Conecte-se agora

ACRE – EDUCAÇÃO NOTA ZERO IV

Publicado

em

Ray Melo,
da redação de ac24horas
[email protected]

A reclamação com a rede estadual de ensino é a mesma em todas as comunidades extrativistas do Rio Liberdade, área rural do município de Cruzeiro do Sul. Na comunidade Morro da Pedra, onde residem 10 famílias de pequenos produtores de farinha, o Governo do Acre teria fechado a Escola Estadual São Francisco, unidade de ensino construída pelos moradores, que necessitava de reforma para continuar funcionando.

A pequena escola de madeira e coberta de palha atendia aproximadamente 31 alunos quando foi inaugurada. A única sala de aula foi fechada na administração do ex-governador Binho Marques (PT). De acordo com a líder comunitária Maria Renilda Santana, 39, a Branca, o governo abandonou a localidade e retirou o professor, mesmo com os populares se comprometendo em fazer a reforma da escola.

“Fizemos a proposta ao representante da Secretaria de Educação. Se o governo cedesse o professor, a própria comunidade reformaria escola. Convocamos várias reuniões, mas mesmo assim eles nunca deram uma resposta. A providência que tomaram foi retirar o professor da comunidade. Há dois anos, somos obrigados a matricular nossos filhos em outra comunidade distante, onde as crianças correm perigo diariamente”, diz Maria Renilda.

Leia mais sobre a série Educação Nota Zero
Crianças perdem o ano letivo por falta de vagas em escolas públicas

Moradores do interior denunciam descaso do governo do Acre com o ensino público 

Treze anos de Utopia e desilusão com o ensino público oferecido pelos governos do PT no Acre

Segundo a líder comunitária, os alunos da Comunidade Morro da Pedra são transportados sem nenhum tipo de segurança e os pais ficam apreensivos com a possibilidade de um acidente com o pequeno barco que faz o transporte escolar. “O governo paga um barqueiro, mas as crianças são transportadas sem colete salva-vidas. O rio é perigoso, já teve vários acidentes com batidas em troncos de árvore”, lembra. Diariamente, 25 alunos fazem essa viagem. A casa cedida pela comunidade, onde funcionou a Escola Estadual São Francisco durante quatro anos, é usada para abrigar uma família, no local do refeitório dos alunos. Na única sala de aula, as marcas do tempo e do descaso das autoridades do Estado ainda são visíveis. Buracos no piso e nas paredes revelam a falta de cuidado dos gestores da educação estadual com o ensino público no interior do Acre.

Apelo negado

Líderes comunitários e parlamentares que representam o Vale do Juruá em nível estadual também foram acionados. Maria Renilda Santana mostrou documentos que comprovam as reivindicações. A deputada estadual Antônia Sales (PMDB) apresentou três indicações ao ex-governador Binho Marques, solicitando melhorias à unidade de ensino. “Os pedidos da deputada foram feitos em 2008, 2009 e 2010. Como disse, nenhuma resposta.

Em Brasília, a história é outra

Enquanto petistas são convidados a ocupar cargos no Ministério da Educação, impulsionados pelas fortes campanhas publicitárias do Governo do Acre de supostos avanços na área de educação na zona urbana, a realidade das comunidades da zona rural, longe dos holofotes dos órgãos de comunicação, é cruel e desoladora. Sem acesso aos notebooks, mimos de alunos do ensino médio em Rio Branco, as crianças do interior sonham apenas em frequentar um escola digna e ter um professor.

ABANDONO DE ESCOLAS É COMUM

O abandono de escola pública nas comunidades do Rio Liberdade não é exclusividade da Morro da Pedra. Na localidade conhecida como Foz do Forquilha, uma escola estadual que funcionava em uma antiga casa de farinha foi fechada após algumas denúncias. A escola que não tinha paredes, carteiras, livros, merenda escolar e o quadro de giz, era dependurado em um travessão da cobertura, não existe mais.

Segundo os ribeirinhos, aas crianças dali ficaram sem estudar. “Quando denunciaram a situação da nossa escola, o pessoal da Secretaria de Educação veio aqui. Foram feitas várias promessas para construir uma nova, mas tudo não passou de enganação. Levaram o professor embora e até a antiga casa de farinha que servia de escola desabou”, diz o produtor João da Silva.

A falta de compromisso dos gestores da educação estadual revolta os agricultores. Pequenos produtores afirmam que eles só teriam valor em época de campanha eleitoral. “Para pedir nosso voto vale tudo. Em época de campanha, o pessoal do PT manda os empregados fazer promessas nas comunidades, mas assim que ganham os cargos esquecem que chegaram lá, com nossos votos. Tudo que queremos é educar nossos filhos, não queremos dinheiro desses políticos”, protesta Manoel Ribeiro.

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Acre não registra mortes, mas tem 12 novos casos de Covid-19

Publicado

em

Em boletim divulgado na tarde desta terça-feira, 27, a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) registrou 12 novos casos de infecção por coronavírus, sendo cinco confirmados por exames RT-PCR e sete resultados de testes rápidos, fazendo com que o número de infectados salte para 86.999 nas últimas 24 horas.

Nenhuma notificação de óbito foi registrada nesta terça, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 permaneça em 1.797 em todo o estado.

Os dados da vacinação contra a Covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Continuar lendo

Acre

OAB/AC faz levantamento de necessidades da advocacia

Publicado

em

Advogados das regiões de Tarauacá/Envira e do Juruá receberam a visita da Presidência da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Acre (OAB/AC) na última semana. Os encontros tiveram o objetivo de escutar a advocacia dos municípios das macrorregiões do interior do estado sobre os desafios da classe e os avanços já conquistados nos últimos três anos de gestão.

Os profissionais das cidades de Sena Madureira, Manoel Urbano, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul puderam compartilhar – presencialmente – com os dirigentes da Seccional acreana os problemas que têm enfrentado para exercer a profissão. Segundo o presidente da entidade, Erick Venâncio, esta escuta ativa faz parte do projeto de interiorização dos serviços da Ordem nos municípios, iniciado em 2019.

“Apesar da pandemia, nós sempre estivemos muito próximos da advocacia do interior. E este é o momento que sentamos para dialogar, colher críticas, sugestões e preparar novos projetos para o futuro, a partir daquilo que a advocacia entende ser o mais adequado”, explica Venâncio. O presidente ressalta que os profissionais do Alto Acre ao Juruá precisam ter condições dignas de trabalho para exercerem bem as suas funções diárias.

Também estiveram presentes nas visitas a vice-presidente da OAB/AC, Marina Belandi, que aproveitou a oportunidade para levantar demandas relacionadas às violações de prerrogativas, e o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados (CAA/AC), Thiago Poersch, que apresentou os benefícios, projetos e auxílios da instituição voltados à classe.

Assessoria

Continuar lendo

Acre

Educadores prometem greve após encontro negado com Bocalom

Publicado

em

Centenas de servidores da Educação realizaram na manhã desta terça-feira, 27, uma manifestação em frente à prefeitura de Rio Branco para cobrar melhorias de trabalho para a categoria. De acordo com os manifestantes, caso não haja acordo, os profissionais planejam entrar em greve.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a categoria tinha uma reunião marcada com representantes da prefeitura às 9 da manhã, porém, não foram recebidos no horário marcado.

A professora da rede pública de ensino, Silvia Costa, diz que a categoria almeja aumento no pagamento da insalubridade, revisão do plano de carreira, reposição inflacionária, auxílio alimentação e valorização da equipe de gestores. “Os gestores estão com a perda salarial acentuada”, declarou.

Continuar lendo

Acre

Seis pessoas ficam feridas em colisão entre caminhão e carro

Publicado

em

Uma colisão entre um caminhão baú e um carro deixou seis pessoas feridas na manhã desta terça-feira, 27. O acidente aconteceu na rua América, situada no bairro Nova Estação, em Rio Branco. De acordo com informações da polícia, a motorista do veículo Fiat Idea, de cor bege, trafegava com uma passageira no banco da frente e três crianças no banco traseiro na rua Palmares, quando teria invadido a preferencial na rua América.

Com isso, colidiu na lateral da cabine do caminhão baú de transportes de frios. Com o impacto, o motorista do caminhão perdeu o controle da direção, subiu na calçada e derrubou o muro de uma residência. Já o carro (Fiat Idea) ficou com frente e para-brisa destruídos.

Duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foram acionadas, bem como o Corpo de Bombeiros. Após os primeiros atendimentos às vítimas, as mesmas (seis pessoas) foram encaminhadas ao pronto-socorro de Rio Branco em estado de saúde estável.

A área foi isolada pelos Policiais do Batalhão de Trânsito para os trabalhos de perícia. Após a perícia os veículos foram removidos e a rua liberada.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas