Conecte-se agora

Este é o problema

Publicado

em

O PTC terá problemas se quiser colocar a presidente Gabriela Câmara de vice, seja na chapa do PMDB ou do PSDB. É o que ouço de dirigentes dos dois partidos. Não pela figura da moça em si, mas porque viria no contrapeso sua mãe, a polêmica deputada federal Antonia Lucia (PSC).

Confusão certa

De um deles ouvi o seguinte: “a Antonia Lucia ia querer mandar mais que o prefeito”.

Pressão certa

O prefeito Wagner Sales (PMDB) não hesita em elogiar sempre seu vice Mazinho Santiago, o quer de novo na chapa, só que o PP vai exigir para uma aliança, indicar um nome do partido.

É o comentário

O deputado federal Gladson Cameli (PP) não esconde querer indicar o vice na chapa do PMDB.

É o candidato

A depender da opinião do deputado Moisés Diniz (PCdoB), que não esconde de ninguém, o candidato a prefeito de Tarauacá pela FPA, é o médico Jasone (PT), que considera o ideal.

Muito desgastado

Não está errado o Moisés, o ex-vereador Chagas Batista (PCdoB) está desgastado e tem a fama que não ganha eleição. E em uma eleição majoritária, ninguém é candidato de si mesmo.

Não está morta

E até porque, ao contrário do que muita gente pensa, a prefeita Marilete Vitorino (PSD) não é carta fora do baralho, afinal, estar no poder num município pequeno e tem um peso político grande.

Poste ganha

Mas, este axioma não se aplica em todos os casos. Em Capixaba, por exemplo, o candidato que tiver o apoio do prefeito Joais (PT), com alto desgaste popular, é sério candidato a perder.

Questão de gestão

E não foi por falta de apoio do governo petista que o prefeito Joais chegou a este estágio.

Dar uma descentralizada

O governador Tião Viana deveria no próximo ano pensar em descentralizar as ações no sistema de saúde, a secretária Suely Melo, são críticas que ouço, tem emperrado decisões.

 

Humanamente impossível

É impossível um só gestor dar celeridade aos pleitos com a rapidez que se exige na Saúde.

Tem o que comemorar

Mas o governador Tião Viana, no cômputo geral tem o que comemorar este primeiro ano de mandato, a última pesquisa o colocou numa avaliação popular altamente confortável.

Contra a maré

O PT vai remar contra a maré se definir pela candidatura de José Alvanir (PT) a prefeito de Brasiléia. Não é de saudosa memória sua passagem como prefeito. Nem concluiu o mandato.

É da máxima

É da melhor máxima que em política não se insiste e não se repete em que não deu certo.

Bom de festa

O festeiro prefeito de Mâncio Lima, Cleidson Rocha (PMDB), terá dificuldades para se reeleger, é o que dizem os que conhecem o município. Nem só de dança de salão se faz uma gestão.

Longe do confronto

O candidato a prefeito da Capital, Tião Bocalon (PSDB), líder nas pesquisas, notadamente tem se esquivado de confrontos que possam lhe trazer desgaste. Foi assim na polêmica do horário.

Não duvidem

Se o “Montana Jack”, o anão do Petecão, se eleger vereador com boa votação não se surpreendam. Nos bairros periféricos aonde chega é a atração. E ele pede votos.

Duas interrogações

Como vão se comportar na campanha da PMRB e nas pesquisas os candidatos do PT, Marcus Alexandre, e do PMDB, Fernando Melo, são duas grandes interrogações.

Boa vantagem

Marcus Alexandre leva a vantagem de ter a máquina do PT empurrando a sua candidatura.

Casa de marimbondo

A oposição em Plácido de Castro está igual casa de marimbondo assanhada, todos com ferrão de fora, e ninguém querendo abrir para o outro a indicação de candidato a prefeito.

Papa tranqüilo

Sem uma chapa unida, o prefeito Paulinho (PT), pode fazer seu sucessor.

 

Candidato sim senhor

O presidente da Aleac, Élson Santiago (PP) nega ter havido um acordo pelo qual cumpriria apenas um mandato. É candidato à reeleição, e justifica: “tal compromisso não foi firmado com ninguém”.

Sumiu na buraqueira

Como senador não foi dos piores, mas como deputado federal, Sibá Machado (PT), está muito a desejar no seu mandato, não se destacou. A não ser que esteja sendo mal divulgado.

O Haiti é aqui

Nada contra a campanha de religiosos de maior apoio aos haitianos. Em suas paróquias em Brasiléia e Epitaciolândia, nas periferias, têm brasileiros abaixo da linha de pobreza e não se ouve o mesmo clamor, nenhum debate para buscar meios de lhes auxiliar. E se for incentivada a chegada de novas famílias, com a porteira aberta, a região vai virar um barril de pólvora.

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Anúncios
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.