Conecte-se agora

Mais dois frigoríficos acreanos aderem ao Carne Legal

Publicado

em

Os frigoríficos Estevam, com sede em Rio Branco, e o Frigoverde, que abate animais em Xapuri, no interior do Acre, assinaram esta semana termo de acordo judicial aderindo ao programa Carne Legal, assumindo compromissos que visam coibir o comércio de carne bovina oriunda de fazendas proibidas de comercializar produtos por terem sofrido embargos por ilícitos ambientais ou constarem da lista do trabalho escravo do Ministério do Trabalho e Emprego. 

O acordo foi assinado no âmbito da ação civil pública impetrada pelo Ministério Público Federal no Acre (MPF/AC), Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério Público do Acre (MP/AC). O objetivo da ação é forçar as empresas abatedoras de gado bovino e processadoras de carne a se adequarem à legislação ambiental e trabalhista, diminuindo a devastação da floresta e o número de ocorrências de casos de trabalho escravo em fazendas de pecuária bovina.

Os termos do acordo são os mesmos que já foram celebrados com outros frigoríficos e, neste caso também haverá revisão anual das cláusulas. Dente os principais itens, a exigência de que as empresas só poderão comprar carne de quem apresentar o cadastro ambiental rural ou a licença ambiental para o uso econômico da propriedade rural, sendo que a partir de setembro de 2012, os frigoríficos poderão comprar carne apenas de quem já tiver ambos os documentos, cadastro ambiental rural e licenciamento ambiental.

Assinaram o acordo o procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, o procurador do Trabalho Tiago Ranieri de Oliveira, a procuradora de Justiça Patrícia do Amorim Rêgo e a promotora de Justiça Meri Cristina Amaral Gonçalves.

Com informações da Assessoria MPF(AC) e Edmilson Alves, de RioBranco-Ac

 

Anúncios
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Alysson Bestene representa o Acre em aquisição da Sputnik V

Publicado

em

O secretário de saúde Alysson Bestene é quem representa o Acre no encontro de 18 governadores que planejam compras conjuntas de vacinas contra a covid-19, sem intermédio do Ministério da Saúde. O evento é liderado pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande e acontece em Brasília durante esta terça-feira (2).

Os governadores visitarão a sede da empresa União Química, que representa no Brasil a vacina russa Sputnik V. A ideia, segundo a reportagem apurou, não é de formalização de um consórcio, mas, a compra proporcional a população de cada estado.

Ainda de acordo os governadores, haverá uma distribuição equitativa de doses e cada estado pagará sua cota fazendo um contrato com o laboratório

O Palácio Rio Branco negou que a adesão ao movimento pelo Acre seja reação contrária ao governo federal que, semana passada, acusou governadores de “fechar os estados”.

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou os estados, os municípios e o DF a importar e distribuir vacinas contra a covid-19, registradas por pelo menos uma autoridade sanitária estrangeira, caso a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não observe o prazo de 72 horas para a expedição da autorização.

Continuar lendo

Acre

Idosos e cuidadores do Lar Vicentinos fazem novos exames

Publicado

em

Durante reunião do Comitê de Eventos Adversos da Vacina de Covid-19 do Acre, o grupo comentou os casos de contaminação por Covid-19 em 25 pessoas do Lar Vicentinos, em Rio Branco, entre idosos e cuidadores. O Estado diz já ter feito avaliação dessas notificações e descartam que a contaminação tenha se dado pela vacina, uma vez que o vírus utilizado no imunizante é inativado.

O Estado inclusive atesta que a vacina não tem capacidade de provocar a doença. “Avaliamos os casos notificados suspeitos de Covid-19. O que podemos levantar é que existe a necessidade de realizar novos exames confirmatórios. O período em que eles manifestaram a suspeita foi pequeno para relacionar com a vacinação”, garante o Comitê.

O médico Osvaldo Leal diz que há acompanhamento nesses casos, assim como o que ocorrem em outras vacinas aplicadas normalmente no calendário. “A vacina no organismo sadio leva em média de 10 a 14 dias para reagir. O que observamos é que o período dessas notificações foi de 8 dias. Não havia tempo de a vacina fazer o efeito”, explicam.

O grupo ressalta a importância d a população continuar usando máscara, evitar aglomeração e fazer higiene correta das mãos, uma vez que a vacina é apenas uma das formas de prevenção e a mais necessária.

“Temos 25 pessoas, entre idosos e cuidadores no abrigo que estão sendo testadas novamente para confirmar se é Covid-19. Haverá também novas testagens em outras pessoas”, relata o Comitê.

Continuar lendo

Acre

Novo líder do governo, Pedro Longo quer “Refis do IPVA” no Acre

Publicado

em

O novo líder do governo na Assembleia Legislativa do Acre, deputado Pedro Longo (PV), lamentou com pesar a morte de mais de 1.000 acreanos pela Covid-19 durante a sessão virtual desta terça-feira, 2.

Longo aproveitou ainda e fez a defesa do trabalho do governador Gladson Cameli e criticou a postura do governo federal que não tem ajudado na aquisição do imunizante pelos Estados.

Além da convocação do cadastro de reserva, que ele considera “mais uma palavra cumprida do governador”, Longo destacou a criação da CNH Social como elemento de retomada da economia no Acre após a pandemia.

Ele pediu que fosse estudado a possibilidade de “Refis do IPVA” porque muitos motoristas têm dívidas acumuladas e precisam negociá-las. “Peço providências para parcelamento e campanha de regularização dos débitos dos veículos como forma de retomada econômica”, observou.

Continuar lendo

Acre

Lene diz que Gladson pegou Covid-19 por aglomeração com Bolsonaro

Publicado

em

A vereadora Lene Petecão (PSD) usou seu tempo na sessão on-line desta terça-feira (2), para desejar melhoras ao governador Gladson Cameli (Progressistas), que testou positivo para a Covid-19, mas ponderou que a provável causa de Cameli testar positivo teria sido em decorrência das aglomerações feitas com o presidente Jair Bolsonaro, na semana passada em visita ao Acre.

A vereadora aproveitou para pedir mais responsabilidade social de toda população acreana em meio ao crescimento de novos casos da Covid-19.

“A consequência da Covid-19 do governador, do qual desejo melhoras e uma rápida recuperação, foi resultado de uma aglomeração com o presidente, que acredita que não há contágio e que as pessoas não se contaminam com aperto de mão e sem o uso das máscaras. Acho que a gente tem que ter cuidados necessários”, afirmou.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas