Conecte-se agora

Sebastião Viana gasta mais de R$ 1,4 milhão com publicidade em pouco mais de dois meses de mandato

Publicado

em

O governador do Acre, Sebastião Viana (PT), gastou mais de R$ 1,4 milhão para fazer publicidade dos atos de sua administração, em pouco mais de dois meses de seu segundo mandato à frente do Poder Executivo. A informação é do portal de transparência do Estado que mostra os repasses efetuados pela Secretaria de Estado de Comunicação (SECOM) à agência de publicidade Cia de Selva.

O primeiro repasse de recursos superior a R$ 831 para custeio da divulgação dos atos oficiais do governador petista foi realizado no dia 12 de fevereiro, referente a serviços prestados no mês de janeiro. O segundo pagamento de mais de R$ 645 mil foi realizado no dia 16 de março, referente a serviços prestados no mês de fevereiro. Há quase 17 anos, a Cia de Selva é dona do contrato de mídia.

Segundo dados da Lei de Diretrizes Orçamentárias Anual (LOA), o governo do Acre vai gastar mais de R$ 14 milhões com serviços de publicidade em 2015. A verba de mídia é usada para pagar os espaços de divulgação do Poder Executivo, nos jornais impressos, emissoras de rádio, emissoras de TV e portais de notícias contratados pela Cia de Selva, que gerencia toda verba de publicidade.

O segundo pagamento para publicidade institucional foi efetuado pelo governo do Acre, logo após o governador Sebastião Viana decretar situação de calamidade pública no Acre, decisão foi motivada pela cheia histórica dos rios do Estado, que desabrigou milhares de famílias nos municípios de Brasiléia, Assis Brasil, Xapuri e Tarauacá que sofreu nove alagações consecutivas.

Captura de Tela 2015-03-18 às 08.05.29 Captura de Tela 2015-03-18 às 08.08.14

Destaque 2

Leites e derivados terão mais aumento de preço e possibilidade de escassez no Acre

Publicado

em

Uma preocupação geral das redes de supermercados deve atingir ainda este ano os consumidores acreanos. Procurado pelo ac24horas, o empresário Adem Araújo, sócio do Grupo Arasuper, alertou para mais aumento significativo nos preços nos produtos lácteos. Além disso, há ainda a possibilidade de escassez de leites e seus derivados no estado.

A tendência é que o aumento de preço no leite e seus derivados deva atingir o estado até o final de 2022 e a partir de julho o cliente seja obrigado a pagar de R$ 7 a R$ 8 no litro do leite. A perspectiva é que a situação seja amenizada somente a partir de 2023.

De acordo com o empresário, esses produtos são os que estão tendo aumento de preços nesse momento. “O mercado teve redução na matéria-prima de leite, além do aumento no custo, ainda tem a possibilidade de escassez do produto”, explicou Adem à reportagem.

Segundo ele, os produtos que compõem a cesta básica estão todos com preços em alta. “Alguns estabilizaram, porém em patamares elevados”, diz o empresário. Óleo de soja, arroz e café são produtos que não estão tendo tanta variação, mas em 2020 eram comprados pela metade do preço ou menos, exemplifica a rede de supermercados acreana.

A situação tem impactado não só o Acre, mas estados de todas as regiões do Brasil, ainda que em menor escala de preços. Durante entrevista à Rádio Gazeta 93.3 FM, Adem afirmou que empresários do setor sugeriram isentar o ICMS, o que depende do governo estadual e que um estudo vem sendo elaborado a fim de encontrar uma solução para a inflação.

Continuar lendo

Destaque 2

Homens e mulheres são obrigados a dividir o mesmo banheiro na recepção do Pronto-Socorro

Publicado

em

Pacientes e acompanhantes que aguardam atendimento no Pronto-Socorro da capital acreana convivem com uma situação constrangedora.

Há muitos meses homens e mulheres são obrigados a dividir o mesmo banheiro na recepção da maior unidade de urgência e emergência do Acre.

A situação incomoda quem busca atendimento no local. “Eu acho desconfortável, se uma pessoa, por exemplo esquecer de fechar a porta a gente pode passar por uma situação constrangedora”, diz Maria Alice Silva que levou o filho para uma consulta.

O ac24horas procurou Dona Vitorino, gerente geral do Pronto-Socorro da capital acreana, ela confirmou a situação, mas disse que que um outro banheiro está sendo providenciado.

“Quando a gente assumiu a gerência quatro meses atrás nos deparamos com essa situação. O que a gente tá fazendo é resolver um outro banheiro que já existia, mas que precisava de reparos e dentro de pouco tempo a gente vai ter um banheiro exclusivamente para o uso das mulheres”, disse.

Continuar lendo

Destaque 2

Contrariando a Sefaz, STN diz que Acre ultrapassou em 0,16% o limite de gastos com pessoal

Publicado

em

Dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) apontam que Rio Grande do Norte, com 52,10%, e Acre, com 49,16%, ultrapassaram o limite previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF para Despesa Total com Pessoal sobre a Receita Corrente Líquida – RCL – no Poder Executivo que é de 49%.

Os dados acima, além de outros, estão no Relatório de Gestão Fiscal – Estados + Distrito Federal (RGF em Foco – Estados + DF) do 1º quadrimestre de 2022. O documento apresenta demonstrativos dos Estados e do DF relativos ao primeiro quadrimestre de 2022, permitindo visualizar a situação de cada Unidade Federativa em comparação às demais.

Em relação ao limite da Dívida Consolidada Líquida – DCL – sobre a Receita Corrente Líquida, o Acre e todos os demais estados estão dentro do limite de duas vezes o valor da RCL. Os quatro estados que têm as maiores relações DCL/RCL apresentaram queda entre o valor da DCL/RCL no fim de 2021(31/12/2021) e o 1º quadrimestre de 2022: Rio de Janeiro reduziu de 199% para 174%, Rio Grande do Sul de 183% para 163%, Minas Gerais de 169% para 153% e São Paulo de 127% para 120%.

O documento traz, ainda, a relação do volume de precatórios sobre a RCL. No 1º quadrimestre de 2022, três estados apresentaram um volume de precatórios sobre a RCL acima de 20%: Rio Grande do Sul (22%), Distrito Federal (21%) e Rondônia (20%). Na outra ponta, dois estados não possuem precatórios: Alagoas e Amazonas.

Por fim, o relatório apresenta o volume de operações de crédito em relação à RCL. Esse dado se refere ao fluxo de ingresso do recurso ocorrido no quadrimestre e não necessariamente à assinatura do contrato. Nesse recorte, o estado do Amazonas se destaca com 5,6% do valor da sua RCL sendo utilizada em operações de crédito, seguido de Espírito Santo com 0,9% e Ceará com 0,8%.

Com a divulgação do RFG em Foco – Estados e DF, o Tesouro reforça seu compromisso com a transparência dos dados fiscais e com a divulgação de informações, tanto da União quanto dos entes da Federação, que venham a contribuir para a realização de um debate qualificado em torno da importância de se buscar a solidez das contas públicas.

“Esse foi o percentual informado tanto para o TCE quanto para a STN, embora esteja acima, nos encontramos em decrescente. Isso mesmo contratando na Segurança, Educação e pagando prêmios e promoções, inclusive anteriores a esta gestão. Neste percentual já consta valores pagos com reajuste e auxílio alimentação aprovado pela Aleac e sancionado pelo governador. Ontem (22/6) foi aprovado no senado a exclusão dos gastos com Organizações Sociais no cômputo do gasto com pessoal, assim podemos em breve sair deste patamar e ficar dentro do limite prudencial. Vale ressaltar que fatores econômicos e de arrecadação, como redução de alíquotas e essencialidade de alguns produtos que estão em trâmite no Congresso podem afetar este cenário”, disse Amarísio Freitas, titular da Secretaria de Estado da Fazenda do Acre.

Continuar lendo

Destaque 2

Taxa de inadimplência do Acre está entre as 10 maiores entre estados brasileiros

Publicado

em

Dados divulgados pela Serasa Experian na terceira semana de junho, mas referentes ao mês de abril deste ano, indicam que o Acre está entre os estados com população mais endividada do Brasil.

Apesar de outros órgãos já terem divulgado dados mais atuais sobre o tema, a Serasa traz alguns números que chamam a atenção na última edição do Mapa da Inadimplência: o endividamento no Acre é maior que em 18 estados brasileiros.

Com 45% da população adulta com alguma dívida, o Acre só tem menos devedores que Amazonas, Distrito Federal, Amapá, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Roraima. Sobretudo, diz o Mapa, a inadimplência do Acre em abril é 0,57% maior que em março, dando sinais que voltou a crescer após queda em comparação a fevereiro, quando 45,35% da população adulta estava devendo.

Além disso, a inadimplência acreana é 3,99% superior à média brasileira – 41,01% em abril. O estado que atualmente mais devedores possui entre seus habitantes é o vizinho Amazonas, onde 52,55% da população está enterrada em contas não pagas.

Contudo, a inadimplência não cresceu só no Acre, segundo o Mapa. O levantamento da Serasa indica que o número de inadimplentes no Brasil cresceu 0,67% em relação a março, apresentando crescimento no endividamento pelo quarto mês consecutivo. Com relação ao perfil dos inadimplentes, os brasileiros de 26 a 40 anos se destacam na faixa etária, representando 35,5% do total dos inadimplentes.

No período, a soma total dos descontos concedidos no Serasa Limpa Nome chegou a mais de 4 bilhões em total de descontos, evitando que o volume de endividados no país crescesse ainda mais. O valor médio de cada acordo ficou em R$ 679,42 e a região que se destacou no total de acordos foi o estado de São Paulo.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!