Conecte-se agora

Flaviano Melo rebate Jorge Viana: “Tragédia é o governo da Dilma”

Publicado

em

O senador Jorge Viana (PT) deu várias entrevistas no Acre, nessa semana, afirmando que um possível governo de Michel Temer (PMDB) será uma “tragédia”. O deputado federal Flaviano Melo (PMDB) contrariou essas afirmações. “Tragédia é o Governo da presidente Dilma (PT) que fez o povo ir para a rua pedir o seu impeachment. Ela levou o Brasil ao caos. Desequilibrou tudo que já havia sido feito pelos presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Lula (PT). Pedalada é algo muito leve para o que a Dilma fez. Ela cometeu um crime pesado. Gastou mais de R$ 100 bilhões sem ter fundos. Nos tempos do FHC e do Lula, por exemplo, se tinha R$ 500 milhões em caixa para pagar uma despesa de R$ 510 milhões. Então essa diferença de 10 milhões era paga com dinheiro de outro setor e logo depois reposto. Não foi isso que aconteceu no governo da Dilma que deixou buracos enormes sem ter de onde repor. E por conta desse desequilíbrio o país quebrou, o desemprego atingiu patamares insuportáveis. Ela acabou com os avanços conseguidos pelo FHC e o Lula,” desabafou Flaviano.

Em defesa do Temer

Na opinião de Flaviano, o vice Michel Temer é a única pessoa capaz, nesse momento, de contornar a crise econômica e política do país. “O Temer é um homem de parlamento acostumado com as negociações política. É um conciliador. Te garanto que não vai aumentar mais impostos que acabam refletindo na queda da arrecadação. Ele representa a saída constitucional,” garantiu.

Sobre novas eleições

Flaviano também criticou o senador do PT que está pregando a realização de novas eleições. “A Constituição diz que se houver o impeachment da presidente quem assume o lugar é o vice. Qualquer coisa diferente do que está na nossa Carta Magna é que é golpe. Mas parece que existe gente que gosta ainda da ditadura,” ironizou Flaviano.

Escrito nas estrelas
Não por convicção pessoal, mas por questões partidárias o deputado Éber Machado (PSDC) deverá apoiar a FPA nas eleições municipais. A pressão de membros do PSDC será grande para o retorno do partido. A cereja do bolo pode ser a devolução de cargos de confiança no Estado ao PSDC.

Diálogo com a oposição

Éber conversou bastante com o ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB) depois de anunciar que não será candidato a prefeito de Rio Branco. Machado deixou claro que a decisão passa por dentro do PSDC. Sendo assim será difícil o partido se manter independente.

Foco nos vereadores

O deputado do PSDC me disse que a sua maior preocupação é com os candidatos a vereadores. A neutralidade do PSDC nas eleições de Rio Branco está descartada. Os candidatos precisarão de um palanque majoritário para pedir votos.

Consequências nefastas

Se o PSDC decidir voltar à FPA ficará chato para Éber Machado. Ele foi convidado a se retirar da coligação comandada pelo PT. Terá um sapo barbudo para engolir. Mas como em política existem as perdas e os danos, se o PSDC decidir, assim será.

Questão de liderança

Acompanhei um pouco da conversa de Éber com Bittar. O tucano sugeriu que Éber influencie a decisão do partido com a sua liderança. A neutralidade nas eleições já foi descartada. Mas será muito difícil o PSDC marchar com a oposição.

Cada macaco no seu galho

O fato é que o trabalho parlamentar de Éber Machado na ALEAC cresceu bastante depois que o PSDC abandonou as hostes governistas. Sem o “cabresto” Éber se tornou porta-voz de algumas categorias oprimidas. Resta saber se continuará assim caso retorne à base governista.

O mundo é das mulheres

Um petista me garantiu que as mulheres estão “empoderadas” no atual Governo de Tião Viana (PT). Decisões essenciais passam pelas mãos de cinco delas que estão dando o tom de muitas ações desfechadas pela gestão.

Água na cintura

As investigações de irregularidades na distribuição de Casas Populares do Governo envolvem dois assessores diretos do secretário da SEHAB, Jamyl Asfury. Como perguntar não ofende, será que o governador Tião Viana vai exonerar o secretário?

Complexo de Lula

O ex-presidente Lula (PT) ficou marcado nas suas duas gestões por não saber de nada que acontecia ao seu redor. Será que Jamyl vai adotar a mesma tática? O fato é que a oposição na ALEAC já vinha denunciando essas entregas irregulares de casas há muito tempo.

Ponto para a isenção

A Polícia Civil confirmou a suspeita de corrupção na SEHAB. Ponto para o secretário de segurança, Emylson Farias. Pelo noticiário que acompanhei as investigações foram feitas de maneira transparente sem poupar ninguém.

O Brasil passado a limpo

Tudo que está acontecendo no Brasil é fruto de investigação. As polícias podendo trabalhar de maneira independentes significam um combate eficiente à corrupção. A Polícia Federal já indiciou deputados, senadores, ex-presidente e outra figuras de peso da República, no Lava Jato. Agora, no Acre, se essas investigações da SEHAB avançarem de forma isenta deverão chegar a gente “importante”. O fato é que brincar com dinheiro público é algo abominável. Fazer negociatas com moradias para sem tetos das classes desfavorecidas é um crime de lesa à humanidade. Como alguém pôde ter tido a ideia de explorar miseráveis para colocar mais alguns trocados no bolso? Um crime pesado que deve ser punido com toda a severidade tanto pelas leis divinas quanto humanas.

 

 

Anúncios

Coluna do Nelson

Recurso para assentado da reforma agrária será via cartão magnético em seu nome

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

MDB e PDSB devem travar uma “briga” intensa por secretário da ALEAC

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Depois de 20 anos, prefeitura de Cruzeiro terá a parceria do Governo

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Gladson Cameli realizou o sonho de infância de ser governador do Acre

Publicado

em

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas