Conecte-se agora

Risco de morte no Pronto Socorro

Publicado

em

Equipamentos hospitalares, pneu, cabos de alta tensão
e fios expostos dividem espaço com a improvisada
tubulação de oxigênio do Hospital de Urgência e
Pronto Socorro de Rio Branco

Ray Melo,
da redação de ac24horas
raymelo@ac24horas.com

O principio de incêndio na obra do novo Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), na semana passada, revelou os perigos a que estão expostos pacientes e servidores da área de saúde, que são obrigados a fazer um atendimento improvisado, nas instalações que estão em construção, desde o início da gestão do ex-governador Binho Marques (PT).

Nos fundos do Huerb, estaria localizada a área mais crítica das instalações. Cilindros de oxigênio e aparelhos hospitalares estão armazenados em uma área aberta, com livre trânsito de operários e funcionários do Hospital. A única proteção que existe no local é uma placa de papel dizendo que é proibido fumar.

O frágil aviso não combina com os cabos de energia que passam próximo aos cilindros e que podem provocar uma grave explosão na tubulação de oxigênio que atende ao Pronto Socorro, caso entrem em curto, como ocorreu em outra parte da obra, na semana passada.  Fios de energia expostos, disjuntores e tomadas compõem o cenário do depósito.

A área coberta totalmente aberta é usando também para os operários guardarem bicicletas, uma máquina de solda, pneus e um fogão industrial. No mesmo local foi deixado um aparelho de Raio X, que de acordo com servidores do hospital, mesmo em funcionamento foi colocado em desuso, depois da terceirização dos serviços de imagem pelo Governo do Acre.

Um funcionário do hospital revela que o equipamento poderia ser usado nas UPA’s, mas foi descartado pela direção do Hospital. Alheios ao perigo, funcionários da cozinha da unidade de saúde sentam próximo aos equipamentos  hospitales e cilindros de ar comprimido. Um aparelho de tomografia também estaria no depósito improvisado que fica próximo às lixeiras de matérias infectantes e da casa de força.

A reportagem fotografou toda movimentação de servidores e operários no canteiro de obras que divide espaço com o atendimento de urgência e emergência no principal hospital de Rio Branco.

Diretor administrativo do hospital afirma que em um mês a questão estará solucionada

O diretor administrativo do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), Thiago Viana informou que o local onde estão instalados os cilindros de oxigênio será isolado. O gestor disse ainda, que os equipamentos foram depositados no local, para que as obras de reformam avancem de acordo com o cronograma estabelecido.

“Os cilindros ficavam acondicionados numa sala especifica anexa ao necrotério. Tanto o necrotério, quando a sala dos cilindros foi demolida para as obras de reforma avançar. Dentro de um mês, a questão estará solucionada. Nosso compromisso é com a segurança dos pacientes e dos servidores que prestam serviço no hospital”, diz Viana.

 Quanto ao possível risco aos operários da obra e aos servidores do Huerb, que transitam livremente no depósito dos cilindros de oxigênio, Thiago Viana destacou que campanhas de esclarecimentos foram realizadas para que as pessoas não fumem próximo aos recipientes. Os cabos de energia também serão retirados com a construção de uma subestação.

“Futuramente, a área que os cilindros foram colocados será o almoxarifado.  Estamos também construindo uma nova subestação e o cabos de energia que são visíveis no local da obra serão retirados”, enfatiza Viana. O gestor confirmou que uma máquina de tomografia e um aparelho de Raio X também estariam na mesma área, nos fundos do Huerb.

“A máquina de tomografia e o aparelhos de Raio X, estão esperando o patrimônio do Estado, para que sejam recolhidos”, destaca Viana.

 

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas