Conecte-se agora

Em vídeo, filho de Hildebrando diz que família não irá participar de manifestação e prega paz pela liberdade do pai

Publicado

em

A família de Hildebrando Pascoal não irá participar da manifestação que está sendo organizada via redes sociais para o dia 18 deste mês, na sede Tribunal de Justiça, dia em que a liminar contra o regime de progressão de pena do ex-coronel será julgado. A informação é de Hildegard Gondim, filho de Hildebrando Pascoal.

Em um vídeo, em sua página no Facebook, Hildegard diz que sua família vai continuar lutando por justiça, mas de forma pacífica sem “bater em governo, na paz e embasados na lei”.

“Muita gente tem me ligado perguntando se nós vamos participar dessa manifestação. Não, não vamos. Vamos sim mostrar a cara, expor nossa opinião sem faltar com respeito. Vamos sim lutar pelo que é direito de Hildebrando Pascoal embasados na lei. Sem agressividade, sem bater em governo, sem nada disso. Na paz na tranqüilidade, que é somente o que nós desejamos”, informa.

Nesta semana, Hildegard Gondim tatuou o braço com desenho do rosto do pai. A homenagem teve grande repercussão na rede.

A liberdade condicional a Hildebrando Pascoal foi concedida pela juíza Luana Campos, da Vara de Execuções Penais, na segunda-feira passada pela manhã, mas no mesmo dia à noite, o desembargador Roberto Barros atendeu ao pedido do Ministério Público pela manutenção da prisão do ex-coronel e por meio de uma liminar cassou a decisão da magistrada.

play-rounded-fill

Destaque 2

MP Eleitoral pede impugnação de candidatura de Mailza como vice de Gladson

Publicado

em

O Ministério Público Eleitoral protocolou na tarde desta terça-feira, 16, uma ação de impugnação de registro de candidatura contra a senadora Mailza Gomes, candidata a vice-governadora na chapa do governador Gladson Cameli, candidato à reeleição pelo Progressistas. Na semana passada, após as convenções, a parlamentar pleiteou a candidatura a vice junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Acre, mas no entendimento do Procurador Regional Eleitoral Fernando Piazenski a candidata encontra-se inelegível, haja vista que foi condenada à suspensão de seus direitos políticos em uma Ação de Improbidade Administrativa, que importou em lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito na época em que foi secretária municipal na Prefeitura de Senador Guiomard, na época administrada pelo seu ex-marido James Gomes.

“Inicialmente, ressalte-se não ser necessário, para a configuração da inelegibilidade da alínea L, que a sentença ou o acórdão condenatório seja explícito quanto ao dolo do agente da improbidade administrativa, bastando que a fundamentação da referida decisão judicial evidencie que o ato de improbidade que ensejou a condenação foi praticado de forma dolosa, e não culposa. Não se trata de rediscutir o mérito da decisão judicial que ensejou a condenação por improbidade administrativa, mas apenas de verificar se presentes ou ausentes os elementos de enquadramento jurídico da conduta na causa de inelegibilidade prevista na alínea “l” do inciso I do art. 1º da LC nº 64/1990”, argumentou Piazenski no mérito da ação.

De acordo com o MP Eleitoral, a condenação por ato de improbidade administrativa que importe enriquecimento ilícito (art. 9º da Lei nº 8.429/1992) e/ou dano ao erário (art. 10 da Lei nº 8.429/1992), como ocorre no presente caso, constitui a causa de inelegibilidade prevista no art. 1º, inciso I, alínea “l”, da LC nº 64/1990, sendo desnecessária a cumulatividade de ambos os referidos requisitos. “Isso porque, a conjuntiva “e” contida no texto do referido dispositivo legal pretendeu apenas adicionar mais uma hipótese de prática ímproba que caracteriza a inelegibilidade (enriquecimento ilícito), além dos atos dolosos que gerem lesão ao erário, e não cumulá-las. É que nem todo ato doloso de improbidade que importa em enriquecimento ilícito do agente público ou de terceiro gera necessariamente lesão ao erário, ou vice-versa”, argumentou.

Para o Procurador Eleitoral, o significado da norma é que nas condenações por ato doloso de improbidade que importem lesão ao erário “e” também naqueles que importem enriquecimento ilícito, presentes os demais requisitos, estará caracterizada a inelegibilidade da alínea “l”. “Com efeito, essa é a interpretação teleológica e sistemática do art. 1º, alínea “l, da LC nº 64/1990 que possui maior conformidade à exigência constitucional de proteção da probidade administrativa e moralidade para exercício de mandato eletivo que fundamenta o referido dispositivo legal, conforme preconizado nos arts. 14, § 9º, e 37 da CF/88. Outrossim, tem-se que é irrelevante, para a configuração da inelegibilidade prevista na alínea l do inciso I do art. 1º da LC nº 64/1990, a menção – na parte dispositiva da decisão condenatória do ato de improbidade – do dispositivo legal que a fundamentou (art. 9º, 10 ou 11 da Lei nº 8.429/1992), já que a LC 64/90, ao descrever a causa de inelegibilidade da alínea L, não se reportou a dispositivos específicos da lei de improbidade, limitando-se a fixar os requisitos de sua configuração”, defende.

Continuar lendo

Blog do Crica

PSDB reage a pressão do Palácio e mantém candidatura de Beirute ao Senado

Publicado

em

“NÃO vamos arredar um milímetro da candidatura do Beirute ao Senado, compromisso é para ser cumprido”. A afirmação é do presidente do PSDB, Correinha, que se sente descompromissado de fazer uma parceria para apoiar uma candidatura a senador de outro partido. 

“Havia um compromisso formal com o governador Gladson que o PSDB iria indicar o nome do primeiro suplente do candidato oficial a senador do seu grupo; mas como quem indicou foi o PDT, vamos de Carlos Beirute (PSDB) para o Senado”, garantiu ontem Correinha ao BLOG. Ontem, foi feito pedido de registro da candidatura do Beirute junto à justiça eleitoral.

 Correinha lamentou ainda ao BLOG a fidelidade do PSDB não estar sendo levada em conta: “Onde estava o PDT, em 2018? Com o Emylson Farias de vice na chapa do PT. E, o PSDB estava na chapa do Gladson. A lealdade não é levada em conta? Temos chapas para deputado estadual e federal, e vamos todos para a campanha do Beirute. Não tem essa conversa do PSDB fazer um gesto, como estão propondo emissários do governo. Quem falta fazer gesto é quem deu ao PDT a primeira suplência do Ney Amorim”, avisou um resoluto Correinha.

DUPLA DA ANTIGA

A DUPLA de marqueteiros Gilberto Braga e David Sento-Sé, que fez as campanhas políticas do PT nos últimos 20 anos, volta à cena nesta eleição. Gilberto fará a campanha do Jorge Viana (PT) e da Nazaré Araújo (PT); e Davi, a dos candidatos majoritários do PT-PCdoB-PV.

DIA DA LARGADA

Nesta terça-feira, começa oficialmente a campanha política, com os candidatos colocando as suas estruturas nas ruas. No final do mês já teremos 15 dias de campanha, e as pesquisas que virão no início de setembro darão o primeiro panorama do cenário do Governo e Senado. Pesquisa antes disso é brincadeira.

A POLÍTICA NÃO É PARA AMADOR

QUEM sai na frente de uma campanha gastando sem um planejamento financeiro, pode morrer na seca, na reta final. É, exatamente, nos últimos 20 dias, que as eleições começam a se decidir. É quando entram os candidatos profissionais a deputado, com o rolo-compressor da grana alta e amassam os amadores. Sempre foi assim.

COMO VAI FICAR ESTE BOLO?

O PROS retirou a sua candidatura a presidente e vai apoiar o Lula. A saber como fica o quadro local, onde o PROS é adversário do PT; com a candidatura da Vanda Milani (PROS) ao Senado, que apoia para o governo o senador Sérgio Petecão (PSD). Além de que, é bolsonarista ferrenha. E, o PT tem o Jorge Viana de candidato a governador. Como vai ficar este bolo?

DUAS CANDIDATURAS COM BASE

O MDB, como partido, vai descarregar os seus votos na região do Alto Acre na candidatura do deputado federal Flaviano Melo (MDB), que busca a reeleição. O MDB do Juruá vai se concentrar na reeleição da deputada federal Jéssica Sales (MDB). São os dois nomes da chapa para a Câmara Federal do partido, com bases políticas sólidas.

SUPEROU A REJEIÇÃO

O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo (MDB), ao acompanhar ontem ao TRE-AC para registros de chapas do partido a Mara Rocha (MDB), Fernando Zamora (PRTB) e Márcia Bittar (PL), mostrou que divergências na convenção sobre a Márcia foram superadas. Flaviano sempre foi partidário.

OLHOS VOLTADOS

QUEM será o candidato a governador a ser apoiado pelo deputado Jenilson Leite (PSB), que disputa o Senado? Os partidos que têm candidatos a governador, também, estão com o espaço para o Senado ocupado. Situação difícil para o Jenilson fazer uma opção neste cenário.

CANDIDATURA SOLTEIRA

DEPOIS do PT ter lhe abandonado, não resta muito ao deputado Jenilson Leite (PSB), ao não ser ele continuar com a sua candidatura a senador solteira.

JOGAR NO ZEN

A CÚPULA do PT, com a desistência do Marcus Alexandre (PT) de disputar uma vaga na ALEAC, para ser candidato a vice, a reeleição do deputado Daniel Zen (PT) passou a ser prioridade entre os cardeais do PT.

VANTAGEM DA GRANA

NA CHAPA da federação PT-PV-PCdoB, quem larga na briga pelas vagas para a Câmara Federal, com uma certa vantagem, são os deputados federais Perpétua Almeida (PCdoB) e Léo de Brito (PT), porque cada um deve entrar na parada com 1 milhão de reais do Fundo Eleitoral, para tocar a campanha. 

PINCELADA DO VOTO EVANGÉLICO

UM evangélico de uma importante denominação religiosa me explicou ontem, o motivo pelo qual os Pastores não conseguem direcionar o grosso dos votos dos fiéis aos seus candidatos: “A maioria evangélica é composta de pessoas de baixa renda. Na véspera da eleição os candidatos de fora da Igreja chegam com dinheiro e compram os votos. Por isso é que se diz ser o voto evangélico mais quebrado que arroz de terceira”.

JONAS É JV

O DEPUTADO Jonas Lima (PT) será o principal puxador de votos, em Mâncio Lima, do candidato do PT ao governo, Jorge Viana, o que vai contrapor o apoio do irmão e prefeito Isaac Lima (PT), que está com o Gladson.

OU PULAM FORA OU FICAM MAL NA FITA

OS prefeitos Isaac Lima (Mâncio Lima) e Jerry Correia (Assis Brasil), que são dissidentes do PT apoiando a candidatura à reeleição do Gladson Cameli, têm todo direito de fazer a opção. Mas, para não ficarem com o carimbo da “traição política”, deveriam se afastar ou deixar o PT. Ficaria mais lógico e coerente, ora, pois!

EXEMPLO IDEOLÓGICO

O PREFEITO de Xapuri, Bira Vasconcelos (PT), é um exemplo de político que tem ideologia. Não capitulou quando o PT perdeu o poder e se manteve firme, mesmo enfrentando a dificuldade de ser oposição ao atual governo.

RESPEITO, MAS NÃO CONSIGO VER

CONTINUO crendo que, – a campanha pode mudar o panorama – o governador Gladson Cameli (PP) tem hoje lugar cativo no segundo turno. E, também não creio na eleição ser decidida no primeiro turno. O Sérgio Petecão (PSD), Jorge Viana (PT), Mara Rocha (MDB) e Márcio Bittar (União Brasil), todos têm comprovada densidade eleitoral. Não serão meros figurantes nesta eleição.

CAMPANHA PROFISSIONAL

PELAS NOTÍCIAS que chegam o Ney Amorim (PODEMOS) está fazendo uma campanha profissional, com adesões importantes, em todos os municípios. Foi incluído no grupo restrito que será ouvido na campanha do Gladson, comandado pelo coordenador da campanha, Rômulo Grandidier. Do grupo, também, deve fazer parte o ex-deputado Luiz Calixto.

FRASE MARCANTE

“A amizade que pode terminar nunca foi verdadeira”. São Jerônimo.

Continuar lendo

Destaque 2

“Costelão da Maçonaria” reúne candidatos ao governo do Acre em ritmo de pré-campanha

Publicado

em

Com sete candidatos ao governo e o início da campanha eleitoral não vai ser difícil que os postulantes ao Palácio Rio Branco acabem se encontrando nas mesmas agendas. Foi o que ocorreu neste sábado, 13, durante o Costelão Beneficente realizado pela Maçonaria no Parque de Exposições Wildy Viana, no segundo distrito de Rio Branco.

Gladson Cameli, candidato à reeleição pelo Progressistas, Mara Rocha, do MDB, e Jorge Viana, do PT, foram os candidatos majoritários ao governo que passaram pelo evento em busca de uma deliciosa costela e, claro, apoio político.

Já o senador Sérgio Petecão, candidato pelo PSD, preferiu fazer campanha no Festival do Açaí, no município de Feijó. Márcio Bittar não divulgou agenda neste final de semana, mas participou de reuniões para definição da equipe que vai coordenar sua campanha. David Hall, Agir, e Nilson Euclides, PSOL, não divulgaram agenda.

A campanha eleitoral é permitida mesmo a partir da próxima terça-feira, 16, quando os candidatos estão aptos a divulgar seus números e pedir votos.

O próximo “ponto de encontro” dos candidatos será em Cruzeiro do Sul na próxima segunda, dia 15, quando acontece a procissão e o encerramento do novenário de Nossa Senhora da Glória, a maior festa religiosa do Acre.

Continuar lendo

Blog do Crica

Com Jorge Viana no jogo, eleição ao governo caminha para o 2º turno

Publicado

em

NEM entre os adversários não resta mais dúvida de que a entrada no cenário do ex-senador Jorge Viana (PT) como candidato a governador, deve jogar a decisão da disputa para o segundo turno. Com Gladson Cameli (PP), Sérgio Petecão (PSD), Jorge Viana (PT), Márcio Bittar (União Brasil), Nilson Euclides (PSOL), David Hall (AGIR) e Mara Rocha (MDB), ficou mais longe a briga pelo Palácio Rio Branco ser liquidada já no primeiro turno.

 Os números das pesquisas devem mudar depois do fim do mês, quando já teremos tido 15 dias de campanhas nas ruas. E, campanhas costumam pregar peças, quem está em cima pode vir para baixo e vice e versa. 

Ninguém comemore e ninguém se sinta derrotado, antes da campanha atingir os grotões dos votos. Porque ninguém é dono desses votos. Ponto.  

JOGOU PIMENTA NA DISPUTA

QUEIRAM ou não, gostem ou não gostem dele, mas o grande fato político do último dia das convenções, ontem, foi o anúncio da candidatura do Jorge Viana (PT) ao governo. Não meçam o JV pela régua do PT, tem votos bem além dos muros petistas. Jogou pimenta na disputa. E embolou o jogo com a chapa que ainda tem o Marcus Alexandre (PT) de vice e a Nazaré Araújo (PT), para o Senado. Será uma chapa muito competitiva.

MELHOR VICE, DISPARADO

SEM dúvida alguma o vice que mais vai agregar de todas as chapas, é o Marcus Alexandre (PT). Seria deputado estadual, com certeza, e entre os mais votados. Abriu mão de uma disputa previsível por uma imprevisível. Colocou o PT acima do interesse pessoal. É para poucos.

SÍNDROME DE PETER PAN

O MDB, no tocante ao debate interno, pelo menos no estado, é orgânico, sem golpismo. A executiva regional reuniu e decidiu, está decidido. Foi o caso da candidatura da Márcia Bittar (PL) ao Senado da chapa emedebista. Um grupo com síndrome do Peter Pan (o menino que nunca cresceu), ainda tentou melar a escolha, para colocar o Flaviano Melo (MDB) na disputa do Senado. Mas, o próprio Flaviano desestimulou a manobra.

CLAQUE DO VELHO LOBO

A CLAQUE que apoia a candidatura do deputado federal Flaviano Melo (MDB) á reeleição, era a mais animada e numerosa da convenção de ontem do partido. O velho Lobo sabe o caminho das pedras, ele é favorito na busca de novo mandato. Disputa a sua última eleição.

A EMOÇÃO NÃO É BOA CONSELHEIRA

O Alan Rick (União Brasil) é um excelente deputado. Sem dúvida. Mas está sendo muito açodado na sua candidatura a senador pelo União Brasil. Não vai ter paz na campanha. O Márcio Bittar (União Brasil), candidato ao governo, vai exigir seu apoio. Se negar o acionará na justiça por infidelidade partidária. Terá que contratar advogado para se defender. E a sua campanha vai virar um inferno. A prudência é uma virtude. Na política, quando se perde uma batalha (como da vice), se busca outro caminho. Brigar pela reeleição num cenário de paz, seria o ideal. Tem como pedir votos pelo belo mandato que exerceu até aqui. A emoção não é boa conselheira política.

NÃO PODE CONTAR COM O GLADSON

TEM AINDA um ponto que o deputado federal Alan Rick (União Brasil) tem de observar: não poderá contar com o apoio do governador Gladson Cameli, depois que este colocou o Ney Amorim (PODEMOS) no seu colo para o Senado. É um fato que deve ser bem analisado por ele.

PELO PODER, NÃO FOI DAS MELHORES

POR estar no poder, o Gladson poderia ter formado uma chapa majoritária bem mais forte. Este foi o comentário majoritário ouvido ontem nas mais diversas rodas.

CAPITULOU DEPOIS DA VITÓRIA

A SENADORA Mailza Gomes (PP) viveu um personagem surreal nesta história. Impediu o Gladson de detonar sua candidatura a mais um mandato, manteve uma briga contra forças poderosas, venceu, e agora capitulou para ser vice do governador Gladson. Faltou coerência no ato.

E, AGORA, BOCA?

O PREFEITO Bocalom me ligou ontem irritado com uma nota que colocava um membro do seu grupo como defensor da senadora Mailza Gomes (PP) ser vice do governador Gladson. Negou veementemente. Disse que o compromisso com a direção nacional era dela ser candidata ao Senado e não a vice. Feito o registro. Mas, antes de encerrar, uma pergunta: a Mailza Gomes é a vice na chapa do Gladson Cameli: e agora, velho Boca?

DISPUTA SEM FAVORITO

NAZARÉ ARAÚJO (PT), Vanda Milani (PROS), Sanderson Moura (PSOL), Dimas Sandas (AGIR), Márcia Bittar (PL), Alan Rick (União Brasil), Ney Amorim (PODEMOS), Jenilson Leite (PSB). São os candidatos ao Senado. O que se pode dizer, de cara, é que é uma chapa onde não existe um amplo favorito. Será uma disputa acirrada.

PARA QUE LADO VAI O BOCALOM?

NÃO HÁ DÚVIDA de que o fato da senadora Mailza Gomes (PP) ser a vice do Gladson Cameli, não muda uma vírgula do seu apoio ao Petecão para o governo. A Mailza não é mais candidata a senadora. Quem é que, o Tião Bocalom (PP) apoiará agora, para o Senado?

VOLTA DAS VELHAS

NUMA POSTAGEM dura e ferina o candidato ao Senado pelo PSOL, Sanderson Moura, situou a chapa majoritária do PT, só com militantes, como a volta das velhas caras.

DIFERENÇA GRITANTE

QUANDO o PT estava no poder, nas campanhas, todos os militantes iam para as ruas brigar por votos e balançar as bandeiras. Com os comissionados do governo Gladson não é assim, são acomodados. Se viu isso na candidatura da Socorro Neri para a PMRB. O Ney Amorim (PODEMOS), que viveu o momento do PT, vai sentir essa diferença com sua candidatura ao Senado.

TURMA DO PETECÃO EUFÓRICA

QUEM estava ontem eufórica, era a turma de cima da candidatura do senador Sérgio Petecão (PSD) ao governo, com o novo cenário para o Senado. Acham que a candidata Vanda Milani (PROS) entra de vez no jogo.

SORRISO ABERTO

QUEM ESTAMPAVA um sorriso aberto ontem na convenção do PT, era o candidato a deputado estadual, Cesário Braga (PT). Diz que, com a saída do Marcus Alexandre do páreo, boa parte do seu espólio virá para a sua candidatura.

CANDIDATURA POSTA

NUM ATO mais com os candidatos a deputado, o senador Márcio Bittar (MDB) teve ontem a sua candidatura homologada para governador; e do deputado federal Alan Rick (União Brasil) para senador.

DEFENSOR NÚMERO UM

O EX-PREFEITO Vagner Sales (MDB) é hoje dentro do partido o defensor número um da candidatura da Márcia Bittar (PL) ao Senado, na chapa emedebista.

ENTRA COM EXPERIÊNCIA

O presidente da FIEAC, empresário José Adriano (PP), nota-se, está nesta eleição com uma campanha melhor estruturada do que a passada, e pode surpreender dentro da chapa do PP. É uma chapa sem favoritos.

ESTÁ NA BRIGA

O PSB confirmou ontem a candidatura do deputado Jenilson Leite (PSB) ao Senado. A posição do PT de lhe cozinhar em banho-maria, não o demoveu da ideia de continuar na disputa. Resta saber quem o PSB apoiará para governador, depois do rompimento com o PT. 

FRASE MARCANTE

“Há amigos que são como andorinhas: acompanham-nos no verão da prosperidade e voam no inverno das aflições”. Cícero.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.