Conecte-se agora

Tchê vai ao MPF denunciar “arapongagem do Governo do Acre”

Publicado

em

O ex-aliado do governador Sebastião Viana (PT), deputado Luis Tchê (PDT) usou a tribuna da Aleac na manhã desta terça-feira, 07, para informar que denunciará o serviço de inteligência do Governo do Acre ao Ministério Público Federal (MPF).

O parlamentar disse que gostaria de debater projetos que visam o bem estar da população, mas se sente coagido pela “arapongagem do Governo do Acre. O governador afirmou em entrevista, que todas as ligações dos secretários são gravadas”, diz Luis Tchê.

Segundo o deputado, o Guardião adquirido na gestão do ex-secretário Fernando Melo, estaria sendo usado de forma eleitoreira pelo grupo que comanda o Governo do Acre. “Diante disso é possível acreditar que estamos todos monitorados”, disparou.

Se pronunciando em nome de seu partido, Tchê destacou que “o PDT repudia esta prática do cerceamento da liberdade de expressão. É inconcebível que o governo patrocine perseguição política com os recursos que deveriam atender as necessidades do povo do Estado”.

O oposicionista disse que se sente ameaçado, coagido e vigiado. “O governo assume que monitora os secretários, mas não são apenas eles, são os jornalistas, empresários todos que são contrários a sua política. Não podemos falar ao telefone porque estamos totalmente vigiados. Por que isso?”, questiona Luis Tchê.

De acordo com o parlamentar, o sistema conhecido como Guardião deveria estar aos cuidados do MPE ou com o Judiciário, não com o Governo do Acre. “Isso é uma afronta à democracia, ao estado de direito e a constituição federal”, desabafa.

Para o parlamentar, a Constituição Federal é usada no Acre, “só para enfeitar estantes”. “O Guardião está funcionando em sua plena capacidade a serviço da política eleitoral. Que democracia é está que estamos vivendo? Os deputados juraram defender a Constituição, e nós vamos deixar isso ficar assim?”.

Denúncia de detenção de assessora parlamentar

Luis Tchê denunciou ainda, uma suposta detenção de uma assessora parlamentar de seu gabinete pela Polícia Civil. “No domingo de manhã, minha assessora foi interceptada em sua casa e levada para depor na Polícia Civil. Os policiais diziam que eu teria dito que o telefone de Marcus Alexandre e do governador teriam sido grampeados pela Polícia Federal”.

Revoltado pela suposta arbitrariedade, o deputado destacou que vai procurar auxílio das autoridades federais, contra os atos políticos financiados com o uso das instituições.

“Vou ao MPF pedir providências. Não sei se é porque mudei de lado, que essas coisas estão acontecendo, mas a questão não vai ficar impune.  Estou sendo vigiado e coagido, mas comigo isso não vai funcionar. Quero fazer um debate político, mas desta forma não vou aceitar. De que forma eu teria informações que PF teria grampeado telefones? Será que não posso fazer política, não posso expressar minhas vontades?”, finaliza Tchê.

O líder do governo, deputado Moisés Diniz (PCdoB) não se alongou no assunto e afirmou que se pronunciará sobre a questão, na sessão de quarta-feira, 08. O comunista disse ainda, que qualquer pessoa que se sentir violada em seus direitos e tiver provas, poderá procurar a Justiça, para que assegure providências legais.

 Ray Melo,
da redação de ac24horas
[email protected]

Acre

Duarte pressiona Gladson por redução no ICMS dos combustíveis

Publicado

em

O deputado Roberto Duarte deu nesta sexta-feira (1) sinais de que fará pressão para que o governador Gladson Cameli reduza o mais rapidamente a alíquota do ICMS dos combustíveis e telecomunicações no Acre.

Duarte cita as decisões do governador de Minais Gerais, Romeu Zema, que adotou a redução para 18% prevendo, em alguns casos, que o preço do litro gasolina irá baixar de preço em até mais de R$0,50 nas próximas semanas -apenas para citar o combustível como exemplo.

“O governador de Minas assinou hoje o decreto que reduz o ICMS da gasolina, energia elétrica, serviços de telefonia e internet. E aí Gladson Cameli, “bóra” fazer aqui no Acre também?”, questiona o parlamentar.

O Governo de São Paulo também reduziu o ICMS dos combustíveis. Há estudos que preveem forte perda de receita nos Estados por conta da redução do imposto, cuja alíquota está congelada desde o fim do ano passado.

No Acre, a estimativa é que as perdas passem dos R$100 milhões, situação que ameaça inclusive a folha de pagamento dos servidores.

 

Continuar lendo

Acre

Força-tarefa atua contra facção que extorquia empresários na Capital

Publicado

em

A Força-Tarefa de Segurança Pública (FTSP-AC) no Acre cumpriu nesta sexta-feira, dia 1° de julho, um mandado de busca e apreensão para reprimir crimes de extorsão e investigar possível integrante de organização criminosa.

Segundo os órgãos de segurança, as investigações começaram em maio de 2022 e foi descoberto que pessoas que se auto identificam como membros da facção criminosa estavam realizando cobranças de mensalidade de empresários do 2º Distrito da capital Acreana, caso o pagamento não fosse efetuado, os empresários – bem como os seus empreendimentos – sofreriam represálias.

O mandado foi cumprido no município de Rio Branco, capital do estado. No total, 8 policiais participaram do cumprimento do mandado judicial.

Continuar lendo

Acre

Queimadas na Amazônia registram pior mês de junho desde 2007

No Acre foram detectados 71 focos de queimadas em junho, 42% a mais que o mesmo período do ano passado

Publicado

em

Dados divulgados na noite desta quinta-feira (30), pelo Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (Inpe), indicam que o mês de junho teve o maior número de focos de calor na Amazônia desde 2007.

Foram registrados 2.562 focos de calor no período, com os estados do Mato Grosso e do Pará liderando o ranking, concentrando 64,5% e 21,7% dos focos detectados pelo satélite de referência, respectivamente.

No Acre, Acre foram detectados 71 focos de queimadas em junho, 42% a mais que no mesmo período do ano passado, quando foram detectados 50 focos de calor no estado. O município com o maior registro é Xapuri, com 9 focos no mês – 12,7% do total.

Desde 23 de junho, o uso do fogo em território nacional está proibido por 120 dias, de acordo com Decreto Presidencial nº 11.100/22. Ainda assim, 1.113 focos foram registrados na Amazônia desde então.

“A estação seca mal começou e a Amazônia já está batendo novos recordes na destruição ambiental. O ocorrido não surpreende visto que a região está sob intensa ameaça, com altos níveis de ilegalidade que continuam devastando grandes áreas e vidas”, diz Cristiane Mazzetti, porta-voz de Amazônia do Greenpeace Brasil.

De acordo com a Ong, as ações do governo federal nos últimos anos têm desmantelado órgãos de fiscalização ambiental, resultando na elevação drástica do patamar da destruição ambiental. Além da Amazônia, no Cerrado, o número de focos de calor segue alto, com 4.239 focos.

Já no Pantanal, houve um aumento de 17% em relação a junho de 2021, com 115 focos registrados. Mais áreas devem queimar nos próximos meses, período em que a floresta está mais seca, e quando o fogo é utilizado para realizar o desmatamento ou queimar os restos da floresta derrubada depois de secar ao sol.

Dados de desmatamento (Inpe) apontam para uma área total de 2.867 km² derrubada entre janeiro e maio. Ou seja, a previsão é que o cenário se agrave com o início do verão amazônico. Outro fator crítico é o fato deste ser um ano eleitoral, quando a devastação ambiental historicamente se acentua.

Continuar lendo

Acre

Prazo de desincompatibilização gera mudanças em comissionados

Publicado

em

Com a obrigatoriedade dos cargos comissionados se desincompatibilizarem de suas funções até três meses antes das eleições, o governador Gladson Cameli exonerou no Diário Oficial desta sexta-feira, 2, alguns integrantes do governo que serão candidatos em outubro.

Um deles é Zenil Chaves, que já presidiu o extinto Depasa, atual Saneacre, com base eleitoral em Sena Madureira, deve disputar uma vaga à Assembleia Legislativa. Zenil atualmente era CEC-6 na Secretaria Estadual de Saúde.

Já quem desistiu de disputar a eleição este ano e ganhou um cargo novo no governo foi o policial penal Renê Fontes. Apesar de ter tirado mais de 2 mil votos na eleição passada para deputado, Fontes vai apoiar o ex-presidente do IAPEN, Arlenilson Cunha à Aleac. Renê Fontes que era diretor do Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC) foi exonerado, mas nomeado na mesma função, mas agora na Secretaria de Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (SEMAPI). Na verdade, houve uma troca de servidores. Cristhyan Alexandre Carcia de Carvalho que era diretor na SEMAPI foi exonerado e nomeado na vaga de Fontes no IMAC.

Confira as demais exonerações e nomeações desta sexta-feira.

Exonerações

Rutenilson Crispim da Silva – CEC-6, da Secretaria de Estado de Saúde – SESACRE

Suziane Maria Silva de Souza – CEC-1, da Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio –SEPA

Isnailda de Souza da Silva Gondim – Chefe de Departamento da Secretaria de Estado de Empreendedorismo e Turismo – SEET

Paula Menezes Alves Ferreira – Chefe de Departamento, nomeada através do Decreto nº 7.167, de 28 de outubro de 2020

Luiz Ney Nascimento da Silva – CEC-2, da Secretaria de Estado de Saúde – SESACRE

Silvania Carvalhosa de Sousa Melo – CEC-1, da Secretaria de Estado de Assistência Social dos Direitos Humanos e de Políticas para Mulheres – SEASDHM

Nomeações

Risvaldo Duarte de Souza – CEC-2, na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA

Antônio de Castro Oliveira – CEC-1, na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA

Manoel Virgulino Lima Azevedo – CEC-2, na Secretaria de Estado da Casa Civil – SECC

Fabiana Sacramento de Olveira – CEC-1, na Secretaria de Estado de Assistência Social dos Direitos Humanos e de Políticas para Mulheres – SEASDHM

Fabrício Souza Felisberto – CEC-1, na Procuradoria Geral do Estado do Acre – PGE.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!