Conecte-se agora

Igrejas vão suspender atividades por causa das eleições do 2º turno

Publicado

em

Como aconteceu no primeiro turno, diversas igrejas evangélicas vão cancelar suas atividades espirituais do domingo pela manhã, dia 26, por causa das eleições do segundo turno.

Na Assembléia de Deus, por exemplo, considerada a maior denominação evangélica do Acre, com mais de 200 templos só em Rio Branco, não haverá Escola Bíblica Dominical, reunião de estudo promovido pela igreja todos os domingos a partir das 8h.

A prática de suspensão das atividades dominicais nos dias de pleitos eleitorais não é nova. Ocorre desde os anos 1990.

Acre

Jarude diz que é “ensurdecedor” o silêncio de Socorro após operação

Publicado

em

O vereador Emerson Jarude (MDB), na sessão presencial da Câmara de Rio Branco, comentou a Operação Candeeiro, que foi desencadeada nos estados do Acre, Rio de Janeiro e Espírito Santo nesta quarta-feira (04) pela Polícia Civil do Acre.

A Operação tem objetivo de apurar a existência de um suposto grupo criminoso que agia no contra administração pública na contratação dos serviços de iluminação pública.

Em sua fala, o parlamentar afirmou que a Câmara de Vereadores perdeu uma oportunidade enorme de ajudar a Polícia Civil ao não abrir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do LED. Na época, eram necessárias seis assinaturas para abertura da CPI, mas apenas quatro vereadores assinaram: Hildegard Pascoal (PSL), Samir Bestene (Progressistas), Lene Petecão (PSD) e Emerson Jarude (MDB).

“O combate à corrupção não pode ser apenas de uma parte, tem que ser de todos nós, vereadores. Eu quero parabenizar esses heróis da Polícia Civil que não fecharam os olhos e que tiveram a coragem de fazer aquilo que a Câmara não teve, que foi de investigar esses contratos. Queria que a Socorro Neri tivesse aqui nesse momento pra ela dizer as mesmas coisas que ela disse no Gazeta Entrevista quando ela falou que estranhava que uma pessoa formada em direito estava fazendo colocações como a minha referente a CPI”, afirmou

“É ensurdecedor o silêncio da ex-prefeita Socorro Neri após a Operação Candeeiro, que pode resultar no maior esquema de corrupção ocorrido na sua gestão. Prometeu iluminar 100% Rio Branco. Entregou escuridão, fraude e tentativas de desqualificar nosso combate à corrupção”, acrescentou.

Continuar lendo

Acre

Célio Gadelha receberá R$ 4,2 mil em diárias para realizar curso em SP

Publicado

em

O vereador Célio Gadelha (MDB), da Câmara de Rio Branco, embarca na próxima terça-feira, 10, para São Paulo para realizar um curso de capacitação de “Ética Moral na Administração Pública”, que será realizado pelo Instituto “Qualificar e Treinamento”, em São Paulo (SP), durante o período de 10 a 14 de agosto.

A portaria Nº 224 foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (05). O vereador receberá, 4,5 (quatro e meia) diárias, totalizando R$ 4.227,93. A portaria foi assinada pelo presidente da Câmara de Rio Branco, N. Lima (Progressistas).

Atualmente, uma diária de vereador vale R$ 939,54. Com salário de R$ 12 mil, cada parlamentar tem direito à contratação de até 12 assessores cujo as somas de seus salários cheguem no máximo até 30 mil.

Continuar lendo

Acre

Acre vai avaliar aplicação de 2ª dose da vacina diferente da primeira

Publicado

em

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) recomendaram à Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) que submeta ao Comitê Técnico Estadual de Investigação de Eventos Adversos Pós-vacinação contra Covid-19 a análise sobre a possibilidade de se aplicar doses de vacinas de fabricantes nos casos de pessoas com efeitos adversos graves, com a avaliação médica dos especialistas do Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie/AC).

A recomendação para a intercambialidade das vacinas ressalta o alinhamento feito em reunião entre o Ministério Público e os representantes da Sesacre a respeito dos estudos científicos positivos existentes sobre a intercambialidade de vacinas, a morosidade do Ministério da Saúde em emitir orientação sobre o assunto em relação às pessoas que apresentaram eventos adversos pós-vacinais quando da tomada da 1ª dose de vacina e as recomendações das sociedades médicas brasileiras e estrangeiras sobre o assunto.

O MP afirma que garantir a segunda dose da vacina em prazo regular constitui um direito fundamental à saúde, e cita ainda, na recomendação, que, em situações de exceção, onde não for possível administrar a segunda dose da vacina com a do mesmo fabricante, seja por contraindicações específicas, ou por ausência do imunizante no país, pode ser ofertada uma vacina de outro fabricante.

Os autores da recomendação, procurador da República Lucas Costa Almeida Dias e promotor de Justiça Gláucio Ney Shiroma Oshiro ressaltam ainda que o Ministério da Saúde autorizou não apenas as grávidas e puérperas a encerrar seu esquema vacinal, preferencialmente, com o imunizante Pfizer e, em caso de indisponibilidade, a utilização da vacina Sinovac, mas também orienta a intercambialidade na mesma pessoa, seja por contraindicações específicas, seja porque a pessoa recebeu a primeira dose no exterior e, já no Brasil, não tenham à disposição o mesmo produto.

O texto do documento produzido pelo MP elenca diversos estudos, realizados em vários países, considerando seguro e até recomendável o procedimento da oferta de doses provenientes de mais de um laboratório fabricante.

A Sesacre terá 10 dias para se manifestar sobre o documento, informando sobre o cumprimento da recomendação, ou justificando o não acatamento.

Com informações da assessoria do MPF no Acre.

Continuar lendo

Acre

Jéssica Sales fortalece saúde e cultura Indígena do Acre

Publicado

em

Já são mais de R$ 3,2 milhões, destinados à construção de postos de saúde, centros culturais e sistemas de abastecimentos de água, além de suporte logístico e tecnológico, dentro de aldeias de difícil acesso.

A mais recente conquista aos povos indígenas, aconteceu no município de Mâncio Lima. Mais de 700 índios, da etnia Puyanawa, com cânticos e rituais, celebraram a chegada da primeira Unidade Básica de Saúde, dentro da terra indígena. E não é para menos: a estrutura de saúde é a primeira no Acre, construída com recursos de emenda parlamentar. Ampla, moderna e totalmente equipada, a UBS faz uma justa homenagem ao primeiro Cacique, Mário Puyanawa Mãpa, vítima da covid-19, em junho do ano passado.

“Isso representa a realização de um grande sonho, especialmente do meu pai, que muito lutou pela nossa gente e, que agora, tem seu nome eternizado aqui. Esse posto de saúde traz mais vida para nós e também para as outras aldeias, que vivem ao nosso redor. Só temos a agradecer”, destacou o cacique Joel Puyanawa, que também é vereador no município, pelo PT.

Aldeias de Tarauacá, localizadas no Igarapé do Caucho e 27, também já foram contempladas com recursos de Jéssica Sales, para construção de unidade básica de saúde e sistema de abastecimento de água. E em Feijó, indígenas da Aldeia Morada Nova, também serão contemplados com uma UBS. Jéssica garantiu também ainda recursos para aquisição de barcos de alumínio com motor, para indígenas do município de Santa Rosa do Purus e destinou emenda parlamentar, para potencializar o suporte tecnológico dentro de algumas aldeias, através da instalação de pontos de internet. Em Porto Walter, os Araras, agradecem a indicação de emenda parlamentar para construção da Casa do Índio. E da mesma forma, em Cruzeiro do Sul, mais de 650 Katukinas, aguardam felizes, a ordem de serviço para a construção de um espaço de convivência Indígena, também assegurado por Jéssica Sales.

“Atualmente, no Brasil, estão presentes várias discussões que permeiam a questão da importância dos povos indígenas no nosso país. Eu sou parceira dos Povos da Floresta, porque reconheço que eles são a verdadeira referência de constituição de um patrimônio histórico e cultural. Prova disso, são aos mais de R$ 3,2 milhões que destinei, com recursos das minhas emendas. Faço do meu mandato, um instrumento de transformação social, sem distinção de cores partidárias, raça ou religião. Meu mandato é participativo e democrático. A política certa é essa: perto das pessoas, feita para o bem comum”, finalizou Jéssica Sales.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas