica, termodinâmica, teoria do eletromagnetismo, mecânica quântica, sistemas orgânicos e nanotecnologia) e linguagens matemáticas (álgebra linear, probabilidade estatística, ciência de dados, análise e modelagem). Haverá também disciplinas de humanidades e empreendedorismo (cultura clássica, ciência moderna, ética, inovação, gestão de projetos, cultura digital e cultura e sociedade).

“A escola se baseia em um modelo de ensino diferenciado e disruptivo para formar cientistas engajados e profissionais éticos, com formação humanista. Criamos na Ilum um ambiente de aprendizado significativo e integrado, e não apenas salas de aula, com ênfase no trabalho colaborativo, em que os alunos se reúnem para resolver problemas. Hoje em dia, nós sabemos que não adianta um cientista ser brilhante se não souber interagir com os seus pares”, explica a historiadora Ivia Mineli, professora da Ilum.

Um exemplo dessa colaboração é a maneira como serão executados os projetos no último ano do curso. Cada projeto reunirá quatro alunos: dois serão pesquisadores principais e dois colaboradores, alternando essas posições a cada novo trabalho. O objetivo é desenvolver a capacidade de trabalhar em equipe, tanto em posições de liderança quanto de subordinação.

A arquitetura da escola reflete esse conceito colaborativo, com espaços para estudos, trabalhos em equipe e de convivência equipados com lousas móveis para que os estudantes possam interagir e trocar conhecimentos e experiências também fora da sala de aula e dos laboratórios.

A Ilum ocupa um prédio de 2,1 mil metros quadrados no bairro Santa Cândida, em Campinas (SP), onde nasceu o CNPEM, na década de 1980. Foi lá que foram projetados e construídos os equipamentos do primeiro acelerador de elétrons do Hemisfério Sul, o UVX.

O imóvel foi totalmente modernizado e adaptado para abrigar a escola, com um projeto especialmente pensado para criar um ambiente de inovação, em que pesquisa, ensino e experimentação estão integrados, garantindo também conforto ambiental e acessibilidade. Os alunos da Ilum contarão ainda com um centro de vivência fora da escola, que será construído no campus do CNPEM.

Nasce uma escola

A Ilum começou a ser concebida há seis anos a partir de discussões envolvendo o Conselho de Administração do CNPEM, professores, pesquisadores, engenheiros do centro de pesquisa e membros da comunidade científica.

A escola também promove um ciclo de eventos on-line sobre temas ligados a ensino, ciência, tecnologia e inovação, o “Diálogos Ilum”. Voltado a educadores, alunos e pessoas interessadas em ciência e ensino, é realizado sempre às quintas-feiras às 16h. Para participar, basta fazer a inscrição em formulário disponível no site https://pages.cnpem.br/ilum/.

“O CNPEM é tradicionalmente um centro que fomenta a busca de soluções para grandes problemas e a inovação científica. Com a Ilum, investimos ainda mais no fazer científico, desde a sua fase inicial, contribuindo para a formação de jovens pesquisadores com mente crítica e curiosidade para investigar o mundo”, afirma Antonio José Roque da Silva, diretor-geral do CNPEM.

Serviço

Ilum Escola de Ciência

Inscrições: de 28/09/2021 a 15/12/2021, gratuitamente, pela internet, no endereço https://pages.cnpem.br/ilum/.

Entrevistas: 18 a 26 de janeiro de 2022.

Início das aulas: 15 de fevereiro de 2022.

Acompanhe as informações atualizadas nas redes sociais da Ilum Escola de Ciência:

Ilum – Escola de Ciência | Instagram
Ilum – Escola de Ciência | Facebook
Ilum – Escola de Ciência | Twitter
Ilum – Escola de Ciência | LinkedIn
Ilum – Escola de Ciência | Youtube

Raio X

Onde fica: Rua Lauro Vannucci, 1.020, Parque Rural Fazenda Santa Cândida, Campinas-SP

Infraestrutura: ocupa uma área de 2,1 mil metros quadrados, com dois andares, 4 salas de aula com estações de trabalho para grupos de seis alunos, equipadas com recursos audiovisuais e multimídia, laboratório úmido, laboratório seco para atividades práticas de física e computação, laboratório de equipamentos especiais (com microscópios de força atômica, microscópios de tunelamento e espectrômetro Raman), laboratório de biomicroscopia (com microscópios para estudos de biologia), estúdio para gravação e edição de vídeos, sala de estudos, biblioteca e área de convivência com lanchonete.

Sobre a Ilum Escola de Ciência

Com proposta inovadora na formação de futuros cientistas, a Ilum Escola de Ciência é uma iniciativa do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), Organização Social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Sem fins lucrativos e gratuita para os alunos, a escola tem financiamento do Ministério da Educação (MEC) e abrirá sua primeira turma em 2022. Possui corpo docente altamente qualificado, formado por professores seniores e jovens pesquisadores com doutorado e pós-doutorado, e recebeu a nota máxima do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). A escola possui uma infraestrutura de ponta, laboratórios com equipamentos modernos e um ambiente que estimula a inovação e a troca de conhecimento. O curso tem duração de três anos, em período integral. A metodologia de ensino é baseada no conceito de aprendizado ativo, em que os alunos são protagonistas de sua formação com a orientação dos professores. A escola oferece uma sólida formação científica, de forma multidisciplinar e interdisciplinar, capacitando seus alunos para atuarem em pesquisas de fronteira, em empresas privadas e órgãos públicos e como empreendedores, preparados para atender aos desafios impostos à ciência no cenário atual. Os alunos da Ilum têm acesso ao ambiente de pesquisa do CNPEM, onde poderão usar equipamentos para pesquisas avançadas e ter contato com seus pesquisadores. A Ilum privilegia ainda o ensino de disciplinas na área de humanidades para uma formação integral de seus alunos, baseada na ética e na cooperação na busca por respostas e soluções às questões globais do mundo moderno.

Sobre o CNPEM

Ambiente de pesquisa e desenvolvimento sofisticado e efervescente, único no País e presente em poucos polos científicos no mundo, o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) é uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações (MCTI). O Centro é constituído por quatro Laboratórios Nacionais e é berço do mais complexo projeto da ciência brasileira – o Sirius – uma das mais avançadas fontes de luz síncrotron do mundo. O CNPEM reúne equipes multitemáticas altamente especializadas, infraestruturas laboratoriais mundialmente competitivas e abertas à comunidade científica, linhas de pesquisa em áreas estratégicas, projetos inovadores em parcerias com o setor produtivo e ações de treinamento para pesquisadores e estudantes. O Centro constitui um ambiente movido pela busca de soluções com impacto nas áreas de saúde, energia, meio ambiente, novos materiais, entre outras. As competências singulares e complementares presentes no CNPEM impulsionam pesquisas e desenvolvimentos inovadores nas áreas de luz síncrotron; engenharia de aceleradores; descoberta de novos medicamentos, inclusive a partir de espécies vegetais da biodiversidade brasileira; desenvolvimento de processos bio e nanotecnológicos com foco na produção de materiais avançados para aplicações nos setores químico, de alimentos e bebidas, têxtil, petróleo e gás, defesa e aeroespacial; além de soluções biotecnológicas para o desenvolvimento sustentável de biocombustíveis avançados, bioquímicos e biomateriais.

Continuar lendo

Destaque 4

Após 48 horas desaparecido, motorista de aplicativo é encontrado amarrado em estrada

Publicado

em

O motorista de aplicativo Marcicley Ferreira, 23 anos, que estava desaparecido desde a noite da última segunda-feira, 18, foi encontrado amarrado e com escoriações pelo corpo em uma área de mata na região da estrada do Amapá, em Rio Branco.

Segundo informações divulgadas em grupos de WhatsApp, o jovem foi encontrado pela Polícia Militar. A suspeita é que o motorista tenha sido amarrado para que os bandidos conseguissem fugir com o veículo, no entanto, o caso será investigado pela Polícia Civil. O carro de Marcicley, inclusive, foi localizado na cidade de Guajará Mirim, região do Amazonas, na última terça-feira, 19.

Horas antes do encontro, motoristas de aplicativos realizaram uma passeata na cidade e fecharam a ponte metálica em protesto ao desaparecimento.

Continuar lendo

Destaque 4

Aleac autoriza Gladson a pegar emprestado quase R$ 230 milhões do Fonplata

Publicado

em

A Assembleia Legislativa do Acre autorizou nesta quarta-feira (20) o governo do Estado a contrair empréstimo de R$ 227 milhões junto ao Fundo de Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata). A base desse recurso é investimento em saneamento básico e infraestrutura.

Cinco projetos serão contemplados, entre eles a construção da ponte que liga o bairro do Quinze à Baixada da Sobral. O pedido foi autorizado por 17 votos.

Emendas foram incluídas e aprovadas, cancelando pedidos de empréstimos feitos anteriormente pelo governo do Estado, além de assegurar recursos para a produção rural.

Para o deputado Edvaldo Magalhães, cinco autorizações de financiamento não concluídos somam R$ 1,7 bilhão e não foram usados por falta de gestão. “Não conseguiu contratar um real sequer”, criticou Magalhães.

Seu colega, Roberto Duarte, retomou do secretário de Fazenda, Rômulo Grandidier, que disse não ter conhecimento dos cinco projetos de lei autorizando o endividamento do Acre.

Já Manoel Morais concordou com a natureza do empréstimo junto ao Fonplata. “O que o Acre precisa é infraestrutura mesmo”.
Outro PL aprovado foi a renovação do Refis.

Continuar lendo

Destaque 4

Estudo diz que o Acre registra a maior expansão de novas unidades de supermercados no país

Associação de Supermercados do Acre, no entanto, contesta números do levantamento

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

Levantamento realizado pela Geofusion, do segmento de inteligência geográfica no país, aponta que o Acre teve um ritmo de abertura de supermercados no primeiro semestre de 2021 superior ao índice registrado no período pré-pandemia e também o maior, em termos percentuais, que os demais estados brasileiros.

Enquanto o primeiro semestre de 2019 houve aumento de 26,5% de novas unidades, nos seis primeiros meses de 2021, esse número registrou alta de 86% – em números absolutos isso significa mais 186 unidades abertas no estado. Em 2020, esse dado ficou negativo, registrando -22,5%.

O presidente da Associação de Supermercados do Acre (ASA), Adem Araújo, disse ao ac24horas que a entidade não sabe ao certo quantas lojas foram abertas no estado, mas considerou que o número absoluto de 186 novas unidades deve estar errado. Segundo ele, nem em todo o Norte foram abertas tantas lojas.

“Deve estar errado. Essa quantidade não abriu nem no Norte todo. Não temos informações certas de quantas lojas abriram, pequenas lojas abriram na capital e no interior e sabemos que há lojas grandes sendo construídas para abrirem em breve, talvez tenham entrado nessa conta, por terem sido constituídas na receita e junta comercial”, afirmou.

Informada da posição do presidente da Associação de Supermercados do Acre, a Assessoria de Comunicação da Geofusion ratificou que o estado se destacou, nacionalmente, em termos percentuais, na expansão do número de novas unidades.

“Nosso levantamento leva em consideração a abertura de hiper, super e mini mercados. O Acre foi um dos destaques, em termos nacionais, como um dos estados com maior expansão em número de novas unidades, do ponto vista percentual”, respondeu a agência Dona Comunicação, responsável pela distribuição da informação.

O levantamento

Nacionalmente, o levantamento da Geofusion aponta que o ritmo de abertura de supermercados no primeiro semestre de 2021 superou o índice registrado no período pré-pandemia. Enquanto o primeiro semestre de 2020 teve 8,4% novas lojas a mais que no mesmo período do ano anterior, nos seis primeiros meses de 2021, o número de novas unidades registrou alta de 43,9%.

Considerado essencial para o comércio varejista, o setor foi um dos poucos que se manteve a pleno vapor mesmo durante o auge da crise sanitária. Destacam-se, nesse contexto, o fato de as pessoas terem ficado mais tempo em casa, com o aumento do consumo de alimentos nos domicílios, e o pagamento do auxílio emergencial, que garantiu renda mínima aos mais vulneráveis.

Com o início da pandemia em 2020, muitas inaugurações foram adiadas. Os dados mais atuais fornecidos pela Geofusion, mostram que no primeiro semestre deste ano o setor de supermercados recuperou seu ritmo de crescimento pré-pandemia.

O segmento de supermercados tem apresentado tendência de expansão desde 2015 em todo o país. Até 2018, houve variação entre 15% e 20%, no primeiro semestre. De janeiro a junho de 2019, o aumento do número de novas unidades foi ainda maior: 39,5% em relação ao primeiro semestre de 2018. Com o início da pandemia em 2020, muitas inaugurações acabaram sendo adiadas.

Os dez estados que registram maior expansão, no primeiro semestre de 2021, foram: Acre (86,0%), Sergipe (70,5%), Pernambuco (63,9%), Roraima (63,5%), Bahia (61,9%), Piauí (59,6%), São Paulo (56,5%), Amapá (56,5%), Tocantins (52,2%) e Paraíba (48,0%). Todos esses estados vinham apresentando crescimento no indicador, e, em diversos momentos, estiveram no ranking dos estados com maior expansão em termos proporcionais.

Quando se trata de números absolutos, destacam-se São Paulo, com abertura de quase sete mil lojas; Bahia, com quase quatro mil unidades; Minas Gerais, com 3,3 mil; Rio de Janeiro , com 2,6 mil; Rio Grande do Sul e Ceará, ambas com aberturas de aproximadamente 2,2 mil unidades, e por fim, Pará, Goiás, Paraná e Pernambuco, com cerca de 1,8 mil novos estabelecimentos.

Consumo de alimentos

Desenvolvida pela Geofusion a partir de metodologia própria, a estimativa anual per capita de consumo de alimentos no domicílio é maior nos seguintes estados:

Rio Grande do Sul (R$ 2,60 mil), São Paulo (R$ 2,56 mil), Santa Catarina (R$ 2,56 mil), Amapá (R$ 2,52 mil), Distrito Federal (R$ 2,50 mil), Rio Grande do Norte (R$ 2,44 mil), Paraná (R$ 2,26 mil), Mato Grosso do Sul (R$ 2,20 mil), Goiás (R$ 2,16 mil) e Rio de Janeiro (R$ 2,16 mil).

O potencial de per capita de compras no estado do Acre, neste ano, é de R$ 1,91 mil.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas