Conecte-se agora

Até na oposição

Publicado

em

Tivesse aparecido apenas no IBOPE com um alto índice de popularidade não era para o governador Tião Viana acreditar. A credibilidade do IBOPE, no Acre, depois de tantos erros em suas previsões eleitorais, hoje inexiste. Mas em todas as pesquisas da própria oposição ele aparece sempre num patamar de aceitação invejável. Então ele tem sim que comemorar.

Virou galhofa
Para se ter uma idéia como caiu mal na opinião pública a última pesquisa do IBOPE avaliando a preferência do eleitor para a prefeitura de Rio Branco, os números servem para motivo de piada e ceticismo até entre os deputados da FPA.

Exercendo o contraditório
O primeiro suplente do deputado federal Henrique Afonso (PV), Léo Brito, nega que, quer sua vitória para prefeito de Cruzeiro do Sul de olho no seu salário e na estrutura do seu gabinete.

Não é o caso
Explica que se a questão fosse dinheiro seria secretário de estado e não presidente do PT.

Sem contestação
Um fato é unanimidade na oposição: o governador Tião Viana tem conseguido o que é de difícil consecução na política, a transferência de votos para o candidato Marcus Alexandre (PT).

Sempre disse
Sempre disse aqui neste espaço que uma coisa era a oposição enfrentar um candidato tendo o Binho Marques como governador, que não era político e não gostava de política, e a outra ter como adversário um governador como Tião Viana,  que alia tudo em sua gestão à política

Abalo sentido
Que por conta disso houve um abalo sentido na candidatura do Tião Bocalon (PSDB) isso é incontestável. Tanto é que a pauta tucana de ontem à tarde foi a subida do candidato do PT.

Fato consumado
Como antecipei, ontem pela manhã, com a presença de Tião Viana e dos deputados do PEN, o deputado Denilson Segóvia se filiou ao partido, sendo assim o seu sétimo deputado.

Pacto de defesa
Foi feito um pacto de defesa entre os deputados do PEN: qualquer ataque, represália, da deputada federal Antonia Lúcia (PSC) ao Segóvia, terá o troco em dobro da bancada do PEN.

Morrendo de medo
A candidata a prefeita de Sena Madureira, Toinha Vieira (PSDB), promete processar quem disser que sua campanha perdeu vento. Não perdeu só o vento, mas a também a quilha.

Não é de chegada
Contra fatos não existem argumentos. E muito menos pressão ou ameaça resolvem. É do DNA político da Toinha Vieira (PSDB) sair na frente e perder a eleição, foi assim para o Nilson Areal.

Erro fatal
A candidata à PMRB, Antonia Lúcia (PSC), confundiu eleição proporcional com majoritária. Uma difere da outra. Esse erro pode lhe custar uma votação menor que a de deputada federal.

Passeando no shopping
O candidato à prefeitura da Capital, Fernando Melo (PMDB), acha que já está no segundo turno.  Só pode ser. Ou não estaria em pleno domingo olhando as vitrines do Shopping.

Assim não dança
Se vitrine de shopping votasse até teria razão de em plena campanha estar flauteando.

Mais que empurrão
Pela diminuta carreata do candidato a prefeito de Epitaciolândia, Marcos Fernandes (PT), sua candidatura precisa mais que o empurrão do padrinho Carioca, mas ser arrastada por um D-8.

Crista baixa
Era voz na oposição que, o prefeito de Feijó, Dindim (PSDB), estava morto politicamente.  Após sua passeata e seu comício, com uma multidão, os adversários baixaram a crista e se calaram.

Não aprenderam?
Um prefeito de interior acostumado a ganhar uma eleição atrás da outra, com a máquina na mão, disputando a reeleição é forte em qualquer hipótese. Não aprenderam isso ainda?

Muita equilibrada
Para o assessor do PT, Nepomuceno Carioca, que mexe bem com os bastidores eleitorais, a eleição em Sena embolou entre Mano Rufino (FPA), Toinha Vieira (PSDB) e Mazinho (PMDB).

Bem mais leve
Carioca discorda que a candidatura de Marcus Alexandre (PT) à PMRB é um fardo pesado de carregar. Diz ser ele mais leve que foram Marcos Afonso, Binho e Angelim (primeira eleição).

Fogo de palha
A candidatura do Gedeon (PSDB) a prefeito de Plácido de Castro parece que foi como fogo de palha, assim como se acendeu apagou rápido, faltou consistência política à sua campanha.

Paulinho, meu rei!
O vereador Gildomar Charqueiro (PMDB), que a cada discurso pedia a prisão perpétua para o prefeito de Plácido de Castro, Paulinho Almeida, só o chama agora de Paulinho, meu rei!.

Céticos
Os dirigentes do PT acreditam que o candidato André Maia (PT) vai crescer, disputa a eleição, mas que, em qualquer contexto não será muito fácil derrotar o prefeito James Gomes (PSDB).

Disputa polarizada
Em Brasiléia a disputa pela prefeitura polarizou de vez entre o candidato do PMDB, vereador Everaldo, e o petista José Alvanir, que, na cidade, estão na base do cabeça com cabeça.

Não faz ninguém
Na avaliação de quem mexe com números, se algum partido fizer três vereadores, mande rezar uma missa de ação de graça, a lógica é que, quem muito fizer fará dois vereadores.

Em tese
A chapa mais forte é a do PSB. Mas isso não significa que, fará três ou quatro vereadores. Isso é sonho. Na regra atual, um candidato de outro partido pode se eleger com menos votos.

É o sistema
Pode ser errado, mas, é o sistema político atual. O presidente do SINTEAC, Manoel Lima (PT), por exemplo, como candidato a deputado estadual teve mais votos que quatro dos atuais deputados e não se elegeu. Então nenhum partido caia na bobagem em pensar eleger quatro vereadores.

Um bom voto
Seria um bom voto, em Cruzeiro do Sul, votar no Irlândio Cordeiro (PP), que seria uma cara nova na Câmara Municipal, abalada por escândalos envolvendo a atual legislatura. Se é para renovar tem que se renovar com nomes de qualidade. O Irlândio é um deles.

Disputa polarizou
Caso não ocorra fato novo a eleição continuará polarizada entre Tião Bocalon (PSDB) e Marcus Alexandre (PT)  e a tendência de hoje é que, ninguém ganhará no primeiro turno, e que, o tucano e o petista irão ao segundo turno. Fernando Mel o (PMDB) patina e não sobe. E os demais candidatos à PMRB são meros figurantes. Fora isso é pura conversa para boi dormir.

Por Luis Carlos Moreira Jorge           

Blog do Crica

Um angu de caroço no prato de Cameli

Publicado

em

DIS UM DITADO POPULAR que, quem fizer seu angu de caroço que coma. E, este angu está na mesa do governador Gladson Cameli, como prato principal do banquete. 

Incentivou mais de uma candidatura a senador, mesmo tendo uma única vaga em disputa, e criou um antagonismo e um problemão dentro do seu grupo político. Isso ficou patente na sua convenção, quando dois candidatos do seu grupo subiram no seu palanque, o deputado Ney Amorim (PODEMOS), citado como candidato oficial e com o apoio do PP; e o deputado federal Alan Rick (União Brasil), que também postula acompanhar o Gladson na campanha. 

O governador é perito em criar problema onde antes não existia. E, para complicar, o PSDB, partido aliado, descontente por ter sido rifado na indicação do suplente na chapa do Senado, lançou a candidatura do médico Carlos Beirute (PSDB) a senador. Ou o Gladson dissolve logo este angu ou vai dar a maior confusão na campanha. E, só resolve isso se vier a público falar quem é afinal o candidato oficial da sua chapa. E convencer os dois não escolhidos a não irem ao seu palanque. 

Não pode empurrar o problema com a barriga. Mesmo porque, a briga interna no governo é grande entre os defensores dessas candidaturas.

EUFORIA DO CESÁRIO

QUEM mais comemora a ida do Marcus Alexandre para ser vice na chapa ao governo do Jorge Viana, é o candidato do PT a deputado, Cesário Braga. Acha que, boa parte dos votos do Marcus migrarão para ele.

NENHUM PALPITE

SOBRE as disputas do Senado e Governo, é bom esperar as pesquisas da primeira quinzena de setembro para se ter um norte, sobre quem pode polarizar a disputa.

SEM MEDO DE ERRAR

ELEIÇÃO sempre causa surpresa, mas não tenho nenhum temor de arriscar que a deputada federal Jéssica Sales (MDB) deve ser a mais votada para Federal, no Juruá.

PÉ NO JURUÁ

AO colocar o ex-deputado federal César Messias (PSB) de vice na sua chapa, o deputado Jenilson Leite (PSB), quis colocar um pé em Cruzeiro do Sul, onde Messias foi prefeito e saiu bem avaliado.

É BOM BAIXAR O PAPAGAIO

OS diretórios nacionais não mandam recursos para candidatos a deputado estadual. A verba que vem é para quem disputa mandato de deputado federal e candidaturas majoritárias. Esperem, pois, essa turma, uma grana curta, e que vai depender da boa vontade do candidato a governador.

DISPUTA EMBOLADA

KELIANE Cordeiro, Roberto Duarte e Antônia Lúcia devem travar uma disputa dura por duas vagas para deputado federal, no REPUBLICANOS. Todos eles bem situados.

DISCURSO UNIFICADO

A EQUIPE do núcleo duro que vai cuidar da campanha do  Gladson se reuniu e decidiu unificar o discurso nas publicações nos meios de comunicação de ser o Ney Amorim (PODEMOS), o único candidato a senador do grupo palaciano. Querem deixar isso bem claro, dizem.

TIRAR A DÚVIDA

NA AVALIAÇÃO feita e que vazou ao BLOG, acham que se isso não for feito ficará uma dúvida na cabeça do eleitor sobre quem de fato é o candidato ao Senado do Gladson.

LAMENTO TARDIO

IMPRESSIONANTE a lamentação na equipe de assessores próximos do governador Gladson Cameli, com a escolha da senadora Mailza Gomes (PP), para ser a sua vice na chapa. “Ninguém entendeu”, disse um deles ao BLOG.

SEMPRE CITADA

QUANDO se discute quem vai polarizar na campanha na disputa do Senado, o nome da deputada federal Vanda Milani (PROS) sempre é citado como estando no bolo.

APOIO ECLÉTICO

O PREFEITO de Sena Madureira (União Brasil), Mazinho Serafim, divulgou vídeos em que declara apoio ao Gladson para o governo á Márcia Bittar (PL) ao Senado.

FORA DO DEBATE DA DESISTÊNCIA

PELA sua entrevista ontem no “Bar do Vaz”, o deputado federal Alan Rick (União Brasil) deixou fora do debate a retirada da candidatura para o Senado. Disse que vai manter firme, em cenários com apoio ou não do Gladson.

CAMPANHA INDEPENDENTE

DIEXOU claro ainda na entrevista de que, ele vai pedir votos para a candidatura do Gladson, seja convidado ou não a subir no seu palanque. Vai tocar a campanha de forma independente, mesmo sem a chancela oficial.

COGITAÇÃO E JOGO SUJO

OS NOMES da Socorro Neri (PP) e do Minoru Kinpara (PSDB) estiveram nas pautas de discussões para ser o vice do Gladson. Quem sofreu com um jogo sujo nesta disputa toda foi o Rômulo Grandidier, apontado como favorito.

NEM MEL E NEM CABAÇA

MAS, os que fizeram o jogo sujo com o Rômulo Grandidier armaram a se deram mal, porque não emplacaram o nome que defendiam para vice. Nem mel e nem cabaça. Jogaram isca para filhote, e não pegaram nem piranambu. Armaram e se deram mal na história.

NEM UMA PALAVRA

ATÉ ontem não havia nenhuma palavra sobre se o Grandidier voltaria ou não para a equipe do governo. Era um dos melhores quadros do governador Gladson.

COISAS DE MÃE

LINDA CAMELI, mãe do governador Gladson, não deixa de alfinetar os adversários do rebento. A sua postagem chamando o prefeito Bocalom de “revoltado”, por certo não será a última alfinetada no decorrer da campanha.

“VÃO TER UMA SURPRESA”

A FRASE acima é do ex-prefeito Vagner Sales, de um dos grupos políticos mais poderosos de Cruzeiro do Sul, se referindo à candidatura ao Senado da Márcia Bittar (PL).

A GRANDE PERGUNTA E O DILEMA

RIFADO PELO PT, a pergunta da vez nos meios políticos é quem o candidato a senador Jenilson Leite (PSB) vai apoiar para governador, já que a sua chapa ficou aberta para o governo. Um dilema: todos os candidatos ao governo têm candidatos a senador em suas chapas.

UMA GRANDE JOGADA

A ESCOLHA do ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), para ser o vice na chapa do Jorge Viana (PT), foi uma jogada de mestre. Marcus tem seu nome sempre lembrado de forma carinhosa pela população, e deve somar muitos votos, no seu reduto, na capital.

THOR DANTAS

O MÉDICO Thor Dantas (PSB) é um dos nomes para deputado federal da melhor qualidade. Foi um baluarte no combate ao negacionismo da ciência e ficou na linha de frente, no enfrentamento do Covid-19. O Assis Dantas deve estar torcendo pelo filho no andar de cima.

NÃO MENTIU UMA VÍRGULA

O deputado Roberto Duarte (REPUBLICANOS) não mentiu sobre o estado precário que se encontra o Hospital de Xapuri. Aliás, uma situação vergonhosa, para um município que tem dois deputados estaduais governistas.

COMENTÁRIO IRÔNICO

“Se o Lula despontar no segundo turno dando todos os indicativos que vai ganhar a eleição; e o Jorge Viana for ao segundo turno aqui, você vai ver a correria de prefeito pulando no colo do Jorge”. Previsão de um cardeal do PT. 

APOSTANDO NA CHAPA

“Com essa chapa queremos resgatar o sentimento de alegria, da esperança no coração dos acreanos. É também a chapa do compromisso”. Do deputado Daniel Zen (PT), sobre a chapa Jorge Viana ao governo, Marcus Alexandre de vice; e Nazaré Araújo para o Senado.

FRASE MARCANTE

“Se a barba garantisse sabedoria, bode seria profeta”. Ditado armênio.

Continuar lendo

Blog do Crica

Mulheres na campanha, continuam minoria

Publicado

em

AS MULHERES, segundo dados eleitorais, são maioria no eleitorado acreano. Mas parece que não sentem muito atrativo para a disputa por cargos majoritários, como de senador e governador. Talvez, por serem mais duras as concorrências, e pela predominância de homens neste espaço. Na sua maior parte tentam mandatos de deputada estadual ou de deputada federal. Na campanha deste ano teremos apenas a deputada federal Mara Rocha (MDB) como candidata a governadora; e, a deputada federal Vanda Milani (PROS) e a professora Márcia Bittar (MDB), buscando conquistar a única vaga para o Senado. Muito pouco para um eleitorado majoritário. A conferir nas urnas, se mulher vota em mulher.

OTIMISMO PETISTA
OTIMISMO, é o que não falta no candidato ao governo do PT, Jorge Viana. Disse ontem ao BLOG que, a aceitação do seu nome está, além das expectativas.

TRABALHO PARA O SEGUNDO
EM FASE de montagem das suas diretrizes de campanha, seu foco é trabalhar para chegar ao segundo turno.

BOCALOM É MÁRCIA
O PREFEITO de Rio Branco, Tião Bocalom, anunciou ontem ao BLOG que vai apoiar a Márcia Bittar (PL) para o Senado. Justifica a identificação ideológica de ambos, e o fato dela ser a candidata do presidente Bolsonaro.

MILIT NCIA É UMA OVA
FALA-SE muito que este ou aquele partido tem militância política. Isso é coisa de décadas passadas, quem vai para a rua hoje defender candidatos quer ver antes a grana no bolso. O que tem hoje é militante pago.

A VERBA VALE MAIS QUE O VERBO
O QUE se viu nas campanhas políticas das duas últimas décadas foi que a verba vale muito mais do que o verbo. Acostumaram o eleitor a vender o voto, que a primeira pergunta que faz ao candidato, é quanto vai pagar no dia da votação. Sem falar nas famigeradas “listas”.

APOSTANDO TUDO
HÁ UM trabalho intenso dentro da coligação formada pelo PSD-AVANTE-PTB-PROS, partidos que integram a coligação que apoia a candidatura ao governo do senador Sérgio Petecão (PSD) de fazer uma campanha unida em torno da candidatura da Vanda Milani (PROS) ao Senado. Dirigentes do PSD acham que ela emplaca.

CAMPANHA DE TIRO CURTO
A CANDIDATURA ao Senado é uma campanha de tiro curto, de 45 dias. As pesquisas da primeira semana de setembro já começam a dar um norte sobre a corrida.

ESTRUTURA É ESSENCIAL
CAMPANHA do Senado é diferente de campanha para deputado, que pode se localizar num nicho. Para o Senado o candidato tem de ter estrutura para montar bases em todos os municípios, e é aí que começa a diferença: quem não tiver bala, morre no caminho.

EMPATIA É ESSENCIAL
MAS, há um componente além da estrutura das candidaturas ao Senado e ao Governo: a empatia com o eleitor é essencial. O candidato pode ter estrutura, mas se não cair na simpatia do eleitorado, a campanha vai para o brejo, como água de morro abaixo.

NEM ABRE CONVERSA
UM EMISSÁRIO do governo tentou entabular uma conversa com o senador Márcio Bittar (União Brasil), sobre uma pacificação com o governador Gladson, mas foi cortado no início do papo. Bittar não admite nem receber propostas para voltar atrás no seu rompimento.

BAQUE COMPENSADO
O BAQUE na chapa para a Câmara Federal do PODEMOS, com a saída do Ney Amorim (PODEMOS) para disputar uma cadeira de senador; foi compensada com novas adesões. Continua equilibrada, e pode beliscar uma vaga.

A BRIGA SERÁ ESSA
NÃO consigo ver nenhum estrago na imagem do governador Gladson Cameli, que o tire do quase certo segundo turno. A briga será na oposição para saber qual dos candidatos irá lhe enfrentar no turno decisivo.

FALTA UMA PEDRA NESSE JOGO
TENHO acompanhado posicionamentos de candidatos da oposição sobre o desfecho da eleição. E, todos deixando o senador Sérgio Petecão (PSD) como carta fora do baralho. É bom não subestimar o Petecão.

A CAMPANHA VAI MEDIR
Márcio Bittar, Sérgio Petecão, Vagner Sales, Mara Rocha, Major Rocha, Vanda Milani, Flaviano Melo, são lideranças que estavam no palanque do Gladson em 2018. Este ano todos estarão em palanques diferentes. A campanha é que vai medir o prejuízo ou não do Gladson.

UMA COISA É CERTA
DE TUDO isso, há uma coisa certa, o da predisposição de todos os candidatos da oposição de se unirem contra o governador Gladson, se este chegar no segundo turno.

NOME LEMBRADO
NÃO é pesquisa, não tem valor científico para dizer que uma candidatura está na ponta da preferência, mas em todas as rodas políticas que passo o nome da Socorro Neri é muito lembrado dentro da chapa do PP.

ÚNICO SEM PALANQUE
DOS candidatos a senador o único que não terá o palanque de um candidato a governador, é o deputado Jenilson Leite (PSB). Fará campanha solo ao Senado.

SEIS NOMES FORTES
A chapa do PSD a deputado estadual é uma das mais fortes desta eleição. Pode emplacar três cadeiras na ALEAC. A disputa é dura. Há pelo menos seis candidatos de boa densidade eleitoral na disputa das vagas

ADESÕES DE PESO
TENHO encontrado muitas lideranças políticas, algumas com mandatos; outras disputando a eleição com chance de vitória, que fecharam apoio ao candidato a deputado federal Fábio Rueda (União Brasil). Nem o conheço. Mas nas conversas com terceiros, se sente quando um candidato está bem articulado, numa disputa eleitoral.

NOMES DO JURUÁ
NUM PRIMEIRO ESCALÃO estão Nicolau Junior (PP), Antonia Sales (MDB) e Luiz Gonzaga (PSDB). Numa andar mais abaixo estão Isaac Piyãko, Sargento Adonis e Clodoaldo Rodrigues. São nomes que devem ter expressivas votações para deputado estadual, no Juruá.

MAZINHO COM GLADSON
O PREFEITO de Sena Madureira, Mazinho Serafim, com a sua postagem de ontem não deixou mais dúvida de que, ele vai apoiar a reeleição do governador Gladson. O articulador do fato, foi o secretário Sirleudo Alencar.

CANDIDATURA MANTIDA
O deputado federal Alan Rick (União Brasil) não pensa em se retirar da disputa do Senado. É o que dá para se deduzir com o fato dele ter registrado sua candidatura.

CANDIDATURA BEM ARTICULADA
O EX-VEREADOR Juracy Nogueira (PATRIOTAS) está com uma candidatura a deputado estadual bem articulada, não só no meio evangélico, mas, também, em setores organizados. Tem família grande e disputa com chance.

CARLOS BEIRUTE
O PSDB respondeu ao não cumprimento do acordo pelo governo de que o partido indicaria o primeiro suplente na chapa do nome que disputasse o Senado, com o apoio do Gladson, chancelando a candidatura do médico Carlos Beirute (PSDB) ao Senado, embolando o jogo.

FRASE MARCANTE
“Os homens fazem as leis, mas as mulheres fazem os costumes”. Ditado francês.

Continuar lendo

Blog do Crica

Disputa para o Senado embola no grupo Palaciano e PSDB lança Beirute ao senado

Publicado

em

O PSDB registrou a Ata da sua convenção com a candidatura do médico e ex-vereador Carlos Beirute, para o Senado. Beirute confirmou no início desta tarde ao BLOG DO CRICA que a sua candidatura se encontra mantida e já está em fase de organização da campanha. “Estaremos viajando está semana para um entendimento com a direção nacional do PSDB, para que a minha candidatura seja chancelada”, disse.

Sobre ser uma decisão isolada, destacou que muito pelo contrário, pois, no fechamento da ata houve o aval dos candidatos a deputado estadual e deputado federal para a sua candidatura a senador. O grande número de candidatos a senador, segundo Beirute, lhe deu mais incentivo para entrar na disputa, pois tem serviços relevantes prestados à sociedade.

O PSDB não se sentiu prestigiado na montagem da chapa majoritária do governador Gladson Cameli, seus dirigentes argumentam que foi quebrado um acordo pelo qual o deputado federal Alan Rick (União Brasil) seria o candidato único a senador e o médico Carlos Beirute (PSDB) o primeiro suplente. Por isso, o lançamento de uma candidatura ao Senado pelos tucanos.

Continuar lendo

Blog do Crica

Caldeirada de mandi ao invés do Senado

Publicado

em

“NÃO TEM ESTA CONVERSA de candidato ao Senado, prefiro a caldeirada de mandi e pirarucu que estou comendo”. Com esta ironia, o deputado federal Flaviano Melo (MDB),  respondeu a pergunta feita pelo BLOG no último sábado, e se encampava o movimento no MDB de torná-lo candidato a senador em substituição à candidatura da Márcia Bittar (PL). 

Da Chácara das Araras, onde mora, Flaviano disse que desautorizava qualquer movimento neste sentido, porque já definiu que disputará a sua última eleição por mais um mandato para a Câmara Federal. 

O ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB), também falou ao BLOG que a chapa do MDB será formada por Mara Rocha ao governo; Fernando Zamora (PRTB) como vice; e Márcia Bittar (PL) para senadora, numa coligação formada pelo MDB-REPUBLICANOS-PL-PRTB. 

“No MDB, o que a Executiva decide está decidido. O MDB precisa fazer alianças para tentar chegar ao poder, do qual há muitos anos estamos afastados. Não terá virada de mesa”, destacou Vagner.

MOVIMENTO EM CURSO

HÁ um movimento em curso junto ao grupo palaciano, para chamar o deputado federal Alan Rick (União Brasil) esta semana e tentar lhe convencer a não disputar o Senado, formando uma unidade em torno da candidatura do ex-deputado Ney Amorim (PODEMOS).

TEMOR PALACIANO

HÁ um temor palaciano que a manutenção da candidatura do deputado federal Alan Rick (União Brasil) ao Senado, poderá favorecer um candidato da oposição, pela divisão de votos com Ney Amorim (PODEMOS), por disputarem votos do mesmo segmento do poder.

PERGUNTA QUE NÃO CALA

A PERGUNTA que mais ouvi depois das convenções regionais, foi a seguinte: “O que levou o Gladson a escolher a Mailza como vice de sua chapa, com quem vinha travando um confronto desde a eleição para a PMRB?”. Não sei, não tenho a menor ideia do motivo.

DANÇOU DE TAMANCO

O PSDB perdeu a disputa pela indicação do primeiro suplente do candidato ao Senado, Ney Amorim (PODEMOS). Num acordo com o PDT, o governador Gladson chancelou a indicação do Rennam Biths para ocupar a suplência. Havia um acordo prévio, quebrado, que o PSDB indicaria este nome. Dançou de tamanco.

PUXADORES DE VOTOS

JÉSSICA SALES, Flaviano Melo, Raphael Bastos e Major Rocha serão os puxadores de votos na chapa do MDB para a Câmara Federal. Na contabilidade do partido está eleger dois deputados federais.

FALOU A COERÊNCIA

O DEPUTADO Luiz Gonzaga (PSDB) foi mantido candidato a deputado na chapa do PSDB. Não fazia nem sentido o veto que a direção queria opor ao seu nome.

O CHORAMINGO ESTÁ GRANDE

ONDE se anda se esbarra no choramingo de candidatos a deputado federal e estadual, já desiludidos que não vão receber os milhões prometidos às suas candidaturas.

LEVA UMA VANTAGEM

TER memória eleitoral em todo estado. Este é um grande trunfo do candidato ao Senado, Ney Amorim (PODEMOS), que como candidato a senador na última eleição ficou conhecido em todos os municípios pela campanha ao Senado, de onde saiu com 115 mil votos.

NEM ENTRE OS MAIS FERRENHOS

NEM entre os mais ferrenhos e otimistas aliados de candidatos ao governo, depois do novo cenário de candidaturas, acredita ainda que, a eleição pode ser decidida no primeiro turno. Antes da entrada no jogo do Jorge Viana (PT) e do Márcio Bittar (União Brasil) o segundo turno não era certo. Deu uma guinada geral.

OLHOS PARA O MINORU

FALANDO ontem com um velho militante do PSDB, este bisou um comentário que, eu já tinha feito neste espaço de que, ou o Minoru Kinpara (PSDB) tem uma votação explosiva, ou partido não elege ninguém. É isso mesmo.

NÃO ME LEMBRO

Jenilson Leite (PSB), Ney Amorim (PODEMOS), Nazaré Araújo (PT), Vanda Milani (PROS), Márcia Bittar (PL), Dimas Sandas (AGIR), Alan Rick (União Brasil) e Sandeson Moura (PSOL). Não me lembro de uma eleição no estado que tenha tido tantos candidatos a senadores.

É BOM PARA A DEMOCRACIA

O MELHOR de tudo no cenário não é este grande número de candidatos, mas olhar para o currículo de cada um é ver que todos têm uma boa qualificação, o que deixa ao eleitor as mais variadas opções para o Senado.

AGUARDAR AS PESQUISAS

DIA 16 começa a campanha nas ruas. Pesquisa não elege ninguém, mas os números dos institutos que vierem depois do fim do mês, já darão um norte da disputa.

NÃO MUDA NADA

PARA o senador Sérgio Petecão (PSD) a entrada em cena das candidaturas do Márcio Bittar (União Brasil) e do Jorge Viana (PT), não mudam nada em relação à sua candidatura ao governo. “Minha conversa é com o povo”, diz um otimista Petecão.

BALANÇADA GERAL

A VOLTA da Jéssica Sales (MDB) para a disputa de mais um mandato de deputada federal, deu uma sacudida geral na campanha no Juruá. Não há muito dúvida de que, ele deverá ser a mais votada naquela região.

CONTINUA OTIMISTA

MESMO com as defecções de aliados da eleição de 2O18, com a entrada de última hora de duas candidaturas fortes, ainda assim o Gladson continua otimista de que pode se reeleger já no primeiro turno.

GUARDEM VAGAS

NÃO FAÇAM previsões de quem vai se eleger deputado estadual só na relação dos candidatos de partidos grandes, tem partido pequeno que conseguiu formar chapas que podem eleger um parlamentar.

JOGAR DINHEIRO PELA JANELA

Todo ano o governo gasta uma fortuna para recuperar os imóveis da EXPOACRE, que como são abandonados, sem vigilância, são detonados. É jogar dinheiro pela janela. Deveria ser feito um projeto envolvendo a ACISA e os empresários, para a manutenção de vigilância permanente no local. E movimentar o ano todo com outras atividades diversas. O Gladson devia se debruçar sobre isso.

É UMA INTERROGAÇÃO

A candidatura Nazaré Araújo (PT) para o Senado só poderá ter o seu potencial medido após ir para o ar a propaganda eleitoral, que a colocará em exposição.

DEVE TER SIDO PESQUISA

COM CERTEZA, não foi apenas pela pressão dos aliados que resolveu sair de última hora para o governo, o Jorge Viana deve ter pesquisas qualitativas que o colocam no páreo com chance.

FRASE MARCANTE

“Viúva om dinheiro é sempre noiva.” Ditado brasileiro. 

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!