Conecte-se agora

Jorge Viana entrega decretos de calamidade pública ao ministro da Integração Nacional

Publicado

em

A pedido do prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim, e da prefeita de Brasiléia, Leila  Galvão, o senador Jorge Viana entregou nesta terça-feira, 28, ao secretário executivo do Ministério da Integração, Alexandre Navarro Garcia, e ao Secretário Nacional de Defesa Civil, Humberto Vianna, cópias dos decretos de estado de calamidade pública nas duas cidades.

Humberto Vianna disse ao senador acreano que vai confirmar a situação descrita nos dois decretos ainda hoje e publicar, no Diário Oficial da União de amanhã, o reconhecimento do governo federal  a essa situação.  Também prometeu contribuir ao máximo com a fase de reconstrução que será iniciada com o retorno das águas ao nível normal.

“Os pedidos já estão acatados, diante da evidente vulnerabilidade da população, e só faltam os dados técnicos para formalizar o reconhecimento oficial”, afirmou Humberto Vianna, acrescentando que a Defesa Civil vai colocar os recursos à disposição das duas prefeituras o mais rapidamente possível.

O secretário executivo do Ministério da Integração, Alexandre Navarro Garcia, acrescentou que a decretação de estado de calamidade pública dá mais garantias para acelerar o repasse de recursos e reforçou que a publicação do reconhecimento do estado de calamidade pública pelo governo federal só depende da nota técnica sobre a situação a ser enviada pelo representante da Defesa Civil no Acre, Amin Braun.

A decretação do estado de calamidade foi decidida depois de conversas dos dois prefeitos com técnicos da Defesa Civil no Acre e com o governador Tião Viana. Além de facilitar a agilização da ajuda federal, o estado de calamidade ameniza a situação de quem perdeu tudo na enchente, ajudando na comprovação de ausência ao trabalho e regularização do pagamento de débitos.

O senador Jorge Viana relatou aos dois executivos do Ministério da Integração o boletim de alagação de hoje, o ritmo da enchente, o histórico das atividades de socorro as desabrigados  e as operações realizadas agora.

-Foi uma verdadeira calamidade, e a situação só não é de caos por causa da organização dos serviços de socorro e da longa experiência dos governos do Acre e dos municípios em lidar com as enchentes.  O tamanho do prejuízo só poderá ser avaliado quando a água baixar. Vamos precisar fazer um trabalho de reconstrução com muito ânimo e muita união. Se trabalharmos com dedicação, será possível superar as perdas, acrescentou.

O decreto de calamidade pública em Rio Branco abrange 29 bairros situados na área urbana e 16 localidades na área rural. Conforme frisou o senador Viana, a definição das áreas consideradas de calamidade foi feita de forma criteriosa, em áreas de fato desprovidas  de serviços como abastecimento de água e energia, transportes, escolas e assistência à saúde, entre outros.

Uma das possibilidades criadas com a decretação do estado de calamidade é o pagamento de aluguel social de seis meses aos desabrigados que perderam suas casas. Esse tópico ainda será discutido com mais detalhes com o governador Tião Viana e os prefeitos das duas cidades, mas os recursos ajudarão os atingidos a pagar por seus alojamentos.

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Apenas o Acre apresenta tendência no aumento de síndromes gripais

Publicado

em

A mais recente edição do Boletim InfoGripe da Fiocruz, divulgada nesta quarta-feira (28), mostra que apenas uma das 27 unidades federativas do Brasil apresenta sinal  forte de crescimento do número de casos e óbitos de Síndrome Respiratória Grave (SRAG) até a semana 29 – o Acre.

E isso no curto, médio e longo prazos. A probabilidade é maior que 75% que isso ocorra nesses cenários temporais.

No Ceará, embora se observe sinal moderado de crescimento a curto prazo, os dados apontam para a estabilidade na tendência de longo prazo. Entre as  demais unidades da Federação, 12 apresentam sinal de queda.

Cerca de 99% dos casos de SRAG com identificação laboratorial de vírus respiratório se dão em decorrência da Covid-19. A análise é referente à semana epidemiológica 29, de 18 a 24 de julho.

Continuar lendo

Acre

Sensação térmica no Acre poderá chegar a 6 graus, diz Friale

Publicado

em

O meteorologista Davi Friale afirmou em boletim que a onda de frio polar que chegou ao Acre na manhã desta quarta-feira, 28,terá temperaturas mínimas semelhantes às registradas no início deste mês de julho, ou seja, entre 9º e 11ºC. Na época, Rio Branco e outros municípios do leste e do sul do Acre, registraram, oficialmente, temperaturas de 10 e 11ºC.

Segundo Friale, os próximos dias serão de noites frias e dias ensolarados, pelo menos até o próximo dia 4 de agosto. Segundo ele, podem ocorrer ventos intensos e ininterruptos soprando da direção sudeste, com rajadas que podem superar 50 km/h em alguns pontos.

“A diferença, agora, estará na maior duração deste frio e dos ventos intensos que estarão soprando durante alguns dias consecutivos, o que dará sensação inferior a 6ºC para quem estiver exposto a tais ventos. Portanto, no Acre e nas áreas próximas, o frio atual será forte, sim, mas não tanto quanto estão divulgando por aí”, destacou.

Davi Friale alertou para a baixíssima umidade relativa do ar que vai predominar no Acre principalmente nas regiões de Rio Branco, Brasiléia e Sena Madureira nos próximos dias, até, pelo menos, a primeira semana de agosto, com percentuais inferiores a 20%, o que caracteriza estado de alerta para a saúde humana.

“A situação poderá ficar ainda pior, pois é média a probabilidade de que, em alguns dias e em algumas cidades, na parte da tarde, o percentual possa ficar abaixo de 12%, o que levaria ao estado de emergência para a saúde das pessoas. Fique atento, portanto, ingerindo muito líquido e evitando ficar exposto ao Sol entre 10h da manhã e 4h da tarde, assim como fazer exercícios físicos excessivos nos próximos dias. Dentro de casa, coloque panos molhados e recipientes com água, a fim de atenuar um pouco a umidade do ar”, salientou.

Continuar lendo

Acre

Acre já aplicou vacina contra Covid-19 em cerca de 360 mil pessoas

Publicado

em

O Acre aplicou 485.080 doses da vacina contra Covid-19 até esta quarta-feira (28). Destas, 360.590 moradores estão com uma dose até agora. Levando em conta a dose única da Janssen, 124.490 acreanos estão completamente imunizados.

Ao todo, 302.176 doses foram aplicadas por faixa etária mas 53.692 doses atenderam pessoas com comorbidades. Trabalhadores da saúde e profissionais de educação são os mais vacinados.

Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Sena Madureira são os municípios que mais vacinam. Porto Acre, Jordão e Brasiléia são os últimos no ranking da vacinação no Estado.

Continuar lendo

Acre

Com 36 internados, Acre registra 54 novos casos e 1 morte por Covid-19

Publicado

em

Em boletim divulgado nesta quarta-feira, 28, a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) informou o registro de 54 casos de infecção por coronavírus, sendo 13 confirmados por exames RT-PCR e 41 resultados por testes rápidos, fazendo com que o número de infectados salte para 87.053 nas últimas 24 horas.

Segundo o boletim, 36 pessoas seguem internadas entre leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e de enfermaria na rede estadual de saúde. Uma notificação de óbito foi registrada nesta quarta, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 suba para 1.798 em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 238.264 notificações de contaminação pela doença, sendo que 151.198 casos foram descartados e 13 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. 83.183 pessoas já receberam alta médica da doença.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas