Conecte-se agora

Soldados da Borracha acrianos vão assinar hoje livro Heróis da Pátria

Publicado

em

Mais de 65 mil “Soldados da Borracha”, incluido os acrianos,  serão homenageados, nesta quarta-feira (4), no Panteão dos Heróis e Heroínas da Pátria, na Praça dos Três Poderes, em Brasília. A solenidade de exaltação e inscrição no livro dos Heróis da Pátria busca reconhecer a contribuição neles na defesa e proteção da Pátria. Jovens da região Norte e Nordeste foram convocados, à época da 2ª Guerra Mundial, para servirem no esforço de guerra para a produção da borracha nos seringais da Amazônia.

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), que preside a Comissão de Relações Exteriores da Câmara, é a autora da lei que inscreve o nome do grupo “Seringueiros Soldados da Borracha”, no Livro dos Heróis da Pátria. Segundo ela, mais de 65 mil brasileiros entre homens e mulheres, idosos e até crianças, deslocaram-se para a Amazônia, durante a 2ª Guerra Mundial, para trabalhar na produção extrativista do látex para suprir as necessidades de borracha durante o conflito mundial.

“Os Soldados da Borracha contribuíram com suas vidas para o desenvolvimento e proteção do povo brasileiro”, lembrou a deputada.

Participarão da solenidade nove seringueiros Soldados da Borracha do Acre e seis de Rondônia. Entre eles, a heroína acreana Vicência Bezerra da Costa de 80 anos. Em conjunto com o Governo do Distrito Federal, a homenagem contará com a presença da presidenta Dilma Rousseff, o Governador do Distrito Federal (GDF), Agnelo Queiroz, deputados federais e distritais; entre outras autoridades.

Pensão de ex-combatente

Perpétua Almeida também é relatora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que equipara a pensão dos Soldados da Borracha ao soldo dos ex-combatentes de guerra, conhecidos como pracinhas. De acordo com a proposta, a pensão dos Seringueiros Soldados da Borracha passará de dois para sete salários mínimos. A PEC prevê, ainda, gratificação natalina no mesmo valor da aposentadoria dos ex-combatentes de guerra. A matéria aguarda para ser votada na Câmara dos Deputados.

Segundo Perpétua Almeida, os Soldados da Borracha estiveram sujeitos a condições de trabalho e sobrevivência extremamente severas e devem ser remunerados e homenageados já que contribuíram para defesa da Pátria. Ela lembra que para convencer e estimular jovens brasileiros a se alistarem para a batalha da borracha, a imprensa brasileira da época estampava frases como “Eles estão lutando como os melhores soldados da democracia em prol da vitória comum”.

“A história demonstra a importância e a valiosa participação dos Soldados da Borracha na 2ª Guerra Mundial”, diz a deputada, lembrando que o seu estado de origem – o Acre – concentra mais da metade dos pensionistas da Região Norte.

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas