Conecte-se agora

“Quem tem fome quer pão”, diz perpétua sobre jogo; deputada volta a áreas pós-alagadas

Publicado

em

Ao voltar às áreas alagadas e ouvir o relato das famílias que tentam recomeçar suas rotinas, a  deputada Perpétua Almeida (PCdoB) testemunhou uma situação ainda comovente e preocupante, muito embora as cheias do Rio Acre tenham cessado e o risco de nova alagação afastado. “Muitas casas não têm a mínima condição de abrigar as pessoas”, disse a deputada. “Está difícil ainda. A realidade é que muitos perderam absolutamente tudo. Essas pessoas ainda precisam da nossa atenção e do poder público para que esse inicio de retorno pra casa lhes assegure condições mínimas”, afirmou.

Perpétua dedicou a manhã de sexta-feira a visitar alguns dos bairros mais castigados. Ainda cedo, às 8:30hs, ela tomou um ônibus da linha Sobral, a partir no Terminal Urbano de Rio Branco. Até por volta das 13 horas, a deputada percorreu as comunidades do Boa União e Ayrton Sena, conversando com os moradores e anotando suas necessidades mais urgentes. Ao passar pelas unidades de saúde, funcionários informaram á deputada que muitos moradores continuam procurando cestas básicas, kits de limpeza e até madeira pra recuperar parte de suas residências.

Segundo a deputada, em muitas localidades com energia, água encanada e até asfalto, varias casas e terrenos têm placas de interdição. Perpétua reafirmou que há uma necessidade de todos nós, Bancada Federal, Governo Estadual e Municipal, nos debruçarmos sobre novas alternativas de revitalização de igarapés, córregos para reestruturar bairros onde não será possível a sua eliminação completa.

A deputada  está agendando viagem a Manaus, onde conhecerá um programa financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) para revitalizar regiões alagadas e sujeitas a inundações, em parceria com o Estado e a prefeitura, mantendo as famílias nos bairros, porém com qualidade de vida.

“Penso que não basta apenas devolver estas famílias ás suas casas. Sinto, e defenderei isso lá no Congresso Nacional, que o pós-alagação exige uma política de estado definitiva, capaz de evitar que as tragédias se repitam ano após ano e garanta condições seguras de moradia a estas famílias Quero conhecer experiências que dão certo lá fora para ajudar a nossa população. Os desastre naturais vão continuar acontecendo, a natureza é assim, mas nós podemos evitar que eles sejam uma tragédia na vida das pessoas”, finalizou a deputada. (Assem Neto)

“Quem tem fome quer o pão” – Sobre o jogo da solidafriedade, que causou um grande fuzuê no meio político, a deputada disse: “Quem tem fome quer pão”. Para ela o esforço dos deputados que vieram ao Acre se deu por uma causa nobre. Ela citou como exemplo, outros estados em que Romário e os outros deputados jogaram futebol em solidariedade a quem estava necessitado.

– Cada um faz o que pode e, toda a ajuda é válida, mesmo porque o estômago vazio não quer saber se o pão vem da esquerda, da direita ou se veio de cima do muro – acrescentou a deputada.

Perpétua lembra ainda a sua torcida para a vinda dos deputados, quando Petecão anunciou o evento. “Eu vibrei na hora imaginando a possibilidade de ter aqui o Romário, Popó, Deley, Danrlei (todos jogadores profissionais, hoje no Congresso) e tantos outros, trazendo o abraço solidário aos nossos acreanos. Aplaudi a ideia” comentou Perpétua.

A deputada fez questão de frisar ainda que foi com esse espírito que ela participou ativamente do evento. E lembrou um dos principais argumentos do presidente Lula quandro criou o Bolsa Família. “Quem passa por necessidades quer saber se o socorro vai chegar até ele”, concluiu. (Jairo Carioca)

Acre

Tesouro concede B ao Acre em capacidade de pagamento

Publicado

em

De acordo com a análise da capacidade de pagamento (CAPAG) realizada em 2022, 21 Estados possuem nota de capacidade de pagamento A ou B, a qual permite que o Ente receba garantia da União para novos empréstimos. Com boa saúde financeira, o Acre recebeu nota A novamente. Essa nota, concedida no final de novembro pelo Tesouro Nacional, se sucede ao longo da gestão de Gladson Cameli.

Parte dos Estados sofre para regularizar suas finanças. Goiás e Rio de Janeiro passaram das notas C e D para as respectivas notas B e C. Tocantins também melhorou sua capacidade de pagamento, que mudou de C para B. Por outro lado, Maranhão deixou de ser elegível a operações de crédito com a garantia da União, ao passar da classificação B para C em 2022.

A maioria dos Estados sem boa classificação de capacidade de pagamento (A ou B) possuem Índice de Liquidez (IL) maior ou igual a 100%. Para esses Estados, o volume de obrigações de curto prazo das fontes de recursos não vinculadas é superior aos recursos em caixa, o que resultou na perda da boa classificação de capacidade de pagamento.

Alguns Estados também possuem indicador de Poupança Corrente maior ou igual a 95%, o que indica que a capacidade de pagamento foi afetada por uma relação entre receitas e despesas correntes com pouca margem para o crescimento das despesas obrigatórias estaduais.

No caso do Acre, o Estado ficou com nota B no indicador de capacidade de endividamento; B em poupança corrente; e A no índice de liquidez, o que resultou em nota geral B em CAPAG.

Continuar lendo

Acre

PRF age rápido e desobstrui trechos bloqueados em Rondônia

Publicado

em

A assessoria da Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou na tarde desta quinta-feira, 1°, que os trechos bloqueados nos municípios de Ariquemes e Cacoal, no estado de Rondônia, foram totalmente desobstruídos.

A rodovia havia sido fechada por um grupo de manifestantes bolsonaristas que estão acampados às margens da rodovia da BR-364, em Rondônia, em protesto contra o resultado das eleições que ocorreram há um mês e que teve Lula declarado vencedor.

No entanto, apesar do desbloqueio na rodovia, informações extraoficiais dão conta que, os manifestantes pretendem, novamente, fechar a estrada que liga o Acre ao restante do país.

Continuar lendo

Acre

Acre tem novo caso suspeito de Varíola dos Macacos

Publicado

em

Um novo caso suspeito de Monkeypox (varíola dos macacos) foi notificado no Estado, nesta quinta-feira, 1°, pela Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), por meio de Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs).

Sendo assim, o número de casos chegam a 34, sendo um confirmado, 31 descartados, um suspeito e um com perda de seguimento.

Os sintomas comuns da doença são, erupções cutâneas, lesões em mucosas, febre, dor de cabeça, inchaço dos linfonodos (ínguas), dores nas costas, dores musculares e fadiga.

Em situações suspeitas, os atendimentos estão sendo disponibilizados em qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS) ou de pronto atendimento (UPAs). A rede conta com insumos para coleta de amostras das lesões cutâneas para análise laboratorial.

Continuar lendo

Acre

Saúde do Acre identifica casos das subvariantes BQ 1.1 e BE. 9 da Covid

Publicado

em

O relatório de circulação de linhagens do SARS-CoV-2, emitido pela Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) nesta quarta-feira, 30, aponta que as novas subvariantes da covid-19, identificadas no Brasil, inicialmente no estado do Amazonas, em outubro deste ano, BQ 1.1 e BE.9, já estão em circulação no Acre.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), de 6 amostras de pacientes com sintomas da Covid-19, residentes nos municípios de Rio Branco (AC), Sena Madureira (AC) e Boca do Acre (AM), e coletadas em 17 de novembro, duas foram identificadas com as linhagens BQ 1. 1 e quatro com a linhagem BE. 9, ambas derivadas da variante Ômicron, mesma cepa que circula atualmente na Europa e causou o aumento das infecções em países como Alemanha e França.

A chefe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), Débora dos Santos, afirma que não há mudanças em relação aos sintomas, que continuam sendo para a maioria dos pacientes: dor de cabeça, tosse, febre, dor de garganta, cansaço, perda de olfato e paladar.

“Também é preciso dar ênfase à transmissibilidade, que é mais elevada. Uma série de ações permite reduzir os riscos da transmissão da covid-19 e de outras doenças como a gripe e resfriados. Além do uso de máscara, medidas de higiene como a lavagem das mãos, o uso de álcool gel e distanciamento de pessoas sintomáticas contribuem para reduzir os riscos da infecção”, destacou Débora.

A principal recomendação é estar com o calendário vacinal completo e atualizado, incluindo as duas doses de reforço. O cuidado deve ser redobrado nos casos de gestantes, idosos, crianças de baixo peso, imunossuprimidos e portadores de comorbidades crônicas descontroladas. Caso os sintomas apareçam, procure atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e faça testagem para o vírus.

“Por enquanto, nenhuma das duas parece provocar o aumento relevante de hospitalizações e mortes, contudo, a melhor forma de prevenção a sintomas graves da doença continua sendo a vacinação, incluindo as doses reforço para aumento da imunidade. Foi aprovado pela Anvisa recentemente a vacina bivalente contra a covid, que será mais uma dose de reforço. Temos expectativas de que chegue no Brasil no início deste mês de dezembro e assim que for liberada no Acre convocaremos para a ministração”, finalizou Daila Timbó, responsável pelo Centro de Referências para Imunobiológicos Especiais (Crie).

Com informações da Agência de Notícias do Acre.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.