Conecte-se agora

Moradores do Santa Quitéria amargam prejuízos por causa de obras do Ruas do Povo

Publicado

em

Ray Melo,
da redação de ac24horas
[email protected]4horas.com

Os Moradores do bairro Santa Quitéria, próximo ao Horto Florestal, estão revoltados com a qualidade das obras do projeto Ruas do Povo. A drenagem das ruas entregues pelo governador Sebastião Viana (PT), na sexta-feira, 17, não suportou o volume de água da chuva de sábado, 18, e várias casas ficaram alagadas.

Algumas famílias que perderam todos os móveis e eletrodomésticos, ainda contabilizam os prejuízos, que crescem conforme avançam na limpeza dos imóveis atingidos. Os moradores afirmam que as obras não trouxeram o resultado esperado e ameaçam ingressar com ações na Justiça pedindo ressarcimento dos danos.

A revolta entre os populares aumentou porque, de acordo com eles, o responsável pela obra se comprometeu em comparecer no local, na manhã de domingo, 19, acompanhado do diretor do Depasa, para uma reunião, mas até o final da tarde, não teria dado resposta e teria desligado o telefone para não atender aos reclamantes.

Arito Rosas Júnior, 65, foi um dos moradores que perdeu todos os móveis e teve um veículo danificado pela inundação. O aposentado reclama do material utilizado nas obras. “Eles utilizaram tubos que não dariam vazão à água, além de não limparem as caixas de esgoto que estão cheias de barro. Inauguram na marra”, enfatiza.

Na residência de Arito Rosas moram cinco pessoas, três adultos e duas crianças. De acordo com ele, o desespero tomou conta de seus netos que pediram socorro durante a chuva. “Esta é a segunda vez que passamos por este tipo de apuro. A primeira foi no início das obras, mas desta vez a água atingiu mais de sessenta centímetros dentro de casa”, destaca.

O morador diz que o aterro da rua ficou 30 centímetros acima do nível de sua casa. Arito Rosas precisou da ajuda de seus filhos, para quebrar o muro para escoar a água de dentro de seu quintal. “perdi todos os móveis de minha casa. Documentos, fotos, eletrodomésticos e alimentos. Nada escapou”, reclama.

O prejuízo de Arito Rosas seria de R$ 35 mil. O filho do aposentado, Janyr de Souza Rosas, 26, disse que na inundação anterior, sua família teria procurado o Ministério Público Estadual (MPE), que de acordo com ele iria embargar a obra. “Não registramos a denúncia porque pensamos que no termino da obra, nossa casa não inundaria mais”, enfatiza.

Na Rua João Fragoso Monteiro, os moradores dizem que fecharão para passagem de veículos até que a empresa Oliveira Transportes apresente uma solução para o problema de alagamento. Em todas as ruas do bairro o cenário era o mesmo. Populares limpavam as casas e quintais que ficaram cheios de entulho e exalando um forte odor de esgoto.

“Gostaria de perguntar ao governador se este projeto é Ruas do Povo ou desgraça do povo. Levamos anos construindo o pouco que tínhamos e perdemos tudo com uma chuva. Fizeram um serviço às pressas para dizer que estão trabalhando, mas não passa de uma obra eleitoreira, que nos deixou no prejuízo”, diz a dona de casa, Rosa Maria, 52.

Segundo os moradores, a obra teve que receber reparos, antes mesmo de ser entregue. “A rua afundou com a passagem de carros de passeio. Nós tínhamos que deixar os veículos na casa de conhecidos, antes de entregarem as ruas. Isso aqui só serve para circulação de bicicletas. O serviço é de péssima qualidade”, diz o comerciante Francisco da Silva.

Na noite de domingo, o estudante de medicina, Janyr de Souza Rosas entrou em contato com a reportagem e informou que representantes da Oliveira Transportes, empresa responsável pela execução do Ruas do Povo, no Santa Quitéria, procuraram sua família e ofereceram auxílio.

Os moradores receberam oferta de pagamento de hotel, alimentação e ajuda de custo, para que o assunto não fosse denunciado. Quando a reportagem esteve no local, veículos circularam com pessoas observando a movimentação da equipe de ac24horas.

Acre

“Mãe de joelho, filho de pé”, diz mãe de Gladson em retorno ao Acre

Publicado

em

A mãe do governador Gladson Cameli (Progressistas) gravou um vídeo para tranquilizar o filho na semana decisiva a cinco dias da votação nas eleições de 2022. Dona Linda Cameli retornou a Rio Branco, capital do Acre, para acompanhar de perto os dias que antecedem o domingo eleitoral, no dia 2.

“Filho, conte sempre comigo. Mãe de joelho, filho de pé. É 11!”, disse a mãe do governador, que estava há alguns dias fora do estado.

Cameli já confirmou sua participação no debate entre os sete candidatos ao governo do estado, cujo está pela reeleição, e que ocorre na noite de hoje na Rede Amazônica do Acre.

play-rounded-fill
Continuar lendo

Acre

Gladson confirma ida ao debate da TV Acre: “Vou discutir propostas”

Publicado

em

A Rede Amazônica (afiliada Rede Globo) promove o debate entre os candidatos ao governo do Acre, nesta terça-feira, 27, às 21h30. A presença de Gladson Cameli (Progressistas) está confirmada. A participação do gestor, que busca a reeleição, estará focada na apresentação de propostas para desenvolver o estado e melhorar a vida das pessoas.

No debate, Gladson terá a oportunidade de mostrar as ações realizadas no primeiro mandato e explanar os principiais pontos do novo Plano de Governo nas áreas da saúde, educação, segurança pública, infraestrutura e geração de empregos.

Cameli espera que o debate seja pautado pelo respeito entre os candidatos e, principalmente, a exposição de propostas aos eleitores. Porém, se o objetivo não for alcançado, Gladson não cairá na provocação de seus adversários.

“A cada ataque deles, apresentarei nossos projetos que vão melhorar a vida do nosso povo. Vou ao debate para discutir propostas. O Acre tem pressa para crescer e, como governador, quero criar as condições necessárias para que o nosso estado seja uma terra de oportunidades para todos”, pontuou o candidato.

Continuar lendo

Acre

Apoiador de Adailton declara apoio a Vanda e causa atrito no PSB

Publicado

em

A aparição do presidente em exercício do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintesac) Jean Marcos, declarando apoio à candidatura de Vanda Milani ao Senado da República, causou um verdadeiro burburinho no setor da saúde. O que ocorre é que Jean é presidente em exercício do segundo maior sindicato, ocupando a vaga provisória do presidente Adailton Cruz, que é vereador, e se licenciou do cargo para disputar uma vaga na Aleac pelo PSB.

A atitude do sindicalista chamou atenção, já que Adailton, que tem em Marcos um dos principais apoiadores, é do mesmo partido e apoia a candidatura de Jenilson Leite ao Senado da República. O próprio Jenilson não negou a insatisfação de ver o atual gestor do sindicato hipotecando apoio à Millani.

“Lamentável o coordenador de campanha do nosso candidato Adailton Cruz e presidente de um sindicato que tanto ajudamos fazer isso com minha candidatura ao Senado. O servidor não merece esse tipo de jogo eleitoreiro”, afirmou Jenilson.

O ac24horas procurou Adailton Cruz. O vereador e candidato a deputado estadual afirmou que foi surpreendido com a informação. “Isso não tem a minha participação. Não sei os motivos que levaram o Jean a tomar essa decisão. Eu sou Jenilson e não há nenhum motivo para que a classe da saúde não esteja com o Jenilson para o Senado. Inclusive, ainda hoje vou gravar um comunicado falando do apoio à candidatura do Jenilson para que não paire nenhuma dúvida”.

Adailton, no entanto, negou que Jean Marcos seja seu coordenador de campanha. “Apesar de ser um apoiador nosso, o Jean não é o nosso coordenador. Essa informação não procede”, afirmou.

Continuar lendo

Acre

PF cumpre mandado de busca e apreensão sobre compra de votos

Publicado

em

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira, 27, no município de Jordão/AC, a Operação Arbítrio. Um mandado de busca e apreensão foi realizado com a finalidade de se obter outras provas materiais acerca da possível compra de votos na região. O nome da operação faz referência à liberdade de escolha dos representantes por meio do direito ao voto.

De acordo com a elementos informativos colhidos, o investigado alvo da operação que não teve seue nome revelado se utilizava de um grupo de WhatsApp conhecido na cidade para aliciar os eleitores a “chegarem junto” a um determinado candidato.

Áudios e fotografias corroboram para a prática ilícita e foram fundamentais para embasar a medida cautelar concedida pela 5ª Zona Eleitoral.

A investigação segue em andamento com tipificação de Corrupção Eleitoral, além de outros crimes previstos.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.