Conecte-se agora

Angelim recua e retira projeto de empréstimo da pauta. Ele agora quer diálogo

Publicado

em

A presença do pastor Jonas Costa na Câmara Municipal de Rio Branco, nesta terça-feira (27), deixou claro o sinal vermelho na relação entre o prefeito Raimundo Angelim e a bancada de vereadores de resistência formada pelos partidos PSDB, PP, PMDB, PPS e PTC. Jonas assistiu calado os discursos inflamados de Alonso Andrade [PSDB] e Sargento Vieira [PPS], por conta das declarações do vereador Roger [PSB] e Elias Campos [PRP] em alguns órgãos de imprensa.

Chamar a bancada de oposição de irresponsável serviu para acirrar ainda mais os ânimos, o pequeno expediente foi agitado. A estratégia acabou afastando a possibilidade do vice-presidente da Mesa, vereador Rodrigo Pinto [PMDB] votar a favor do executivo.  Os rumores de que o peemedebista seguiria orientação do deputado federal Flaviano Melo foram afastados pelo próprio aliado.

– Votarei com a oposição, votarei com a oposição – esclareceu Pinto.

A ausência da vereadora Ariane Cadaxo prejudicou ainda mais a articulação. Ontem (27) à tarde, a executiva municipal do PRP que já fechou questão para votar contra o financiamento, se negou a sentar com o executivo. A postura adotada pelo partido deixou no paredão, os vereadores Elias Campos e Raimundo Vaz.

Com a saída em silêncio do pastor Jonas da galeria, coube ao vereador Ricardo Araújo dar explicações à imprensa. O petista disse que a luta continua e que o prefeito Raimundo Angelim está disposto a dialogar com os 14 vereadores. Se conseguir coalizão, o projeto volta na próxima terça-feira (03/04). Jonas é assessor técnico da prefeitura de Rio Branco e membro da Assembleia de Deus de Rio Branco.

Jairo Carioca,
da redação de ac24horas
[email protected]

Acre

MP quer médicos autorizados a retirar tornozeleira para cirurgias

Publicado

em

O Ministério Público do Estado Do Acre (MPAC) está pedindo à Vara de Execuções Penais que os médicos tenham autorização para retirar a tornozeleira eletrônica de reeducandos em caso de cirurgias. O motivo é simples: o equipamento é incompatível com o uso de bisturi eletrônico, provocando choques em que for submetido à uma cirurgia usando o equipamento de monitoramento.

“Eu fui abordado por profissionais da área médica, os quais relataram algumas dificuldades com relação ao atendimento emergencial de pessoas privadas de liberdade, especificamente as que cumprem pena em regime semiaberto com monitoração eletrônica. De acordo com os médicos, é comum a chegada de reeducandas gestantes nos hospitais desta Capital, em condições que demandam a realização de parto cesárea, procedimento este que normalmente é feito utilizando-se de bisturi eletrônico. Porém, foi constatado que a tornozeleira utilizada pelas apenadas é incompatível com o uso da ferramenta, resultando na ocorrência de choques elétricos. Em razão disso, ainda segundo relato dos médicos, os procedimentos em reeducandas vêm sendo realizados com o bisturi convencional, que é menos preciso e, diferentemente do elétrico, não auxilia no controle de hemorragias e dificulta de maneira considerável a sutura dos cortes. O mesmo acontece com reeducandos que são submetidos a outros tipos de cirurgia, sendo que na maioria das vezes, os procedimentos são de urgência e emergência e por motivos óbvios não são agendados previamente. Necessário ponderar que o uso do bisturi elétrico é benéfico à saúde, resultando em inúmeras”, explica o promotor de justiça Tales Tranin.

Por conta desse relato, o representante do MPAC, visando facilitar a realização de procedimentos cirúrgicos em apenados, requer seja autorizado aos profissionais da área médica que atuam na Capital a retirada do equipamento de monitoração eletrônica dos presos, possibilitando o uso do bisturi elétrico, apenas em casos excepcionais, de urgência e emergência, quando não for possível requerer previamente a desinstalação do equipamento.

Caso a Vara de Execuções Penais autorize, os médicos devem informar imediatamente ao IAPEN acerca da retirada da tornozeleira, justificando a medida. Por fim, ao Diretor da Unidade de Monitoramento Eletrônico de Presos terá a obrigação de informar ao Juízo e de proceder à reinstalação do equipamento tão logo seja possível.

Continuar lendo

Acre

Acre apresenta maior redução em mortes violentas no país em 2022

Publicado

em

Segundo o Monitor da Violência, o Acre apresenta em 2022 a maior queda nas mortes violentes do País até o 1º trimestre. Por outro lado, Rondônia teve o maior aumento nos crimes: 48% de crescimento no período.

O Monitor da Violência é uma plataforma do G1 e parceiros. O número calculado é parecido com o divulgado pelo Ministério Público do Acre para 1º trimestre de 2022: queda de 28,6% nas mortes violentas intencionais no Estado.

No período, segundo o MPAC, Rio Branco concentrou 49% do total de mortes violentas intencionais ocorridas em todo o Estado. No interior, os municípios de Brasiléia (4) e Cruzeiro do Sul (3) foram os que mais registraram assassinatos no 1º trimestre de 2022.

“A média mensal de mortes violentas intencionais no ano de 2021 foi de 16 assassinatos, enquanto no mês de março de 2022 foram registradas 23 mortes, ou seja, 43% a mais do que a média mensal de 2021. Em relação ao mês anterior (fevereiro), o aumento em março foi de 77%”, informa o MPAC no boletim do Observatório de Análise Criminal.

Continuar lendo

Acre

Dependentes do Auxílio Brasil é maior que os trabalhadores no Acre

Publicado

em

No Acre, o número de beneficiários do Auxílio Brasil é 25% aos trabalhadores com carteira assinada. São 111.112 pessoas atendidas pelo seguro social e 85.502 empregados formais no Estado, segundo os dados mais recentes.

Um levantamento do G1 publicado nesta quarta-feira (18) mostra que essa situação não é só no Acre: quase metade das unidades da Federação do país tinha mais beneficiários do Auxílio Brasil do que trabalhadores com carteira assinada em março deste ano.

em 13 estados o número de famílias que vivem do dinheiro do Auxílio Brasil é maior que o das que vivem da renda do trabalho formal, com vínculo CLT.

Os cálculos do G1 mostram que as maiores diferenças entre o número de beneficiários do auxílio e empregados com carteira assinada estavam nos Estados do Maranhão (576.411 mais beneficiários do que CLT), Bahia (412.290), Pará (332.706), Piauí (241.874), Pernambuco (155.548), Paraíba (188.546), Alagoas (118.974) e Ceará (110.915).

Conforme já noticiou o ac24horas, o desemprego no Acre, que subiu para 14,8% em março, é o 5º maior do País e apenas 64,9% da massa de trabalhadores tem carteira assinada.

Continuar lendo

Acre

Governo troca mais de uma dezena de cargos comissionados

Publicado

em

O governador Gladson Cameli voltou a fazer mudanças em cargos comissionais em seu governo pelo Diário Oficial desta quarta-feira, 18. Com a definição nos próximos dias de quem caminhará definitivamente com o governo no apoio à reeleição, mudanças devem continuar acontecendo.

Confira a lista de nomeados e exonerados desta quarta:

Nomeações

Jeferson Ferreira Dias – CEC-1, na Fundação de Cultura Elias Mansour – FEM

Josilda Lima Da Silva – CEC-3, na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA

Bruna Roana da Silva Delilo – CEC-7, na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA

Julyane Silva Yarzon – CEC-4, na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional – SEDUR

Joelson Queiroz Souza Amorim para exercer o Cargo em Comissão, referência CEC-5, na Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão – SEPLAG

Taylon Lemos Pereira – CEC-1, na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional – SEDUR

José Alberto Castro Lima ­- CEC-4, na Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão – SEPLAG.

Thais Ferreira de Araujo – CEC-6, na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Políticas Indígenas – SEMAPI.

Exonerações

Vitor Oscar da Silva Marques – CEC-4, nomeado através do Decreto nº 8.135, de 26 de fevereiro de 2021

Marcel Magalhães Lima – CEC-5, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional – SEDUR

Dimitrius Carvalho de Barros – a pedido – CEC-1, da Fundação de Cultura Elias Mansour – FEM

Leyde Dhayane da Silva – CEC-3, da Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!